Últimas

Segunda-Feira, 16 de Novembro de 2009, 18h:18 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

Caso Lutero

Com 14 votos a 4, Câmara cassa Lutero; petista se abstém


Sempre demonstrando tranquilidade, apesar as acusações que pairam sobre sua administração, Lutero lutou até o fim, mas não conseguiu reverter o desgaste político e teve o mandato cassado

   Nove anos após assumir o mandato na Câmara de Cuiabá, o ex-presidente do Imeq, vereador Lutero Ponce de Arruda (PMDB), entra para a história pela porta dos fundos. Ele é o segundo vereador cassado da história do Legislativo cuiabano, que tem 282 anos. Perdeu a cadeira de vereador três meses após Ralf Leite (PRTB) também ser cassado e deixar o Palácio Pascoal Moreira Cabral. Depois de várias horas de julgamento, o painel de votação foi acionado e, dos 19 parlamentares, 14 se manifestaram pela punição ao peemedebista com a perda do mandato. O petista Lúdio Cabral, relator do processo, foi o único a se abster.

    Os quatro contra a cassação foram o petebista Clovis Hugueney, o Clovito, a tucana Lueci Ramos, o republicano Chico 2000 e o próprio Lutero. O empresário Arnaldo Penha (PMDB) assume a vaga de Lutero.  Agora, o empresário Arnaldo Penha, primeiro suplente do PMDB, assume a cadeira. Ele obteve 3.476 votos no pleito do ano passado.

   Ao decretar a perda do mandato do colega, os vereadores da Câmara de Cuiabá demonstram que a pressão popular tornou-se insuportável após sucessivas gestões marcadas por escândalos de corrupção no Legislativo. Para se ter uma idéia, pairam suspeitas e denúncias com indícios consistentes de corrupção envolvendo pelo menos três antecessores de Lutero na presidência da Casa: João Malheiros (PR), hoje deputado estadual, Luiz Marinho, que trocou o DEM pelo PTB e é pré-candidato a deputado estadual, e Chica Nunes (DEM), que assim como o republicano se sustenta na AL.

   A cassação de Lutero ocorre há exatos três meses do início da instalação da Comissão Processante, composta pelos vereadores Francisco Vuolo (PR), presidente, Lúdio Cabral (PT), relator, e Lueci Ramos, membros. Os três são amigos de longa data de Lutero, mas a pressão popular foi tão grande que o republicano e o petista se viram numa encruzilhada. Teriam que abandonar os projetos de candidatura à Assembleia se saíssem em defesa do ex-presidente. Tanto que o petista se absteve de votar. Agora, com a cassação de Lutero, os dois ganharam expressividade na Baixada Cuiabana.

   Por outro lado, Lueci Ramos (PSDB), já está com a imagem desgastada por estar no terceiro ano de mandato e não ter feito uma boa administração à frente da secretaria de Bem-Estar Social. Ao defender publicamente e votar pela absolvição de Lutero, ela fica com o futuro político seriamente comprometido. Dificilmente conseguirá chegar ao parlamento estadual. (Andréa Haddad)

Como ficou a votação do relatório
sobre investigação contra Lutero

Pela cassação... (14)
Antônio Fernandes (PSDB)
Paulo Borges (PSDB)
Roosivelt Coelho (PSDB)
Sérgio Cintra (PDT)
Toninho de Souza (PDT)
Francisco Vuolo (PR)
Deucimar silva (PP)
Éverton Pop (PP)
Leve Levi (PP)
Domingos Sávio (PMDB)
Ivan Evangelista (PPS)
Washington Barbosa (PRB)
Néviton Fagundes (PRTB)
Totó César (PRTB)

...pela absolvição... (4)
Clovito (PTB)
Lueci Ramos (PSDB)
Lutero Ponce (PMDB) 
Chico 2000 (PR)

...e abstenção (1)
Lúdio Cabral (PT)

Postar um novo comentário

Comentários (63)

  • pedro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    se fosse a tempos atras em outros governos
    esse cidadão iria para tribunal de contas do estado.
    parabens a todos pelo feito, mas agora vem
    a pergunta: quem vai investigar onde esse
    individuo colocou o produto do desvio, o cascalho o dim- dim cadeia nele ja.
    a cara desse sujeito me da nojo

  • olheiro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Decreto-Lei 201-67, que rege a cassação de vereadores e prefeitos no Brasil prevê a votação de 2/3 de votos (ou seja 15 votos)...e com certeza vai prevalecer na justiça, mesmo que a lei organica ou regimento estipule quorum pela maioria uma vez que são leis menores...é pacífico na jurisprudencia brasileira; conclusão, vai faltar o voto do moralista VER. LUDIO, QUE LEU E ASSINOU O RELATÓRIO PELA CASSAÇÃO, MAS SE ACOVARDOU NA HORA DO VOTO, SABE-SE LÁ MOTIVADO POR QUE....QUE INCOERENCIA. ESSE SE QUEIMOU PRA SEMPRE

  • DUDU | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ESTRAVASDORNIA DA POPULAÇÃO QUIÇA A EXUBERANCIA POLITICA BUCEFALICA E OCLISILANTE DO NOSSO PARLAMENTO

  • Maga | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora a parte mas dificio devolução do dindin, quem será o peitudo para pedir o nosso do povo devolta???? O sociedade espera agora a vez da Tia Chicla, com essa devolução a Saúde vai ter um bom inclemento na pasta. Esperar para ver e crer. Viva a democracia.

  • Silvia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabens a todos o Vereadores que votaram pela cassação do Lutero, porem o maior mérito fica para o Deusimar, que não fraquejou diante de todas as pessões e conduziu tudo com bravura. penso que o Senhor ganhou muitos admiradores em Cuiabá.
    Espero que va para a Assembleia e faça um limpa lá tambem, depois para a Câmara do Deputados, quem sabe sua atitude encorraja outros a lutar pela moralidade na politica.

  • rosineyre carvalho fernandez | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ESTOU DECEPCIONADA COM O UNICO VEREADOR DO PT, QUE TENDO FEITO O RELATORIO PEDINDO A CASSAÇÃO DO LUTERO, SE ABSTEVE DE VOTAR . SERÁ QUE ELE NÃO ACREDITAVA DO SEU PROPIO RELATORIO? PARABENS AO POVO DE CUIABÁ. SÃO 282 ANOS DE EXISTÊNCIA DA CAMARA DE CUIABÁ, TINHA CERTEZA QUE, AINDA EXISTA GENTE DE VERGONHA NA CARA E AMOR A HISTORIA DESTA TERRA CUIABANA.SÓ ESPERAMOS QUE A CAMARA CONTINUE DEPURANDO ESTÁ NOBRE CASA, BOTANDO PRA CORRER: CORRUPTOS, MAFIOSOS E LARAPIOS DO DINHEIRO PUBLICO. HOJE ESTOU ORGULHOSO DE SER CUIABANO. OBRIGADO ÀQUELES QUE VOTARAM PELA CASSAÇÃO DO LUTERO E HASTA LA VISTA ÀQUELES QUE VOTARAM PELA NÃO CASSAÇÃO.QUE PAPELÃO O PT FEZ!

  • Maga | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Eu avizei mas o moço não quis me houvir, e agora que não vai pagar a TV da Igreja mesmo, promessa não paga, cassação na certa, não cumpriu levou. Vote, avizado foi....custava pagar tão pouco, agora perdeu muito para ser mais humilde, promessa e promessa...o que valeria miserios 620 reais???? Boa sorte nessa nova vida, sem a politica. Volte a ser empresario. Vai com Deus ou com o Diabo, para não ficar de mal com nem um dos dois.

  • sousa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    senhora Livia, o vereador está rindo, porque ele não vai devolver o dinheiro roubado do erário público. a justiça não tem peito pra determinar a devolução deste dinheiro.

  • Marco Cezar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    àqueles que votaram contra a cassação, só temos como arma contra eles nosso voto nas proximas eleições. Agora, pior ainda, são aqueles que se ACOVARDAM diante de tanta safadezas cometidas. JUDAS perdeu longe pra tu LUDIO. a RESPOSTA TODOS TERAO NAS URNAS.

  • Jaelson brunn | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Pessoal anotem aí os nomes: CLOVITO, LUECI E CHICO 2000, já eram, foram pro buquê.......... São malas, não votem mais neles.

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...