Últimas

Sexta-Feira, 13 de Novembro de 2009, 16h:05 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

Caso Lutero

Comissão é só história para boi dormir, esbraveja MCCE

   O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), uma das entidades que assinaram a representação que pede a cassação do ex-presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Lutero Ponce (PMDB), critica a Comissão Processante que investiga o caso. O coordenador Antônio Cavalcante Filho, o Ceará, e o assessor jurídico da entidade, Vilson Nery, explicam que nunca foram recebidos pelos vereadores Francisco Vuolo (presidente), Lueci Ramos (membro) e Lúdio Cabral (relator), que compõem a Comissão que apura suposto rombo de R$ 7,5 milhões.

   Ceará garante que os vereadores foram procurados, marcaram a reunião com os integrantes do MCCE, mas não compareceram ao encontro. Segundo ele, a postura da Comissão Processante “é um jogo de cena, uma conversa para boi dormir, atitude semelhante a um Pilatos fariseu. Ou (os vereadores da Comissão) são abertamente contra Deus ou fingem que são a favor (da cassação do mandato de Lutero)".

   Já Nery garante que ao negar publicidade ao processo, tentar extrapolar o prazo de 90 dias e inclusive impor condições para a sessão de votação, a Comissão Processante age com abuso. "E isso dá razão a que os eventuais prejudicados ingressem na Justiça, com aqueles processos intermináveis, de modo que a situação nunca se resolverá".

   Ainda segundo o assessor jurídico do MCCE, é possível que a própria Mesa Diretora da Câmara, presidida por Deucimar Silva (PP) possa suspender o julgamento de Lutero e reunir a Comissão de Constituição e Justiça, para decidir sobre procedimentos ou dúvidas no curso da sessão de cassação. Ele exemplifica com o recente caso de cassação do então vereador Ralf Leite. "O que foi aplicado no caso Ralf não pode ser negado na presente situação” conclui Vilson Nery, que entende que aplicar regra diferente para casos semelhantes fere o princípio da igualdade. “Uma derrapada agora pode anular a cassação dos dois, Lutero e Ralf”.

   Se Lutero vier a ser cassado, sua cadeira fica com o primeiro suplente do PMDB, empresário Arnaldo da Penha, que teve 3.476 votos nas urnas no pleito de 2008. (Flávia Borges)

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • jose aguilar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Acho interessante o trabalho do MCC, todavia, também acho que o Ceará deveria dizer de onde tira seu sustento e mais: o MCC não pode substituir o Ministério Público e nem votar no lugar dos vereadores no que diz respeito ao processo de afastamento de Lutero. Gostar ou não é uma opção; querer fazer valer vontade ainda que vontade coletiva na força é ditadura.

  • José Charles | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Esse Ceará só quer aparecer. Vai trabalhar......

  • joao alves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    gostaria de saber o q o mcce ta fazendo em relaçao ao caso pacenas, ate agora nada. que movimento imparcial fica calado em relação isso.

  • Atonio F. Mendes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Ceará deveria investigar e pedir a cassação do prefeito de Cuiabá e sua equipe que desviaram o dinheiro do PAC. Deveria tambem investigar a saúde que está un caus. Vamos la Ceará, afinal por que motivo que voce não investiga o Wilson?

  • ac | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    o ceara do mesmo jeito que vc reclama da comissao eu reclamo de vc, pois ate agora nao li em nenhum noticiario a sua opiniao sobre desvios de DEUCIMAR, porque vc nao o faz? Pois de lutero tambem ainda e um suposto superfaturamento

  • Deusdel Ferreira de Sousa Filho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou favorável a cassação do Lutero, mas o MCCE, no meu ponto de vista, perdeu a legitimidade de falar qualquer coisa sobre combate a corrupção.
    Assessores pago com o dinheiro do povo pra trabalhar para si mesmo ou para grupos?
    Só investigam ou denunciam partidos que não o PT?
    Complicado hein.
    Ah, eu recebia uns e-mail´s do tal do Ceará, mesmo sem pedir, mas já aprendi a barrar essas balelas.

  • joao | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Taisir coordena campanha de Eliene

taisir karim 400 curtinha   O ex-reitor da Unemat e uma das lideranças do PSD na região Oeste, Taisir Karim (foto), que chegou a se lançar de última hora como pré-candidato a prefeito de Cáceres, mas logo em seguida recuou, será o coordenador-geral da campanha de Eliene Liberato (PSB), atual...

Inaugurados 67 km de asfalto da 020

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes (foto) inaugurou nesta 5ª a pavimentação de 67,5 km da MT-020, entre Paranatinga e Canarana. Essa estrada faz parte do pacote de obras que foi retomado e já concluído nesta gestão. Foram investidos R$ 45 milhões do governo estadual. O...

Saggin critica "ditadura" e apoia Raye

paulo raye 400 curtinha   O empresário e advogado Sandro Saggin, que desistiu da candidatura a prefeito de Barra do Garças e agora apoia Paulo Raye (foto), do Pros, explica que em nenhum momento os diretórios estadual e nacional do Podemos, de cujo partido é filiado, encaminharam qualquer orientação aos...

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.