Últimas

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2007, 09h:35 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

Artigo

Cultura, diversidade e equívocos

     A Ordem dos Músicos de Mato Grosso diz possuir em torno de cinco mil associados. E parece que eles estão sendo prejudicados porque as prefeituras do interior têm contratado músicos de fora do estado, com dinheiro do Fundo de Fomento à Cultura, para fazer shows que, segundo um músico local e porta-voz da OMB-MT, eles mesmos podem fazer.  E pra
dar um jeito nessa questão de "estrangeiros" na cena musical mato-grossense, procuraram os Deputados José Riva e Walter Rabello. Não dá pra saber se eles - Ordem dos Músicos - propuseram ou se foram os Deputados que encontraram a solução: nesse palco não toca e nem dança gente de fora. Pronto, está resolvido. Através de uma lei estadual, o show será somente com gente nossa (de Mato Grosso)!!!
     Milhares de "showzeiros" locais devem estar felizes com a "propositura". Ah! Mas nem todo mundo acha que o show deva ser só com participação local, há aqueles - o povo do cinema, da literatura, das artes cênicas, das artes visuais, das danças, do hip-hop e funk entre outros - que defendem shows com ampla  diversidade e intercâmbios, independente de endereço ou local de nascimento do artista, pois sabem que isto é que constitui a dinâmica da cultura e que as sociedades conquistaram seus avanços ancoradas e estimuladas pela diversidade e pelos intercâmbios culturais.
     Entretanto, além de outros terem a certeza de que os shows não devem se constituir de uma única expressão no palco, no caso a expressão  local - temos, de repente, uma única entidade de classe (que não fala por todos os músicos) se transformar na voz da cultura em Mato Grosso,  assume o papel e voz do diverso Segmento Artístico Cultural!, como podemos ver registrado em texto  no site do Deputado Riva - "Esta propositura de Riva e Rabello causou no segmento artístico sentimento de confiança e esperança de mudanças motivo que levou os Deputados solicitarem discussão ampla sobre o assunto". E aqui que cabe informar- lhes, Deputados Riva e Rabello, que a Ordem dos Músicos não fala em nome da cultura de Mato Grosso. A Ordem dos Músicos fala em seu nome e de seus interesses, que até podem representar o desejo da maioria de seus associados. Será? Mas que não coadunam com os interesses de outras entidades, instituições e profissionais envolvidos com as lides do fazer cultural. E, dito isso, é preciso, caros Deputados, que os senhores reconheçam e insiram em seus sites e em seus pronunciamentos esta informação: de que foram procurados por uma única entidade e a nomeie.
     Destaque-se a ainda que não é o interesse e menos ainda o entendimento de todos os músicos desse estado. E também é preciso reconhecer que, no mundo da cultura de Mato Grosso, existem outros "atores" e interesses que não são supérfluos e tampouco desqualificados. São aqueles que acreditam no poder transformador da cultura, de gente que
não aceita o "eles que se virem" como resposta, nem para si e nem para Mato Grosso. Porque, e isso sim é importante, o que é preciso defender não é a reserva de mercado ou o monopólio, equivocadamente, proposto por uma entidade. Não é direito da Ordem dos Músicos estabelecer como os shows de outros cidadãos, contribuintes ou entidades deva-se organizar e acontecer. O que necessita ser defendido com vigor permanente, Senhores Deputados, são os artigos inscritos tanto na Constituição Federal quanto na Estadual no que se refere aos direitos culturais, de informação e de comunicação. O que deve ser atacado é a xenofobia, essa excrescência prima-irmã do fascismo.
     Ah, em tempo! E com as prefeituras alguém conversou? Porque aparentemente o problema começa lá, não é mesmo? Não são elas que querem - contratam - shows com rostos e sons de além de nossas fronteiras. E por que é que esses shows  têm  satisfeito ao paladar de nossos prefeitos Mato Grosso adentro?

Sergio Luiz S. Brito, documentarista, e Wander Antunes, contista e roteirista de histórias em quadrinhos, são membros do Fórum Permanente Mato-grossense de Cultura.


 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Com Covid-19 e frequentando a AL

paulo araujo 400   O deputado Paulo Araújo (foto), do PP, está com reinfecção pelo Covid-19 e, mesmo assim, continua frequentando o prédio da Assembleia normalmente, como se não tivesse contaminado. Na primeira vez que foi infectado pelo vírus, também fez igual. Colegas parlamentares e...

2 abstenções e briga pela 4ª Secretaria

silvio favero 400   Dois deputados se abstiveram na eleição da Mesa Diretora da Assembleia desta terça cujo votação foi secreta. Nos bastidores, os comentários são de que as abstenções foram de Sílvio Fávero (foto), que se lançou à disputa e, sequer, teve...

Petista, incoerência e voto contrário

ludio cabral 400   O petista Lúdio Cabral (foto), daqueles parlamentares do morde e assopra, na tentativa de marcar posição, expõe cada vez mais suas incoerências em votação na Assembleia. Na sessão que antecedeu a eleição para a nova Mesa Diretora, provocada pela decisão...

Projeto sobre VI na Saúde está na AL

gilberto figueiredo 400 curtinha   Já está na Assembleia, para votação dos deputados, o projeto do governo que garante retomada do pagamento da verba indenizatória aos profissionais da Saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 nas unidades hospitalares, ambulatoriais e...

2 desembargadores vão para TRE-MT

carlos alberto tj 400 curtinha   O Pleno do Tribunal de Justiça define, na quinta (25), em votação secreta e por videoconferência, dois desembargadores que comporão os quadros de comando do TRE-MT pelos próximos dois anos. O ex-presidente do TJ, Carlos Alberto Alves da Rocha (foto), é um dos inscritos...

Primeira-dama pede retorno de auxílio

marcia_pinheiro_curtinha400 Primeira-dama de Cuiabá Márcia Pinheiro (foto), em visita à sede do Rdnews e entrevista ao Rdtv, pede que a bancada federal de MT se mobilize e vote favorável ao retorno do pagamento do auxílio emergencial às famílias em situação de vulnerabilidade. Márcia...