Últimas

Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2007, 22h:08 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

Artigo

Cultura em pé de guerra

     A calmaria no meio cultural rompeu-se. Duas matérias jornalísticas turvaram as águas. Uma - Estado gasta mais de R$ 2 mi em concertos - encontra-se na RDNews (12/10), na qual, é resumido o conteúdo da Portaria n. 48, emitida pela Secretaria de Cultura. Por aquele dispositivo, são destinados R$ 2,1 milhões para 68 apresentações de concertos públicos e didáticos da Orquestra de Câmara de MT. Assim, até março/2009, Cuiabá e mais 34 cidades assistirão aos espetáculos. A Secretaria objetiva "fomentar e potencializar a música popular e erudita, possibilitando a sociedade em geral o acesso às artes".

      A outra matéria - Tem polêmica à vista - foi veiculada no Diário de Cuiabá (14/10). Sua essência versa sobre o conteúdo do Projeto de Lei (PL) n. 149/2007, assinado pelos Deputados Riva e Rabelo. A discórdia está no 4º par., no qual se lê: "Os projetos (culturais) apresentados deverão promover a contratação de artistas locais de MT,sendo vedada a contratação, com recursos provenientes do Fundo Estadual de Fomento à Cultura, de artistas de outros Estados". Visando à proteção de artistas locais, o artigo impõe a lógica abominável da reserva de mercado. À defesa disso, saiu a Ordem dos Músicos/ MT, representada por um deles. No mais, só ataque; até o Secretário de Cultura de Cuiabá condenou o PL. Um dos artistas lembrou que "...a cultura é livre, não tem raça, religião ou fronteira".

     Dessa lembrança, vejo que o cerne da discussão não se restringe ao ataque à reserva de mercado. Sei disso por meio de dois e-mails que recebi de integrantes de um fórum cultural. Por esses, pressinto que o representante dos Músicos não fala sozinho ou apenas pela Ordem. Em um dos e-mails, a matéria da RDNews - acima referida - foi-me enviada com o seguinte comentário: "Que maravilha"; grafado com maiúsculas e seguido de exclamações.

     Esse conjunto sígnico tem dupla interpretação, podendo ser de concordância ou não com tudo que está na matéria. Se for, o que direi a partir de agora deve ser desconsiderado. Se não for, o enunciado, pretendendo ser irônico, diz o oposto da essência do que está enviando. Contudo, nesse caso, opor-se, sem identificar exatamente a que está se opondo, parece-me trazer mais problemas que soluções. Como já disse, a matéria da RDNews trata do dispositivo legal (portaria) que destina recursos à Orquestra, o que possibilitaria a realização do conteúdo musical em si. Por isso, nesse caso, ao se comentar a portaria, é prudente separar as coisas; juntando-as, podem-se engrossar vozes desafinadas.

      Como cidadão, refuto os dispositivos antidemocráticos; porém, isso não me permitiria atacar o trabalho da Orquestra. Pelo seu competentíssimo desempenho e pela lógica pública e didática presentes nos concertos eu só posso desejar que os recursos necessários sejam garantidos. Portanto, minhas considerações estão fora da discussão do campo legal para o orçamento; estou discutindo no campo do conteúdo/qualidade.

      Agora, a verdade é que, com a criação da Orquestra, além de aumentar a disputa pelos recursos, o nível cultural subiu de tom. Isso exige melhor qualidade de outras manifestações. A qualidade da Orquestra é tão inegável que nem o melhor do regional é desprezado; ganha roupagem de câmara. Se ouvir um tradicional rasqueado já era digoreste(i), agora, ficou ainda mais fino.

      No outro e-mail que recebi - salvo erro de interpretação- seu remetente, em que pese oponha-se à política feita por portarias e ressalva não ter "Nada contra os músicos, orquestra etc...", ao comentar, indiretamente, a mesma matéria da RDNews, disse, brincando com a palavra "evento", que o trabalho da Orquestra "...é vento. Cultura do morango no bolo. Só serve para abrilhantar festas..." Fez mais: incitou os músicos da Ordem a questionarem se só há músicos de MT na Orquestra. Tal incitação, mesmo não pretendendo, engrossa o coro das vozes que defendem a reserva; afinal, os curricula dos músicos da Orquestra são conhecidos. Quase todos são oriundos de outros locais do Brasil e do mundo. No mais, dizer que a Orquestra é "cultura do morango no bolo" é um desafino que machuca demais os ouvidos. A cultura não merece isso.

     Roberto Boaventura da Silva Sá é doutor em Ciências da Comunicação/USP e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...

Candidato da família Oliveira à Câmara

luluca 400 curtinha   O jovem advogado Luluca Ribeiro (foto) é uma das apostas do MDB por renovação na Câmara da Capital. Concorre a vereador e tende a "herdar" o espólio político da família Oliveira, dos tios Dante, ex-governador que morreu em 2006, e Thelma, prefeita de Chapada dos Guimarães....

Deputado tenta censura e sem êxito

xuxu 400 curtinha   Em duas tentativas, o deputado estadual Xuxu Dal Molin (foto), candidato a prefeito de Sorriso pelo PSC, tentou, sem êxito, censurar o portal Rdnews. Na 1ª Vara Cível da Comarca de Sorriso, Xuxu ingressou com pedidos de antecipação de tutela, pleiteando retirada do ar de matérias que...

Rei do Gado entra numa difícil disputa

mauricao 400 curtinha   O leiloeiro Maurição Tonhá (foto), chamado por muitos de "Rei do Gado", está de volta à disputa eleitoral. O pecuarista com bens avaliados em R$ 19 milhões é candidato pelo DEM a prefeito de Água Boa, muncípio já administrado por ele por dois mandatos. Em...

Ajudando a enterrar CPI do Paletó

luciana zamproni 400 curtinha   O Palácio Alencastro está convicto de que, assim como na primeira votação, o relatório da CPI do Paletó que propõe punição ao prefeito Emanuel e vai ser votado nesta terça, será arquivado pela maioria dos vereadores cuiabanos. O desfalque do...

8 candidaturas e Thelma com chances

thelma de oliveira 400 curtinha   Mesmo sem apoio de nenhum outro partido, a não ser do seu PSDB, enfrentando forte desgaste político e rejeição popular e ainda problemas de saúde, se recuperando de tratamento de câncer de mama, a prefeita Thelma de Oliveira (foto) ainda tem chances de...