Últimas

Quarta-Feira, 05 de Novembro de 2008, 19h:49 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:21

SENADO

Da tribuna, Jayme "detona" segurança do Estado


Senador Jayme Campos (DEM), em pronunciamento nesta 4ª
Foto: Geraldo Magela

  Em pronunciamento da tribuna nesta quarta, o senador Jayme Campos (DEM) criticou a área de segurança pública do governo Blairo Maggi, de cuja coligação majoritária se elegeu nas urnas de 2006. O democrata lembrou que semana passada havia pedido a Maggi e aos agentes e investigadores de polícia que estavam em greve muita moderação nas negociações  e que os dois conseguiram chegar a um entendimento.

  "Por força de ofício, não me furtei ao dever de apontar algumas falhas das autoridades estaduais na gestão do setor, mas o fiz de forma responsável e impessoal, sem agredir ou atacar ninguém", comentou Jayme Campos. Em seu pronunciamento ele não citou o nome do secretário-chefe da Casa Civil, Eumar Novacki, que o rebateu e apontou avanços do governo estadual na segurança pública. Jayme ficou na bronca, mas preferiu fazer um discurso um tanto cauteloso para não alimentar as divergências já afloradas com o Palácio Paiaguás devido ao efeitos das urnas de 2008 e sob articulações rumo ao pleito de 2010.

  Jayme disse que Mato Grosso vive uma séria crise na área de segurança pública. Segundo ele, isso ocorre pela falta de aptidão do Palácio Paiaguás para promover uma profunda e eficiente reestruturação nesse setor. "Os efeitos dessa apatia gerencial se refletem nos índices de violência que fazem de MT, atualmente, um dos territórios mais perigosos do país. Digo isso com profunda tristeza, pois nossa região é um sinônimo de bons exemplos de prosperidade e de dinamismo."

    O senador afirmou que há 20 anos existiam 214 delegados trabalhando em MT, que contava com 58 municípios. Hoje, são 141 cidades e o número de delegados decresceu para 207. "Na verdade, temos 26 comarcas e 42 municípios sem delegado de polícia, o que é muito grave". Segundo o parlamentar, "isso se configura um flagrante desrespeito à Lei Estadual  7.935/03, que fixa um efetivo de 400 delegados para cobrir o vasto território de 906 mil km2.

   A mesma legislação impõe um quadro mínimo de 1,2 mil escrivães e 4 mil investigadores. De acordo com Jayme, a realidade é muito diferente, já que a Polícia Judiciária Civil de MT possui apenas 400 escrivães e menos de 2 mil investigadores, um déficit de 200% de agentes de polícia. "A falta de pessoal acaba redundando na elevação dos índices de criminalidade na região.

    Diz também que o Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros de 2008, editado por entidades do próprio governo federal, aponta três cidades mato-grossenses entre as dez localidades com maior taxa média de homicídios no nosso país. São elas: Colniza, Itanhangá e Juruena. Esse mesmo levantamento atesta que ocorreram 870 assassinatos em MT em 2006 – período de coleta dos dados referentes a essa amostra.

Postar um novo comentário

Comentários (25)

  • marli pedroso | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    jaime aproveita e faz alguma coisa para modificar essa arcaica lei penal, fleuri, que beneficia corruptos, ladroes , empresas de politicos.
    em brasilia os deputados e senadores aprovam leis que beneficiam o povo e os parlamentares , qdo votam leis que beneficiam só o povo eles não aprovam...

  • alberto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    por que senador , que vcs não acabam com prisão especial para quem tem curso superior?coloca todos no msm nivel

  • SÉRGIO ALCÂNTARA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A segurança do estado está em um nível crítico mesmo...vivemos com medo...

    O atual Secretário deve investir em serviço de inteligência, inclusive para investigar a própria polícia, visando desmantelar quadrilhas e bocas de fumo, antes mesmo que causem maiores prejuizos para a sociedade, assim o estado economizará em munições e perda do efetivo, além, é claro, de fazer um limpa nos policiais ruins e ser mais criterioso na seleção de policiais...

    O atual governo precisa investir mais em segurança, valorizar a PM e Polícia Civil, capacitar e aparelhar a polícia com equipamentos de última geração: infra-vermelho para operações noturnas, equipamentos que visualizam pessoas através de paredes, através do calor do corpo, armas de descarga elétrica. O investimento será alto mais o retorno será garantido... Vamos modernizar nossa polícia...

    Espero que o governo recupere a credibilidade da população nesta área tão importante pois esperamos criar nossos filhos sem traumas, sem medo...

  • newton veloz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ai, ai, ai...

    jaime nao sabe mais o que fazer para aparecer...

    cuidado, quem muito fala da bom dia a cavalo.

  • Gilmar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infelizmente o Senador jaime Campos não é a autoridade mais indicada para criticar a segurança publica e nem os Dep. Estaduais, eles não deram conta nem de fiscalizar a propria Assembléia, a segurnça publica é um problema cronico e não esta somente ligado a questão salarial e tem tudo a ver com a conduta.

  • Thiago José dos Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infelizmente vivemos o caos na Segurança Pública!

    Eu sou servidor público, do Sistema Prisional, e vivemos a falência na Estrutura, e ninguem faz nada!

    Ou melhor, fazem de conta que esta tudo bem!

    Presenciamos colegas nossos da área da policia judiciaria, sempre reclamar da falta da valorização da categoria, e que a greve é inevitavel, que bom que chegaram num entendimento.

    Logo, esperamos que nós Agentes Prisionais, sejamos valorizado, para não ter que parar o parado SISTEMA PRISIONAL o qual já carregamos nas costas no dia a dia.

    Estamos numa comissão de mobilização, e vamos buscar dialogo, mas se não houver entendimento com essa ASSESSORIA QUE AI ESTA, QUE TENTAM DE TODOS OS MODOS ESCONDER A REALIDADE DO GOVERNADOR!

    Iremos seguir os exemplos do SIAGESPOC, que buscou apoio do Senador Jaime!

    Hoje, num dialogo com os Agentes Prisionais de Rondonopolis, Sinop, Agua Boa, Cuiabá, Varzea Grande, Cáceres, VAMOS LUTAR PELA MELHORIA DO SISTEMA SIM! PELA NOSSA LEI ORGANICA, PELA VALORIZAÇÃO DA CATEGORIA, PELA LOGISTICA DE TRABALHO, PELA CONSTRUIÇÃO DE NOVAS PENITENCIARIAS E CADEIAS PÚBLICAS.

    Espero que buscamos soluções antes do final do ano, para que a categoria não queira cruzar os braços no NATAL ou ANO NOVO!

    Parabens Senador, sua visão, foi sensivel a realidade!

    Queremos apoio da sociedade, da imprensa, pois tratar de segurança pública hoje em Mato Grosso, É TRATAR DE VIDAS!

    Senhor Governador Blairo Maggi, começe a puxar as rédeas do teu governo e buscar as realidade de cada secretaria, pois tem muita maquiagem e pouca ação nesse Estado que esta mais forte!

  • Marilia Castanha Lima | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Já imaginou, se o Senador Jaime Campos, expõem na Tribuna do Senado, que o Governo de Mato Grosso é incompetente em cumprir com 17 mil mandados de prisões, por não ter um Sistema Prisional adquado.

    E sim, um sistema prisional fálido, incapaz de desenvolver ressocialização, de cumprir a lei de execução penal!
    Que os Agentes Prisionais são verdadeiro herois no dia a dia para desenvover suas funções num expediente de risco no meio de traficantes, ladrões, estupradores, assassinos, agressores, sequestradores!

    Já imaginou, se o Senador Jaime, colocar, que o quadro da policia civil, é impedida de desenvolver seus trabalhos, por questões de falta de papel, computadores, fax, internet, maguina digital!

    Já pensou, se o Senador Jaime, falasse da nossa fronteira seca, onde trafico de drogas e armas são constantes! E NINGUEM FAZ NADA! NEM BLAIRO MAGGI, NEM LULA!

    Já pensou, se o Senador Jaime Campos, falasse do complexo Pomeri, que é a faculdade do crime dos adolescentes!

    Vamos sim mobilizar a sociedade, pois é a sociedade que esta sofrendo deste mau, DEVIDO A FALTA DE ATENÇÃO DAS AUTORIDADES, A OMISSÃO COM SEGURANÇA PÚBLICA!

  • João da Morte | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quando é que vamos tratar nossa fronteira com a Bolivia de forma mais responsavel!

    Pois o trafico de drogas e de armas, carros roubados, carretas, estão exageradamente sendo tratado como normal em Cáceres.

    Outra situação vergonhosa, é que os traficantes que cumpre pena na Penitenciaria de Cáceres, quando sai de alvará, eles assino um livro num setor prisional no centro da cidade, e são mais de 200, todos são de fora, mas tem que ficar cumprindo pena livre, e como sobrevivem essas pessoas, traficando novamente, já que os mesmos, conhece a rota do trafico.

    tinha que ter uma atitude o governo do estado!

  • Karla Santina | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    nossa segurança é uma piada, pagamos imposto pra nada!

    maggi não ta nem ai, pois ele tem segurança paga por nós, usa policiais 24 horas na sua casa.

    o povo que se vira!

    na tv só escutamos o povo falar de greve da policia, de escrivão, de delegados, de agentes prisionais, quase houve a paralisação da pm, que emblomarão com um fastamagorico aumento que não houve para os soldados, cabos!

    o que será que o governador pensa, ou melhor, por que ele não demite esses puxa sacos que ficam fingindo que estão trabalhando para a segurança!

    ontem li uma matéria sobre rondonopolis, la já fugiram 200 presos só este ano, isso ai é uma piada, assim que respeito vai ter os agentes prisionais, a policia, e o proprio governador!

    e não demitiram o diretor, não demitiram o superintendete que vive com um discusso de ressocialização sem estrutura nenhuma, só sonhando!

    por favor, a coisa é séria, ta uma bomba!

  • Leomar Santana | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    GOSTARIA DE SABER O QUE O NOBRE SENADOR JAYME CAMPOS, ESTÁ FAZENDO POR MATO GROSSO? QUAIS SÃO AS SUAS PROPOSTAS? O QUE ELE JÁ TROUXE DE CONTRIBUIÇÃO PARA MINIMIZAR O PROBLEMA DA SEGURANÇA PÚBLICA?
    ELE FICOU MAIS TEMPO AQUI DO QUE EM BRASÍLIA, MAS PERDEU GRAÇAS A DEUS.
    AGORA USA A TRIBUNA PARA DECLARAR SEU REPÚDIO AO GOVERNO DO ESTADO. ISSO É SIMPLESMENTE RIDÍCULO!!!

Apelo dramático da Santa Casa de ROO

bianca talita 400 santa casa roo   A superintendente da Santa Casa de Rondonópolis, Bianca Talita (foto), fez um apelo dramático nesta terça, num grupo de WhatsApp, esperando sensibilizar o prefeito Zé do Pátio a repassar com urgência os recursos que estão repressados no Fundo Municipal de...

Emendas para todos os 24 deputados

Max 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Max Russi (foto), em visita ao Grupo Rdnews, quando concedeu entrevista ao portal e à tv web Rdtv, defendeu as emendas impositivas, que são indicadas pelos deputados e pagas pelo governo, via orçamento. Lembra que são instrumentos importantes para fazer com que obras e...

Deputado defende cultos com até 600

sebastiao rezende 400   Num momento em que a segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus avança em MT, levando o governo a retomar medidas restritivas para evitar colapso, já que cerca de 90% das UTIs estão lotadas, o deputado Sebastião Rezende (foto), da Igreja Assembleia de Deus, teve a...

"Batida" em apresentador por engano

ricardo martins 400   Durante a dupla operação deflagrada pela PF nesta terça em alguns municípios de MT, entre eles Cuiabá, agentes federais, por um equívoco no cumprimento de mandados, acabou batendo na porta do apresentador da TV Cidade Verde, Ricardo Martins (foto), que não tem a ver com o caso....

Paccola é cotado para diretor-geral

gianmarco paccola 400   O discreto e atuante delegado Gianmarco Paccola (foto), hoje diretor-geral-adjunto da Civil, já desponta nos bastidores como nome preferencial do Palácio Paiaguás para eventual substituição a Mário Demerval, que deve mesmo deixar o posto de diretor-geral para disputar as...

Luta pra isentar parte dos aposentados

eduardo botelho 400 curtinha   Primeiro-secretário da Assembleia, Eduardo Botelho (foto) disse que foi criada espécie de força-tarefa dos deputados para fechar um acordo com o governo, de modo a ajudar aposentados e pensionistas e portadores de doenças raras para isenção do pagamento da alíquota da...