Últimas

Quinta-Feira, 28 de Agosto de 2008, 17h:38 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:21

Artigo

De Apiacás a Alto Taquari

   Amigos,

   Como todos sabem nunca uma escolha de desembargador pelo quinto constitucional despertou tantas manifestações na imprensa. Independente dos motivos eleitoreiros que movem diversos autores de artigos que tem nos últimos meses atacado nosso Conselho, embora a tese de diretas seja sob alguns aspectos defensável, a situação peculiar da advocacia de Mato Grosso me faz acreditar que a forma mais democrática de escolha da lista do quinto seja pelo voto dos Conselheiros.

  Tive a honra de testemunhar e participar da escolha das duas últimas listas do quito constitucional, e considero a partir de depoimento de vários candidatos que estes não teriam sequer concorrido se a eleição se desse pelo voto direto.

    Num Estado de dimensões continentais como é Mato Grosso, uma campanha dessa natureza, só seria possível a profissionais com grande potencial financeiro que estivessem dispostos a sacrificar parte de seu patrimônio numa concorrida campanha na qual apenas um poderia se sagrar vencedor. Foi neste mesmo sentido que na gestão anterior se manifestaram os eminentes e experientes ex-presidentes da OAB/MT, Dr. Renato Gomes Nery  e Dra Maria Helena Gargaglione Povoas, chegando a última a afirmar categoricamente que se retiraria da disputa se tivesse que percorrer todo o estado em busca de votos, por não ter condições financeiras para tanto.

   Naquela oportunidade, me convenci por tais argumentos permanecendo fiel a tese de que a forma mais democrática de escolha do quinto é a atualmente eleita pelo Conselho, vislumbrando que num futuro próximo poderia aferir se a decisão restou acertada.

    O presente me mostra que não poderíamos ter feito melhores opções. A brilhante atuação dos desembargadores Maria Helena Gargalione Povoas e Luiz Ricardo Alcântara , últimos representantes do quinto constitucional escolhidos por parte dos que hoje compõe o Conselho, me fazem acreditar que não cometi qualquer erro.

   Sem qualquer crítica aos advogados que por sua competência conseguiram retirar significativo resultado financeiro da profissão, entendo que competência nem sempre anda junto com sucesso financeiro. E nem precisaríamos fazer nenhum profundo exercício de raciocínio para obtermos tal conclusão.

   Deparamo-nos diariamente na Ordem com situações de grandes profissionais da advocacia que sequer conseguem pagar suas anuidades. Hoje e no passado tivemos candidatos ao quinto constitucional, integrantes do serviço público que, embora razoavelmente bem remunerados, não estão preparados para enfrentar uma campanha na qual terão necessariamente que se apresentar para advogados em mais de 140 Municípios do estado.

    Como dizer aos abnegados advogados professores que em prejuízo do próprio escritório se dedicam a colaborar com o ensino superior notoriamente mal remunerado, que terão que ir de APIACÁS A ALTO TAQUARI pedindo votos?. Seria justo portanto excluirmos da disputa, defensores públicos, procuradores de Estado, advogados públicos, professores, jovens, e principalmente advogados do interior que muitas vezes não tem a projeção estadual dos advogados da capital, principalmente pela distância dos meios de comunicação de massa?

    Penso que não.

    Se assim tivesse ocorrido no passado, não teríamos escolhido para o quinto constitucional o jovem e competente advogado Luis Ricardo Alcântara, de Sorriso, que com menos de 40 anos de idade e com atuação no norte do estado, hoje bem representa a advocacia no TRT da 23ª Região. Na escolha dos integrantes da chapa da gestão atual e anterior, se procurou contemplar advogados das mais diversas categorias representativas e funcionais. Temos, portanto, em nosso Conselho, professores, procuradores, defensores públicos, jovens advogados, advogados do interior do estado, que poderão abraçar a candidatura de colegas, tendo seu voto peso de 1 em 26 conselheiros, o que é muito mais representativo e democrático do que 1 em 6000 advogados.

    Tenho acompanhado a curiosa campanha pelas diretas que tem como integrantes notórios opositores da atual gestão. Embora considerasse que se tratava
apenas de discurso eleitoreiro a ser usado na sucessão da OAB, analisei atentamente os eloqüentes argumentos que fundamentam tal campanha e confesso que cheguei a titubear quanto a possibilidade de mudarmos a atual forma de escolha.

    Todavia, após ler no site "paginadoe.com.br", do jornalista Enock Cavalcanti, o artigo publicado em 26/08/2008 do eminente e competente advogado João Celestino Correa da Costa, que interrompendo sua viagem entre LONDRES E SAINT TROPEZ, manifestou-se com relação ao Conselho que "Mas de tudo o que vale é a impressão de que eles estão na parede com nosso movimento.", não tenho mais dúvida que estamos no caminho certo.

    Ao contrário do que pensam nossos opositores, não estamos nem nunca estaremos na parede. Esta não é uma eleição com o perfil "LONDRES A SAINT
TROPEZ" mas sim de "APIACÁS A ALTO TAQUARI". Mesmo assim, os professores, procuradores, defensores públicos, jovens
advogados e advogados do interior do estado que pretenderem se candidatar ao quinto não precisarão percorrer toda esta distância para se apresentar a 6000 advogados em todo estado. Bastará exporem seus currículos e idéias a 26 conselheiros e 8 ex-presidentes.

   Foram eles, pelo voto direto e democrático, escolhidos e credenciados a falar por toda a classe, nela incluídas todas as categorias, mesmo que minoritárias, mas que em nosso Conselho estão representadas em igualdade de condições.

    Daniel Paulo Maia Teixeira é adovado e secretário-geral da OAB/MT

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Rejeição a Abílio sobe e cai a de EP

abilio junior 400 curtinha   Nos últimos 15 dias, o candidato a prefeito da Capital, Abílio Júnior (foto), do Podemos, viu a rejeição aumentar 12 pontos percentuais, quase um por dia, saindo de 19% para 31%, de acordo com a nova rodada da pesquisa Ibope, divulgada nesta sexta pela TV Centro América....

Fávaro deixa governador em saia-justa

carlos favaro 400 curtinha   O senador interino do PSD, Carlos Fávaro (foto), que busca a reeleição, deixou o governador Mauro Mendes (DEM) em uma saia-justa em Barra do Garças. Mendes, que já declarou apoio no horário eleitoral ao candidato à sucessão municipal Wellington Marcos, do mesmo...

Sob efeito-cavalo paraguaio em ROO

thiago muniz 400 curtinha   Em Rondonópolis, o candidato a prefeito, vereador e empresário Thiago Muniz (foto), se transformou num cavalo paraguaio, expressão muito usual no futebol quando se refere a um time que dispara no início do campeonato mas, lá pela metade, começa a cair pelas tabelas. Acreditava-se...

Lula na TV deve afundar mais Julier

lula 400   O advogado Julier Sebastião da Silva, que disputa pela segunda vez a Prefeitura de Cuiabá - na primeira, em 2016, pelo PDT, ficou em terceiro lugar e, agora, pelo PT -, levou para o seu horário eleitoral o ex-presidente Lula (foto). A participação, com pedido de voto para Julier, da maior...

Na contramão dos investimentos

jose wenceslau 400 curtinha   Ao invés de reconhecer e aplaudir a iniciativa do governo estadual, que anunciou investimentos de R$ 9,5 bilhões em obras e ações, sendo R$ 6 bilhões (63%) de recursos próprios, a Fecomércio-MT, sob José Wenceslau Júnior (foto), reagiu com críticas....

Filho de ex-deputado rumo a vereador

willy taborelli 400   O coronel PM da reserva e ex-deputado estadual Perry Taborelli, que concorreu e perdeu para prefeito de Várzea Grande em 2016, lançou de novo o filho à cadeira de vereador. Trata-se do jovem advogado Willy Jacyntho Taborelli (foto), de 32 anos. Desta vez, ele concorre pelo PV. Na eleição...