Últimas

Quarta-Feira, 25 de Abril de 2007, 09h:57 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

De novo, o hedonismo

 

    Realizamos um workshop com quatro deputados federais, um deputado estadual, dois vereadores de Cuiabá, um ex-vereador, um ex-senador e mais 50 pessoas, entre intelectuais das mais variadas origens e formações, na última segunda, para debater o que chamamos de "percepção do eleitor cuiabano sobre os deputados federais de Mato Grosso".
    Presentes os deputados Carlos Abicalil, Eliene Lima, Homero Pereira e Pedro Henry. Como debatedores, a cientista política Alair Silveira e os jornalistas Janaína Pedrotti, Marcos Lemos e Onofre Ribeiro.
    A soma das intervenções feitas traduz de modo muito legítimo praticamente a totalidade das interpretações possíveis sobre alguns fenômenos detectados pela KGM em pesquisa realizada em março, como 72% de esquecimento nos candidatos a federal ano passado, 64% de desconhecimento da atribuição de um parlamentar federal, e mais de 60%, em média, de desconhecimento sobre quem são nossos legisladores de Brasília.
    Anoto algumas considerações feitas por deputados e debatedores:
1) Há um distanciamento muito grande do deputado federal com o cidadão, na base. Muitos inclusive afirmaram que o grau de conhecimento sobre os deputados estaduais deve ser maior.
2) As crises políticas diversas, sobretudo as do ano passado, como Mensalão e Dossiegate, afetaram negativamente a imagem dos deputados federais em geral.
3) Há um desinteresse natural das pessoas comuns por política.
4) Por outro lado, os baixos índices de conhecimento e aprovação da nossa bancada pode significar um protesto mais ou menos consciente da população.
5) Os deputados federais se comunicam mal, o que potencializa a deformação da sua percepção pela população.
6) A mídia ou imprensa em geral estimula a cobertura de crises, enquanto dá pequena ou nenhuma importância para as ações positivas dos parlamentares.
7) Os deputados, como os políticos em geral, só são melhor percebidos quando dão resultados práticos para as pessoas comuns.
8) A situação exige uma reflexão coletiva, a partir dos próprios deputados (principais vítimas da percepção generalizadamente negativa), mas também da sociedade e da imprensa.
    Uma linha puxada por Onofre Ribeiro, mas defendida também pelos demais participantes do workshop, sustenta mais ou menos o seguinte: vivemos uma espécie de caos social e político. Mas, o período de normalidade estaria por vir. Já Carlos Abicalil coloca que os "nãos" manifestados pelos eleitores cuiabanos na pesquisa da KGM demonstram certa intenção de sua parte, e isso nos chama a todos à reflexão.
    Penso que a situação em que vivemos tende a durar um bom tempo. Não porque concorde plenamente que vivamos no caos. Entendo os nãos do eleitor com uma dose de consciência, certamente, mas aquela consciência típica da pós-modernidade - tema a que tenho recorrido muitas vezes aqui nesse espaço.
    É o estado de consciência em que os indivíduos não se dispõem a envolver-se nas questões sociais, preferindo cuidar apenas daquilo que está ao seu alcance pessoal. Como os problemas da sua quadra, da sua rua, do seu quintal.
    É o estado da deserção social, substituída pelo prazer pessoal, pela satisfação de pequenos grupos, tais como família, amigos íntimos, etc. É o hedonismo substituindo as ideologias, superando e até negando a política. No que isso vai dar, bem, essa resposta merece um outro workshop.


Kleber Lima é jornalista pós-graduado em marketing e analista político em Cuiabá. E-mail: kleberlima@terra.com.br / ww.kgmcomunicacao.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Poconé tem hoje vários "prefeitáveis"

euclides santos 400 curtinha   O ex-vereador e ex-prefeito de dois mandatos de Poconé, Euclides Santos (foto), que era do MDB e agora está no PSDB, vem se movimentando nos bastidores para concorrer novamente à sucessão municipal. Seria um dos nomes de oposição ao prefeito Tatá Amaral, que vai tentar...

Apostas do PTB para vereador em VG

silvio fidelis 400 curtinha   Detentor da segunda maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com cinco assentos, atrás somente do DEM da prefeita Lucimar, que conta com sete vereadores, o PTB aposta na hipótese de ao menos manter as cinco vagas. E todos os seus vereadores vão à reeleição, sendo...

Despesas e o uso eleitoreiro de CPI

marcelo bussiki 400 curtinha   Buscando visibilidade pela reeleição em ano eleitoral, alguns vereadores da Capital, vergonhosamente, usaram e abusaram de dinheiro público para promoção pessoal na esteira da CPI do Paletó. A tendência é do relatório paralelo que pede afastamento do...

Sorriso incentiva 40 projetos culturais

ari lafin 400 curtinha   A seis meses de concluir o mandato, o prefeito de Sorriso, Ari Lafin (foto), estabeleceu, dentro do Plano Municipal de Cultura, o "PROMIC - Festival da Cultura 2020" para contemplar 40 projetos cujos valores somam R$ 340 mil, envolvendo artes visuais, artes cênicas, cultura popular, música, audiovisual,...

Quase R$ 2 mi para o Lucas Protegida

binotti 400 curtinha   A Prefeitura de Lucas do Rio Verde, sob Luiz Binotti (foto), contratou, por R$ 1,9 milhão, um consórcio formado pela Rocha Comércio de Equipamentos, que ficará com a maior "fatia" de R$ 1,4 milhão, e a Airplates Tecnologia da Comunicação, com R$ 521,7 mil, para desevolver o...

Silêncio sobre operação e elo com MBL

ulysses moraes 400 curtinha   O deputado de primeiro mandato Ulysses Moraes (foto), que deixou o DC e se filiou ao PSL, coordenador em Mato Grosso do Movimento Brasil Livre (MBL) e chamado por muitos de paladino da moralidade, mesmo sendo bastante ativo nas redes sociais, não usou a internet para comentar a operação da...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.