Últimas

Sexta-Feira, 22 de Dezembro de 2006, 07h:28 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Desvios de finalidade

Em artigo intimulado 'Desvio de finalidade', publicado no Diário de Cuiabá desta sexta (22), o conselheiro do TCE/MT, Valter Albano, afirma que tem se posicionado 'contrária à vinculação de receitas e à existência de fundos públicos em geral e de órgãos na administração indireta, por entender tratar-se de instrumentos que afrontam o princípio democrático e o poder delegado pelo povo às autoridades do Executivo e Legislativo.'

Confira reprodução na íntegra abaixo:

Desvios de finalidade

     Tenho posição contrária à vinculação de receitas e à existência de fundos públicos em geral e de órgãos na administração indireta, por entender tratar-se de instrumentos que afrontam o princípio democrático e o poder delegado pelo povo às autoridades do Executivo e Legislativo. Penso que são admissíveis quando criados com objetivos específicos e por tempo determinado.

     Como exemplo, na condição de secretário de Estado de Educação, apoiei a criação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental - Fundef pelo governo Fernando Henrique Cardoso, com o objetivo de criar uma cultura de financiamento da educação e universalizar o ensino fundamental, pelo prazo de 10 anos que se completa em 2006.

      Apoiei também no âmbito estadual e na condição de secretário de Estado de Fazenda, a iniciativa do então governador Dante de Oliveira de criar o Fundo de Gestão Fazendária - Fungefaz e o Fundo Estadual de Transporte e Habitação – Fethab. O primeiro, uma exigência do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID contida no contrato do Programa Nacional de Apoio à Administração Fiscal para os Estados Brasileiros – Pnafe.

      O segundo, uma necessidade imperiosa resultante da histórica ausência da capacidade de investimento do Estado em setores relevantes como estradas e habitação.
 
      Volto ao meu posicionamento inicial para apontar que a essência do Fundo Estadual de Transporte e Habitação está sendo destruída.

     Criado pela Lei 7.263/2000, o Fundo seria uma fonte de recursos que proporcionaria principalmente ao atual governo condições efetivas para promover melhorias no sistema viário e construção de moradias populares.

     Desde a sua edição a lei do Fethab vem sendo objeto de diversas alterações, envolvendo a ampliação da alíquota da contribuição relativa a operações com combustíveis – a Lei original estabeleceu um percentual de 0,04% sobre as saídas desse produto e o governo atual elevou essa alíquota para 0,10% - e, principalmente, mudanças na destinação dos recursos. Ou seja, a finalidade de existência do Fundo é que vem sendo sistematicamente alterada.

      Destinado a financiar obras de manutenção e implantação de estradas e projetos habitacionais, o Fundo passou a custear inclusive aquisição e conserto de equipamentos rodoviários. A última modificação, contudo, realça uma iniciativa completamente estranha e contrária aos propósitos que justificaram a concepção da lei.

      A modificação promovida neste mês de novembro, inserida no parágrafo 5º do Artigo 15, amplia o que já era praticado pelo próprio governo desde 2004, quando passou a destinar recursos do Fethab para construção de “equipamentos públicos sociais”, dentre eles terminais de integração, ciclovias e centros de múltiplo uso. Agora, com a recente mudança os recursos desse Fundo passam a financiar também centros de convivência e até mesmo praças e áreas de lazer.

      Não se trata de questionar a importância e nem o dever do Estado de investir recursos em projetos dessa natureza. Trata-se, sim, de chamar a atenção para iniciativas e arranjos sustentados no improviso, na falta de planejamento, enfim, na gestão equivocada de recursos públicos.

      Ressalto que a única razão da existência de um Fundo é a sua destinação a finalidade específica, assim como a duração por tempo determinado, a exemplo do Fundef na área da educação. 

      Alterar essas condições significa desvirtuar propósitos e desviar finalidade, tal como ocorre no caso do Fethab. E a conseqüência pode vir a ser o Estado continuar buscando novas fontes de recursos para execução de projetos relevantes e pontuais. Na prática, pode significar necessidade de criação de novos tributos acarretando mais insatisfação e abalando ainda mais a já debilitada confiança do brasileiro nas suas lideranças e dirigentes governamentais.



      * VALTER ALBANO é economista, conselheiro e vice-presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Rosana reassume Sinop na quinta

gilson de oliveira 400 curtinha sinop   Pela segunda vez, o apresentador de TV Gilson de Oliveira (foto), do MDB, comanda temporariamente Sinop, a chamada capital do Nortão. A prefeita e empresária Rosana Martinelli saiu de licença não remunerada por 12 dias para cuidar de assuntos pessoais. Viajou aos Estados Unidos....

Vereador induzindo as pessoas ao erro

diego guimaraes curtinha 400   O vereador oposicionista pela Capital Diego Guimarães (foto), do PP, está induzindo a erro às pessoas. Mesmo o prefeito Emanuel já tenho anunciado que vetará a proposta da Câmara Municipal de aumentar o seu próprio salário, uma forma de criar o efeito cascata e...

Quitados atrasados da gestão Taques

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes comemora o fato de estar fechando os 10 primeiros meses de mandato já tendo conseguido, mesmo sob crise financeira e uma série de medidas austeras para equilibrar as contas públicas, regularizar todos os pagamentos aos municípios de 2018 empurrados para sua...

Tangará, os indecisos e PSL com Caio

caio 400 tangara da serra curtinha   Em Tangará da Serra, até agora ninguém sabe para onde vão alguns partidos, como PTB, PL (ex-PR), Pros e DC. Há uma chance de que estes, que outrora foram importantes na cidade, nem lancem candidatos a vereador, principalmente porque não possuem nomes suficientes para...

Tangará da Serra com 3 na pré-disputa

reck junior 400 curtinha   Faltando um ano para a escolha do próximo prefeito, Tangará da Serra já sabe praticamente quem serão as opções nas urnas: Wesley Torres (MDB), Reck Júnior (foto), do PSD, e Vander Masson (PSDB). Nos bastidores, as discussões concentram-se nas...

Lei veta atuação de ambulante de fora

marcia alto paraguai curtinha 400   Em Alto Paraguai, a Câmara Municipal, sob Márcia Leite de Oliveira (foto), promulgou uma proposição que está provocando polêmica. Proíbe vendedor ambulante "de fora" de comercializar produto ou mercadoria de qualquer natureza na circunscrição do...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O que você acha das denúncias, principalmente sobre pagamento de propina, feitas pelo ex-presidente da AL José Riva, que tenta fechar delação?

São verdadeiras

Nem tudo é verdade

Acho que ele está mentindo

Não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.