Últimas

Quinta-Feira, 21 de Maio de 2009, 10h:45 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

CÂMARA DE CUIABÁ

Deucimar pressiona para cassar Lutero e aciona prefeito

   Numa reunião fechada realizada nesta quarta (20), às 16h, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Deucimar Silva (PP), deu ultimato ao prefeito Wilson Santos (PSDB) e também à bancada tucana para apoiar a proposta de abertura de processo investigatório contra o ex-presidente do Legislativo, o peemedebista Lutero Ponce, acusado de deixar um rombo superior a R$ 3 milhões somente no exercício de 2007. Nos bastidores, o prefeito teria orientado os parlamentares do seu partido a ignorarem o pedido de investigação. Deucimar entende que, sem o apoio dos quatro vereadores do partido de Santos, não chegará à maioria absoluta dos votos para investigar Lutero.

   No encontro com o tucanato, Deucimar deixou claro que, se não obtiver apoio da legenda para abrir o processo e, assim, tirar parte da carga do desgaste sobre os ombros da Câmara Municipal, romperá com a administração, ou seja, se juntará ao bloco opositor ao governo Santos. Os vereadores Roosivelt Coelho, Lueci Ramos, Paulo Borges e Antonio Fernandes devem seguir orientação do prefeito, mesmo este assegurando que nada tem a ver com o Legislativo. Por conta da pressão da opinião pública, a tendência é que a bancada do PSDB vote favorável à investigação.

   O pedido deve entrar em pauta na sessão desta quinta (21), que começou sob um clima tenso. Os vereadores vão votar "sim" ou "não" à denúncia protocolada por representantes de segmentos, como do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e da Ong Moral, além da direção do PRTB. Depois do "vazamento" da notícia de que quatro vereadores teriam "inventado" viagem para não comparecer à sessão, três recuaram e estão presentes. Dos 19, somente dois não compareceram: Leve Levi (PP) e Júlio Pinheiro (PTB). Estão em plenário Deucimar, Lutero, Toninho de Souza e Adevair Cabral (ambos do PDT), Francisco Vuolo, Chico 2000 (os dois do PR), Ivan Evangelista (PPS), Ralf Leite e Néviton Fagundes (do PRTB), pastor Washington Barbosa (PRB), Domingos Sávio (PMDB), Lúdio Cabral (PT), além dos tucanos Antonio Fernandes, Roosivelt, Lueci e o líder do governo Paulo Borges.

    No plenário, enquanto Deucimar se reúne a “portas fechadas” com a bancada do PSDB, Lutero discute com o seu correligionário Domingos Sávio o processo que pode levar a cassação do seu mandato. A informação é de que o presidente regional do PMDB, Carlos Bezerra, teria pedido que Sávio votasse a favor de Lutero. No entanto, o ex-presidente da Câmara e dirigente do partido na Capital rechaça essa informação. Garante que não houve orientação nesse sentido e que está "muito tranquilo". “Nunca estive tão quieto como hoje”, declara Lutero. Disse ainda que não sabe qual será a postura do PSDB. Os rumores são de que Lutero conseguiu, "na marra", obter apoio da maioria dos vereadores, principalmente àqueles da legislatura passada, que supostamente teriam "rabo preso". Lutero estaria pressionando também o Palácio Alencastro, de modo a neutralizar qualquer ação contrária a sua permanência no cargo. (Sandra Costa e Patrícia Sanches)

   (Às 11h05) - Pop cobra postura dos vereadores e "cutuca" Vuolo e Lúdio

   Em clima de desabafo, o vereador de primeiro mandato, Everton Pop (PP), usou a tribuna para incentivar os demais parlamentares a votarem a favor da abertura da comissão processante que investigará Lutero. “Eu não fui eleito para beneficiar nenhum vereador. Fui eleito pela população, por isso acredito que a investigação deve ser aberta. É inaceitável que os vereadores se sintam coagidos para discutir esse assunto na Casa”, declara. A afirmação foi uma “cutucada” aos vereadores Francisco Vuolo e Lúdio Cabral, já que Pop considerou “estranho” o fato de nenhum vereador ter feito uso da palavra durante o grande expediente. “Eu queria que Vuolo e Lúdio me dessem uma explicação”, dispara. 

   Na contrapartida, Vuolo usou a tribuna para afirmar que é “precipitado” fazer qualquer pré-julgamento. Logo em seguida, ignorando a crítica, começou a explanar sobre a retomada das obras da Ferronorte.  

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • pedro alves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Se esses vereadores tiverem um mínimo de vergonha vão respeitar a querida cuiabá e colocar esse sujeito que atende por Deucimar na berlinda...
    ainda bem que a delegacia fazendária está no páreo e não vai deixar barato.... quem votar a favor desse antigo presidente... tudo bem... daqui a pouco tem eleição... lá a gente acerta as contas!

  • Luiz Antonio Marshezzi | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Ludio, não é isso que vc pregou lá perto do hospital geral, lembra?
    Cuidado hein.
    O Vuolo já era esperado. Carater 0

  • Jacyara | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    é isso ai, cumpra o que está escrito. Cassação, Já.

  • Marcia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Os vereadores que são contra a CPI deveria ter um pouco de vergonha na cara e honrar os votos que os colocaram lá.
    Ainda bem que eleição são de 4 em 4 anos.
    Aguardem!!

  • CARLOS ROBERTO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    OLHA SÓ, O DEUCIMAR APRENDEU RAPADINHO A ESTAR SEMPRE NA MIDIA, GAROTO ESPERTO.

  • LEONIDAS EVANGELISTA DOS ANJOS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0



    O PSDB MOSTROU A SUA CARA ....OS SEUS VEREADORES VOTOU PELA IMPUNIDADE E O DESCREDITO DA CAMARA DE CUIABA. DESTE PARTIDO NÃO PODEMOS ESPERAR NADA ...E AINDA QUER GOVERNAR O ESTADO....OLHA O POVO NAO E MASSA DE MANOBRA COMO MUITOS POLITICOS, AINDA, PENSAM....QUEM VIVER VERA...

PTB tem 25 e deve eleger 2 à Câmara

misael galvao 400 curtinha   O PTB lançou 25 nomes a vereador em Cuiabá. E a tendência é de eleger entre um e dois. As maiores apostas são os seus próprios vereadores: Misael Galvão (foto) e Adevair Cabral, respectivamente, presidente e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara....

Retorno à Câmara após 6 mandatos

fulo 400 curtinha   Figura bastante popular, especialmente na região da Vila Operária, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (MDB), que foi vereador de Rondonópolis por seis mandatos, está de volta. Hoje suplente, ele assume provisoriamente nesta segunda a cadeira do titular Thiago Muniz, que pediu licença...

Bolsonaro nem aí para políticos de MT

nelson barbudo 400 curtinha   O cerimonial da Presidência da República deu de ombros para os políticos, inclusive para a bancada federal mato-grossense, na visita de Bolsonaro, sexta, em Sinop e Sorriso. Alguns tentaram, de forma insistente, tirar foto com o presidente. E até conseguiram. Mas o capitão preferiu...

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

Poconé tem 4 no páreo; Euclides dança

euclides santos 400 curtinha   Em Poconé, o ex-prefeito Euclides Santos (foto) nadou e morreu na praia. Numa queda de braço dentro do PSDB, Euclides, que havia se mudado para Cuiabá e tem o filho na disputa para vereador, perdeu espaço e autonomia para a ex-prefeita Meire Adauto, presidente municipal da legenda tucana e...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.