Últimas

Quinta-Feira, 19 de Abril de 2007, 08h:49 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Dez anos de educação indígena

 
     Mato Grosso tem muito para comemorar este ano no Dia do Índio, uma vez que tem apresentado conquistas significativas nos últimos 10 anos no que diz respeito à educação escolar indígena intercultural e diferenciada, que foi destaque no cenário nacional e internacional em 1997, com a realização da Conferência Ameríndia.

     Em 1997 consolidava-se um amplo programa de formação de professores indígenas por meio do Projeto Tucum, que abriu caminho para outras iniciativas como o Projeto Urucum/Pedra Brilhante, o Projeto Mebêngõkrê, Tapajyna, Goronãe e Panara, o Projeto Xamã na área da Saúde e o Projeto 3º Grau Indígena, que tem qualificado uma considerável parcela dos índios de Mato Grosso que atuam nas aldeias ministrando aula para mais de sete mil alunos índios, possibilitando que as crianças indígenas passassem a ser formadas por professores de suas próprias etnias, baseados nos princípios e métodos próprios de aprendizagem, valorizando as manifestações artísticas e culturais.

     Os avanços verificados no Estado de Mato Grosso são reflexos também das mudanças ocorridas nos últimos anos na legislação brasileira voltada para a educação indígena, presentes na Constituição Federal, na LDB/96, na Resolução 03/99 e no Parecer 14/99.

     Implementar programas de educação escolar indígena pautados nos princípios da pluralidade cultural não é tarefa fácil. Exige compromisso, ousadia, investimento e determinação por parte dos governos estaduais, que através de parcerias com instituições governamentais e não-governamentais, juntamente com o movimento dos professores indígenas, consolidem uma educação intercultural, bilíngüe e de qualidade, com currículos, material didático, calendários e conteúdos de caráter indígena, que respeitem as práticas sociais e culturais de cada comunidade.

     Mato Grosso deu um grande passo que representou um marco histórico na educação brasileira ao iniciar a formação de professores índios em nível superior - Projeto 3º Grau Indígena, que hoje se encontra na segunda turma, tendo habilitado 186 indígena nos cursos de licenciatura nas áreas de Ciências Matemática e da Natureza, Ciências Sociais e Línguas, Artes e Literaturas.

     Em julho de 2007 terá início na Unemat um curso de pós-graduação - Especialização em Educação Escolar Indígena - ofertada para professores indígenas habilitados em nível superior, numa parceria entre Secitec, Unemat, Fapemat, CEI/MT, OPRIMT, Funai e Prefeitura de Barra do Bugres.

     A pós-graduação é resultado da formação aberta, não-excludente, pautada na interculturalidade e no respeito às diferenças étnico-culturais e aos projetos societários dos povos indígenas que vem sendo executada em nível de graduação. A pós-graduação é o passo seguinte para a consolidação, no futuro, de uma Universidade Indígena, que está sendo fruto da reflexão e da luta dos próprios professores indígenas que estarão sendo formados nos cursos de licenciatura.

     As ações ocorridas em Mato Grosso constituem numa vitória do movimento dos professores indígenas pelo reconhecimento da cidadania plena, pelo respeito à diferença cultural e pela possibilidade de um futuro com maiores oportunidades de igualdade social.

Elias Januário é doutor em Educação, vice-reitor da Unemat, coordenador do 3º Grau Indígena e membro IHGC

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Uma petista das causas bolsonaristas

edna sampaio 400   A emblemática vereadora petista Edna Sampaio (foto) se mostra a cada dia defensora das pautas bolsonaristas. Na Câmara de Cuiabá se aliou e vota combinado com os direitistas e conservadores tenente Paccola (Cidadania) e Michelly (DEM). No episódio em que a colega parlamentar fez uma "sarrada"...

Esperança do Procon por candidatura

gisela simona 400   Quem pensa que Gisela Simona (foto), aquela que perdeu para prefeita de Cuiabá e se queimou politicamente ao se aliar a Abílio no segundo turno, não se movimenta politicamente com interesse nas eleições de 2022 está redondamente enganado. Ela tenta, por tudo, reassumir a...

Sorriso tenta aval para conceder RGA

estevam calvo 400   A Prefeitura de Sorriso quer pagar RGA aos servidores, mas não encontrou até agora respaldo legal para assim proceder, considerando a Lei Complementar 173/2020 que, no contexto da pandemia, proíbe reajuste no salário de servidores federais, estaduais e municipais até 31 de dezembro deste...

Ambulância doada pela CBF para MT

Aron Dresch 400   O governo estadual recebeu doação de uma ambulância da CBF como forma de reconhecimento à dedicação dos profissionais da Saúde e dos serviços que estão sendo prestados durante a pandemia. O Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, foi escolhido para...

Fávaro, relatório e vacina sem Anvisa

carlos favaro 400   O senador mato-grossense Carlos Fávaro (foto), eleito na suplementar do ano passado, está comemorando a aprovação pelos colegas do seu relatório ao Projeto 1315/2021, que libera a importação de vacinas e insumos para o combate à Covid-19 no Brasil e sem depender do...

TRE intima deputado pra se defender

gilberto cattani 400   O TRE já citou o deputado Gilberto Cattani (foto) e o comando do PRTB para se manifestar sobre o pedido do suplente Emílio Populo, que quer a perda do mandato do recém-empossado por infidelidade partidária. O relator é o jurista Sebastião Monteiro. Cattani apresenta defesa na...