Últimas

Quinta-Feira, 28 de Junho de 2007, 13h:13 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

INFRAESTRUTURA

Diretor-geral do Dnit se articula e complica Pagot

Mauro tem o senador Perillo como padrinho político e já conta com respaldo das bancadas do PMDB, PSDB e parte do PR; relatório de Jaime será questionado

    Mesmo com a escolha do aliado e companheiro de mandato, senador Jaime Campos (DEM), como relator do processo de nomeação, o executivo Luiz Antônio Pagot não está seguro de que será aprovado na sabatina do Senado para comandar o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit). Enquanto Luiz Antonio Pagot, com uma pasta debaixo do braço, bate a porta de cada senador em busca de apoio, o atual diretor-geral do Dnit, Mauro Barbosa da Silva, ganha força no próprio Senado e na Câmara Federal para ser mantido no cargo. Se a sabatina fosse hoje, Pagot teria o nome reprovado.

     Mauro Barbosa, que cresce no martírio de Pagot, foi indicado à direção do Dnit com apoio das bancadas de Goiás e de Minas Gerais. Ele é bem articulado politicamente. Em seu entorno, criou-se a leitura de que, uma vez mantendo-o no cargo, o presidente Lula neutralizaria o adversário PSDB, que deseja sua permanência no posto. Mauro tem como padrinho político o ex-governador goiano e hoje senador Marconi Perillo (PSDB), justamente o presidente da Comissão de Infra-Estrutura de Transportes do Senado, por onde Pagot terá de passar.

      A agenda do atual diretor-geral do Dnit, detentor de um orçamento anual de R$ 12 bilhões, está voltada para atendimento aos parlamentares. Na luta pela permanência no cargo, Mauro já obteve aval das bancadas do PMDB, PSDB e até da maioria dos 44 deputados do PR, partido do próprio Luiz Antônio Pagot. Apesar de não votarem na sabatina, os deputados estariam fazendo corrente pela não-nomeação de Pagot, inclusive com lobby junto aos Ministérios da Casa Civil e do Transportes. Nem mesmo os parlamentares do PR, como Valdemar Costa Neto (SP) e Sandro Mabel (GO), defendem a indicação de Pagot para o Dnit.

     Tiro pela culatra

     A decisão do senador Marconi Perillo em atender ao pedido do governador Blairo Maggi e nomear Jaime Campos como relator do processo de Pagot seria uma estratégia para complicar ainda mais a aprovação para o Dnit do nome do ex-secretário de Infra-Estrutura, Casa Civil e Educação. Ocorre que Pagot é o primeiro suplente do senador Jaime, que vai relatar o seu processo. A oposição se mobiliza para colocar o relatório sob suspeição.

     Pagot encontra dificuldades para obter apoio político, à medida que cresce entre os parlamentares o comentário de que o aliado de Maggi é "arrogante" e que, já teria adiantado que, no Dnit, "fechará o cerco contra empreiteiras que cobram caro do governo para execução de obras". Para complicar a situação de Pagot na briga pelo cobiçado cargo federal, há ainda a denúncia de que ele ocupou ilegalmente dupla função no período de 1995 a 2002, como assessor no Senado de Jonas Pinheiro e como diretor-presidente da Hermasa Navegação da Amazônia.

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Anônimo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    VAMOS SABER AGORA SE O GOVERNO LULA DESEJA SERIEDADE NO DNIT , OU SE PREFERE MANTER A ROUBALHEIRA. PAGOT JÁ !

  • Antonio Caarlos Pinheiro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Tenho certeza absoluta que o Sr. Pagot fará uma grande gestão junto ao DNIT.

    Toninho

  • Muvuca | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Notícias como estas são encomendadas para espalhar boatos e desestabilizar o processo...
    Não procede!
    Pagot vai para o DNIT, podem torcerem o quanto quiserem... O terno está pronto!
    MUVUCA-Cuiabá

  • Zeca | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Xi. Isso tá mais parecendo desculpa esfarrapada de quem percebeu que a vaca foi pro brejo. Vai alegar forças ocultas e coisa e tal. Dizer que foi preterido porque é mais honesto não cola. Uma esmiuçada mais séria nos contratos da sinfra vai apontar buracos e mais buracos na gestão do moço. De qualquer forma, o episódio demonstra o tamanho do prestígio político do governador em nível nacional. E acaba de vez com a viagem dos puxa-sacos que assanham vôos mais altos.
    PS: Se a nota não foi desmentida até agora pela tropa de choque é sinal que jogaram a toalha e se deram por satisfeitos com a saída "honrosa". É isso aí, Pagot. Ciscou, ciscou e acabou no Irajá.

  • Francisco Miguel Diniz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Sr. Antonio Pagot é um homem honesto, competente e trabalhador incansável. Sua nomeação para o cargo de Diretor do Dnit será ótima não só para Mato Grosso como para todo Brasil.
    Francisco Miguel Diniz

  • Valdinei Barbosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Torço para o Sr. Pagot assumir o Dnit, quem com isso é Mato Grosso e o Brasil, pois a coisa publica independente das personalidades das pessoas tem que ser tratados com lisura e isso o Sr.Pagot fará bem.

  • Valdinei Barbosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Torço para o Sr. Pagot assumir o Dnit, quem ganha com isso é Mato Grosso e o Brasil, pois a coisa publica independente das personalidades das pessoas tem que ser tratadas e geridas com lisura e isso o Sr.Pagot fará bem.Caso a nomeação torna-se negativa e confirmarem a participação de membros de sua propria agremiação é hora do Governador repensar suma permanencia neste indeciso projeto de partido chamado PR.

  • Hélio Brandão | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Pagot assumir o DNIT nacional é uma questão crucial para o desenvolvimento de Mato Grosso, principalmente quando se vislumbra a possibilidade de serem desatados alguns nós que tornam deficitária a nossa infraestrutura na área dos transportes. O exemplo é claro: no governo passado, sob Dante de Oliveira, que possuia grande proximidade junto ao governo FHC foram viabilizados o gasoduto, a ferronorte e Manso. Como mero mortal só me resta torcer por Pagot, é uma questão simples... ele tem competência para dar conta da tarefa e é caso de se torcer por Mato Grosso. Sempre!!!

  • Israel Arcanjo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Humildade

    Este Sr pode ser muito trabalhar mas ñ tem HUMILDADE um trator sem Freio. Deve ser muito constrangedor para o Sr Pagot se humilhando na frente dos Senadores pedindo uma vaga de diretor no Dnit.Sr Pagot Trasparece que Sr ñ tem palavra cadê as 6.000. mil vagas amais do concurso publico que você prometeu.

  • Paulo Ricardo Fortunato | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    A indicação de Pagot ao DNIT é de grande valia para Mato Grosso. Acho que esta na hora de políticos de outros partidos deixarem a vaidade de lado e abraçar nesta luta não pelo Pagot mas, por Mato Grosso. Pelo pouco que o conheço tenho certeza que Mato Grosso estará bem representado neste cargo tão importante a nível federal. Acorda políticos de oposição, o povo que ver por Mato Grosso bem falado e representado a nível nacional. Espero que o Pagot consiga a tal amejada vaga e que faça muito nào só por Mato Grosso como pelo Brasil também.

Deputado ajudou a enterrar Binotti

neri 400 curtinha   O deputado federal Neri Geller (foto), que se acha um grande líder político, ajudou a enterrar nas urnas o projeto de reeleição do prefeito Luiz Binotti (PSD), derrotado à reeleição. Perdeu para o ex-vice-prefeito Miguel Vaz (Cidadania), que contou com apoio do ex-prefeito e atual...

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...