Últimas

Terça-Feira, 06 de Novembro de 2007, 22h:10 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

EXPLICAÇÕES

Dirigente do Sindsep nega fraude e acusa Galvão

Carlos Alberto, preside o Sindsep-MT   O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Mato Grosso (Sindsep-MT), Carlos Alberto de Almeida, nega as acusações envolvendo seu nome em esquema de fraudes e desvio de dinheiro por meio de suprimento de fundo, enquanto era chefe de administração da Fundação Nacional de Saúde. Ele disse ainda que essas informações partiram do ex-presidente do Sindsep, Washington Galvão que, segundo Carlos, "ainda tem interesse em ocupar o cargo".

 

     Carlos Alberto explica que a auditoria realizada na Funasa exigiu a prestação de contas do suprimento de fundos especial com a nota fiscal e ainda as requisições com a indicação dos veículos que utilizaram o combustível. Conta que apresentou somente a nota fiscal. De acordo com o sindicalista, a verificação desses documentos de forma minuciosa é de competência do chefe da contabilidade e não sua. "São milhões que passam pelas nossas mãos. Eu não teria condições de analisar documento por documento", afirma.

 

     Carlos repassou o montante de R$ 8 mil à servidora Neuza Ferreira Dourado, atendente de enfermagem da Funasa, para despesas consideradas emergenciais, bem como a aquisição de combustível. "Não existe nenhuma irregularidade nisso", argumenta. A comissão de processo administrativo disciplinar ainda está ouvindo depoimentos dos acusados.

 

     Acusação


     O presidente conta que Galvão responde a dois processos judiciais por falsificar assinatura da chefe do setor de pagamentos da Funasa, Clenira Tavares de Lima. "Ele (Galvão) fez empréstimos consignados na Caixa Econômica Federal, já que não podia haver liberação pois era contratado pelo Sindisep". Carlos Alberto conta que após indícios, a Funasa abriu uma sindicância e um processo administrativo contra o ex-presidente Galvão. "O processo chegou até a Polícia Federal, que já ouviu várias testemunhas que comprovaram a fraude", completou. (Pollyana Araújo) 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Marcos Almeida | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Mas o Carlos Alberto de Almeida foi o presidente da assossiação da SUCAM e sumiu o patrimônio da entidade. Pede pra ele dar entrevista sobre isso também.seria uma boa oportunidade para esclarecer suas administrações "obscuras"

  • triram | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    marcos almeida, foi ótima sua indagação e vou pedir ao HONESTO PRESIDENTE esclareça sobre o processo que tramitou em Nobres sobre a dispensa de licitação para sua contratação. E ainda mais porque a oficial Maria borges Almeida, sua tia, diga de passagem nunca conseguiu localiza-lo para intimação.
    aguardo o pronunciamento.

Extremista vai ter que se explicar na PF

Marcelo Stachin 400   O barulhento militante de extrema-direita Marcelo Stachin (foto) tem perdido o palco desde que teve um pífio desempenho nas urnas e acabou com apenas 0,8% dos votos para prefeito de Sinop. Em sua busca incessante por aparecer, o bolsonarista, que é investigado pelo STF por espalhar fake news, decidiu ironizar e...

Prefeitos, MPE e afastamento do cargo

jose antonio borges 400 Prefeitos de MT que descumprirem as diretrizes do decreto estadual que impôs o toque de recolher em todo o território podem até mesmo ser afastados do cargo. O alerta é do procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira (foto), e reforçada pelo procurador Domingos...

Prefeito se rebela e é enquadrado

vander masson 400 curtinha O prefeito de Tangará da Serra Vander Masson (foto), do PSDB, bem que quis ser rebelde, mas acabou enquadrado pelo MPE. Vander fez um decreto mais ameno que o do governo do Estado, impondo toque de recolher a partir das 23h, mas teve de recuar após ser notificado pelo MPE. Nas redes sociais, para evitar desgaste com...

AL realiza lockdown de faz de contas

Funcionários da AL se mostram revoltados com o lockdown de “faz de contas” promovido por deputados. Isso porque, apesar de estar com as portas fechadas, funcionários estariam sendo obrigados a ir trabalhar e entrando por outras portas. Atendem parlamentares que preferem trabalhar presencialmente. Pelo menos 36 funcionários estariam infectados e os servidores temem que mais pessoas sejam contaminadas pelo coronavírus. O pânico ficou ainda maior...

EP na batalha por vacinas e insumos

emanuel pinheiro 400 O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (foto) entrega nesta segunda (8) PL para a aquisição de vacinas para combate à Covid-19, medicamentos, insumos e equipamentos. O documento foi elaborado pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e será votado na Câmara. Esse é mais um movimento...

Fúrio volta à carga contra secretário

celio furio 400 curtinha Depois de se enganar ao abrir investigação contra o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo e ter de pedir desculpas, o promotor Célio Fúrio (foto) voltou à carga. Fúrio entrou na Justiça para que Gilberto seja condenado à perda da função...