Últimas

Terça-Feira, 20 de Outubro de 2009, 06h:53 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

PALÁCIO PAIAGUÁS

Em 7 anos de governo, Maggi só não trocou 2 secretários

  Com a saída de Yênes Magalhães (Planejamento e Coordenação Geral) para assumir uma das sete diretorias da Agecopa, restam somente a primeira-dama Terezinha Maggi (Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social) e Baiano Filho (Esportes e Lazer) como secretários "intocáveis" do governo Blairo Maggi, que já está no sétimo ano de mandato.

  Fernando Ordakowski
Clique na imagem para ampliação
Secretários Baiano Filho e Terezinha Maggi se mantêm no staff do governo Maggi desde janeiro de 2003

  A administração conta hoje com 23 secretarias, incluindo Casa Militar, Auditoria-Geral e as extraordinárias recém-criadas de Políticas Educacionais e de Ambientais e Fundiárias. Se Maggi conduzir o mandato até abril, apesar da pretensão de renunciá-lo em fevereiro, registrará também como desfalque no primeiro escalão o secretário Baiano, que se desincompatibilizará para concorrer à cadeira de deputado. De todo modo, Maggi encerrará a gestão com apenas a esposa Terezinha como única a ser mantida no staff do começo ao fim. Baiano já se afastou por duas vezes, uma delas para concorrer, sem êxito, a prefeito de Sinop. Alguns secretários foram remanejados. Outros exerciam cargos de segundo e terceiro escalões e passaram a integrar o staff.

    De janeiro até agora, quatro secretarias (Casa Civil, Saúde, Educação e Desenvolvimento Rural) já tiveram quatro secretários cada. Na Casa Civil, Novacki é o sexto a ocupar o posto somente no governo Maggi, que começou com Carlos Brito. Depois vieram Joaquim Sucena, Luiz Pagot, Antônio Kato, João Malheiros e, por fim, Novacki. A Saúde iniciou com Gabriel Novis Neves, depois vieram Luzia Leão, Marcos Henrique Machado e Augustinho Moro. As mesmas mudanças ocorreram na Educação, já comandada por Novis Neves, Ana Carla Muniz, Luiz Pagot e hoje está sob Ságuas Moraes.

   O Meio Ambiente começou com Moacir Pires, seguido por Marcos Machado e hoje tem Luís Henrique Daldegan no seu comando. Na pasta do Desenvolvimento do Turismo já passaram Ricardo Henry, Yêda de Oliveira, Pedro Nadaf e, desde o ano passado, é conduzida por Yuri Bastos. No Desenvolvimento Rural já estiveram Homero Pereira, Otaviano Pivetta, Cloves Vettorato (já falecido) e Neldo Egon. Na Justiça e Segurança Pública, o ex-deputado Carlos Brito substituiu Célio Wilson e, este, foi trocado por Diógenes Curado. Na Infra-Estrutura, Vilceu Marchetti entrou no lugar de Pagot.

   Maggi iniciou o mandato com Geraldo Gonçalves na Comunicação. Depois o substituiu por José Carlos Dias e, por fim, por Novacki. Pela Indústria, Comércio, Minas e Energia passou Alexandre Furlan e hoej está sob Pedro Nadaf. A Cultura tem como gestores Dito Paulo, João Carlos Vicente Ferreira e está sob Paulo Pitaluga.

    O governo estadual conduz uma máquina gigantesca e com estrutura em praticamente todos os 141 municípois. O orçamento para este ano é de R$ 7,7 bilhões. Vinculada a algumas das 23 secretarias estão órgãos, empresas e autarquias. São quase 100 mil servidores.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Fernando | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Fora a muié dele, se o hômi ta 7 ano no governo, é por que o hômi é bão!

  • Milton Lindomar Lima | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Baiano Filho não iniciou em janeiro de 2003, como fala a matéria. O primeiro secretário da SEEL foi Ademir Moreira que ficou seis meses. Depois que veio Baiano. Portanto, quem era intocável, além da Terezinha Maggi, foi o Yenes Magalhães.

  • Junior | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Larga mão de ser burro Milton Lindomar Lima, o cara nunca saiu depois de assumir..isso é ser intocável..... mas esse Baiano é bobo, acha que vai se eleger.

  • janete | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    larga mão de ser burro junior, voce não entendeu a matéria? se for para entrar e não sair, todos os que estão agora entraram e ainda não sairam...

  • Paulo Leão | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    a sequencia de secretários de sáude está errada. Primeiro foi luzia leão e só depois gabriel novis neves.

  • juremy ferreira gomes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Trocar secretário é uma coisa boa, dá oxigenação a administração pública. eu não entendo porque blairo insiste em manter o senhor daldegan na sema. esse senhor tem o rei na barriga, não recebe ninguém, os processos não andam naquela secretaria, e os próprios funcionários do órgão trabalham de forma desestimulados, ganham uma porcaria por mês pelo nível de capacitação técnica que possuem, e estão extremamente descontentes e estressados com o atual governo. Se continuar insistindo o blairo perde as eleições de 2010 por insistir com alguns secretários e pelas próprias falhas que existem nas secretários e no relacionamento com o funcionalismo público. Se ficar ouvindo apenas os DAS (cargos de confiança sem vinculo empregatício estável) não vai a lugar algum, as coisas chegam distorcidas no palácio paiaguás. é preciso valorizar os estáveis, a massa do funcionalismo blairo, afinal são quase 100 mil. já imaginou 100 mil eleitores falando mal de ti e do teu governo???

  • Eliseu Fonseca Lima | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Bons tempos do Secretário Marcos Machado no Governo, principalmente na SEMA.

  • BARTOLOMEU | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Também pudera! Alguém pode achar o Blairo com jeito e andar de bobo. Mas ele não o é. Acha que ele vai tirar a Terezinha do trono dela? O cara ia dormir no sofá (que não é lá má idéia) e apanhar de toalha molhada. Marido político e travesso apanha em casa e não pode sequer dar um pio, vira escândalo.

  • Maria flor | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Meu caro juremy, pior que deixar Daldegan da SEMA só mesmo o Presidente da EMPAER-MT, que só sabe tirar gratificação de função de servidoras de mais de 30 anos de casa, e mole ou quer mais.

  • elaine galvão | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Apelo dramático da Santa Casa de ROO

bianca talita 400 santa casa roo   A superintendente da Santa Casa de Rondonópolis, Bianca Talita (foto), fez um apelo dramático nesta terça, num grupo de WhatsApp, esperando sensibilizar o prefeito Zé do Pátio a repassar com urgência os recursos que estão repressados no Fundo Municipal de...

Emendas para todos os 24 deputados

Max 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Max Russi (foto), em visita ao Grupo Rdnews, quando concedeu entrevista ao portal e à tv web Rdtv, defendeu as emendas impositivas, que são indicadas pelos deputados e pagas pelo governo, via orçamento. Lembra que são instrumentos importantes para fazer com que obras e...

Deputado defende cultos com até 600

sebastiao rezende 400   Num momento em que a segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus avança em MT, levando o governo a retomar medidas restritivas para evitar colapso, já que cerca de 90% das UTIs estão lotadas, o deputado Sebastião Rezende (foto), da Igreja Assembleia de Deus, teve a...

"Batida" em apresentador por engano

ricardo martins 400   Durante a dupla operação deflagrada pela PF nesta terça em alguns municípios de MT, entre eles Cuiabá, agentes federais, por um equívoco no cumprimento de mandados, acabou batendo na porta do apresentador da TV Cidade Verde, Ricardo Martins (foto), que não tem a ver com o caso....

Paccola é cotado para diretor-geral

gianmarco paccola 400   O discreto e atuante delegado Gianmarco Paccola (foto), hoje diretor-geral-adjunto da Civil, já desponta nos bastidores como nome preferencial do Palácio Paiaguás para eventual substituição a Mário Demerval, que deve mesmo deixar o posto de diretor-geral para disputar as...

Luta pra isentar parte dos aposentados

eduardo botelho 400 curtinha   Primeiro-secretário da Assembleia, Eduardo Botelho (foto) disse que foi criada espécie de força-tarefa dos deputados para fechar um acordo com o governo, de modo a ajudar aposentados e pensionistas e portadores de doenças raras para isenção do pagamento da alíquota da...