Últimas

Segunda-Feira, 16 de Março de 2009, 19h:05 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

SANEAMENTO

Empreiteiro da Eta Tijucal deleta do site fotos com o prefeito


José Antonio Rosa (à esq.), ex-presidente da Sanecap, o prefeito cuiabano Wilson Santos e o empreiteiro Luiz Francisco Feliz, o Caxito, da Conspavi, em visita às obras da Eta Tijucal, realizada há 2 anos

  O empresário Luiz Francisco Félix, o Caxito, da construtora Conspavi, decidiu excluir do site de sua empreiteira as fotografias em que aparecia ao lado do prefeito Wilson Santos (PSDB) e do então presidente da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), José Antonio Rosa, hoje no cargo de procurador-geral do Município. Ele é amigo de longa data de Caxito. A Sanecap, que cuida da área de saneamento, voltou a ser conduzida por Eliana Rondon. A Conspavi executa também as obras do Rodoanel, que estão paralisadas.

  As fotos que estavam na página da Conspavi eram registros feitos em março de 2007, quando os três inspecionaram as obras de duplicação da capacidade de tratamento da ETA do Tijucal. Caxito e Santos estão em rota de colisão por causa de desentendimento acerca dos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ele "deletou" as imagens da internet em que estava junto com o prefeito. Ficaram agora 12 fotografias das obras da Estação de Tratamento - confira aqui.

   A empreiteira ganhou a licitação para executar as obras da Eta Tijucal, orçadas em R$ 12.3 milhões e projetadas para abastecer residências de cerca de 240 mil habitantes de bairros como Doutor Fábio, 1º de Março, Pascoal Ramos, Parque Nova Esperança I, II e III, São Sebastião, Pedra 90, Jardim Industriário I e II e Santa Laura.

   Alegando que está "quebrado financeiramente", em que pese ter comprado dois aviões recentemente, Caxito luta junto ao prefeito para receber pelas obras. Wilson Santos pede trégua. No ano passado, antes mesmo da Eta Tijucal ser contemplada com recursos pelo PAC, as obras tiveram início, sob determinação da prefeitura. Desse modo, o contrato fora feita antes da autorização do governo federal. Como não se seguiu o cronograma físico e financeiro e não há segurança quanto ao preço praticado dentro do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), a prefeitura está encontrando dificuldades para ajustar os projetos junto ao PAC, mesmo com o projeto quase todo executado.

   O assunto se transformou numa novela. Para resolver o impasse, a prefeitura deve cancelar a licitação e promover outro pregão, vindo a demolir a obra, condição que o empreiteiro Caxito não aceita porque amargaria mais prejuízos ainda, ou o Palácio Alencastro opte por financiar toda a obra com recursos próprios. Nesse caso, dispensaria verbas do PAC. Nesta terça, o prefeito viaja a Brasília na expectativa de sanar as irregularidades apontadas por técnicos da Controladoria-Geral da União sobre os cinco lotes do PAC em Cuiabá, entre eles o referente à Eta Tijucal.

(12h40) - Emenda cancelada complicou andamento das obras, diz secretario

   O secretário de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá, jornalista Maurélio Menezes, assegura que não há a mínima possibilidade das obras da Eta Tijucal virem a ser demolidas para reiniciar nova construção porque seria "jogar dinheiro público fora". Ele explica que, após a primeira etapa, marcada por investimentos de R$ 12,5 milhões, houve problema porque os R$ 27 milhões previstos na segunda etapa da execução da Eta Tijucal não foram liberados devido ao cancelamento de uma emenda parlamentar junto ao Orçamento-Geral da União. A obra, então, foi tocada e parte dela acabou inserida no PAC. O secretário não descarta a hipótese desses projetos saírem do PAC, mas jamais ao ponto de haver demolição do que já foi executado. Segundo ele, o empresário Luiz Félix, o Caxito, pode até estar temeroso achando que não vai receber pelos serviços, mas, ao final, todas as pendências financeiras serão equacionadas.

  Na sexta (20), o prefeito Santos e a presidente da Sanecap, Eliana Rondon, vão a Brasília para uma reunião, às 8h, com representantes do Ministério das Cidades, da CGU, da CEF e de outros órgãos para debater item por item sobre o andamento das obras do PAC em Cuiabá. O secretário adianta que as irregularidades apontadas vão ser sanadas com as explicações da prefeitura. "Será provado, por exemplo, que não houve sobrepreço. Aliás, há processos em que houve até subpreço. Então, não tem nada de superfaturamento", explica Maurélio Menezes, para quem houve um choque de normatização entre os órgãos de fiscalização.

Postar um novo comentário

Comentários (24)

  • julio augusto de oliveira soares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    digo novamente,o PAC esta emPACado por culpa do poder público não ter fiscalizado,mesmo apos o alerta do governo do Estado e do secretario executivo do ministério das cidades.Vamos ver daqui para frente se o MP,a Cãmara municipal e os ilustres conselheiros do TCE cumpram com a missão que toda a sociedade espera sob pena de aumentar ainda mais o descrédito nas instituições.

  • jose carlos barbosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0



    ISSO CHAMA-SE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. O GESTOR PUBLICO ESTA SUJEITO A CASSAÇÃO.E AÍ CAMARA (DESACREDITADA )DE CUIABÁ E O MINISTERIO PUBLICO FEDRERAL TA DORMINDO !!!!ISSO E DINHEIRO DO POVO JOGADO NO RALO...

  • arnaldo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Surgem comentários de toda natureza, depreciando a atual gestão em Cuiabá.
    Percentuais sempre houveram p/ os bolsos de todo politico ( porque seria afinal a disputa acirrada nas eleições? ). Quem seria responsável em apurar o enriquecimento em tão pouco tempo de nossos politicos?
    O judiciario recebe milhões, milhões mesmo, de denuncias e, ou é incompetente para apurar as denuncias ou conivente. Desculpas sempre haverão. Mas, apesar de toda hipocrisia, todo mundo sabe que eles tambem levam um bom quinhão.
    E hoje em dia se fala, e se deve falar muito mais na questão ambiental. Então porque ninguém questiona a falta de estudo de impacto ambiental nas obras que acabaram de reeleger o atual prefeito. Seria também o ministerio publico conivente? Ou como rola uma fofoca na assembleia legislativa, o promotor Gerson Barbosa tem melhorado muito sua qualidade de vida durante essa gestão. Será?.......Será????
    Não pode ser.
    Não acredito.
    Temo mesmo é a conivencia desse colunista, que seleciona comentários, sabe-se lá por qual motivo. Porque comentário sem palavras de baixa calão, deveria sim. ser divulgado.

  • antonio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    aqui na Sanecap, todo mundo sabe do superfaturamento desta obra, dos tubos falsificados, nao aguenta 10 minutos de auditoria, derruba Wilson Santos, etc, as obras do PAC tambem tem o dedo do Ze Rosa

  • julinho trip | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Caxito é amigo de Rosa.
    Rosa era o presidente da Sanecap.
    A emprêsa de Caxito ganhou a concorrência da eta tijucal.
    A eta até hoje é uma peta.
    HUMM...........AI TEM........

  • Neuza viana | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora a vaca vai pro brejo, a imprensa esta no caminho certo continuem investigando este caso que voces vão descobrir aonde estão o sobrepreço das obras do PAC, verifiquem esta amizade do Caxito com o José Rosa.

  • dejairsoares@hotmail.com | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    gostaria de sugerir ao romilson a realização de um enquete para eleger quais dos prefeito de mato grosso e o mas demagogo? e aqueles que não cumpre com as suas promessas de campanhas??? somente através dessas ações/informações e que vamos educar o nosso povo? e no final do ano, vamos premialos com o TROFÉU PDA ( Prefeito Demagogo do Ano)

  • oiram | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sera que o WS vai devolver o cavalo que o caxito deu pra ele passear pelo rodoanel tenho foto da cavalgada que cavalo

  • luiz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • julio augusto de oliveira soares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Sob efeito-cavalo paraguaio em ROO

thiago muniz 400 curtinha   Em Rondonópolis, o candidato a prefeito, vereador e empresário Thiago Muniz (foto), se transformou num cavalo paraguaio, expressão muito usual no futebol quando se refere a um time que dispara no início do campeonato mas, lá pela metade, começa a cair pelas tabelas. Acreditava-se...

Lula na TV deve afundar mais Julier

lula 400   O advogado Julier Sebastião da Silva, que disputa pela segunda vez a Prefeitura de Cuiabá - na primeira, em 2016, pelo PDT, ficou em terceiro lugar e, agora, pelo PT -, levou para o seu horário eleitoral o ex-presidente Lula (foto). A participação, com pedido de voto para Julier, da maior...

Na contramão dos investimentos

jose wenceslau 400 curtinha   Ao invés de reconhecer e aplaudir a iniciativa do governo estadual, que anunciou investimentos de R$ 9,5 bilhões em obras e ações, sendo R$ 6 bilhões (63%) de recursos próprios, a Fecomércio-MT, sob José Wenceslau Júnior (foto), reagiu com críticas....

Filho de ex-deputado rumo a vereador

willy taborelli 400   O coronel PM da reserva e ex-deputado estadual Perry Taborelli, que concorreu e perdeu para prefeito de Várzea Grande em 2016, lançou de novo o filho à cadeira de vereador. Trata-se do jovem advogado Willy Jacyntho Taborelli (foto), de 32 anos. Desta vez, ele concorre pelo PV. Na eleição...

Beto vê aliado como mais preparado

wellington marcos 400   O prefeito de Barra do Garças, Beto Farias (MDB), tem sido um cabo eleitoral fundamental para o candidato à sucessão municipal, advogado e atual vice-prefeito Wellington Marcos (foto), do DEM. Beto, que está concluindo o segundo mandato consecutivo com 80% de aprovação popular,...

Produtores e a unificação de eleições

antonio galvan 400 curtinha   Mato Grosso pode ter três eleições no mesmo dia, 15 de novembro. Isso porque, além das municipais e a suplementar ao Senado, alguns produtores rurais se movimentam para que a escolha do novo presidente da Aprosoja também seja na mesma data das eleitorais. Inicialmente, o pleito da...