Últimas

Sexta-Feira, 19 de Outubro de 2007, 12h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

ARTICULAÇÃO

Encontro de Riva e Silval na 2ª vai definir CPI

Silval Barbosa, do PMDBJosé Riva, que comanda o PP  O recuo ou avanço da proposta de se criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com vistas a investigar a política de incentivos fiscais do governo Blairo Maggi dependerá de uma conversa de bastidores entre o cacique do PP, deputado José Riva, e o governador em exercício, Silval Barbosa (PMDB). Eles se reúnem na segunda (22) para uma conversa dura. Riva se tornou uma espécie de porta-voz dos deputados descontentes com o governo Maggi. Por conta disso, já estão articulando a criação de um bloco independente, a ser composto pelo PP, PMDB e DEM.

    Dependendo do tom da conversa com Silval, Riva pedirá que os seus quatro colegas progressistas assinem a CPI. Nesse caso, a bancada do PP garantiria cinco votos (Campos Neto, Airton Rondina, o Português, Walter Rabello, Maksuês Leite e o próprio Riva) e, os outros três votos para atingir a quantidade mínima de oito exigida para a abertura da Comissão, seriam assegurados graças à articulação do deputado Percival Muniz (PPS), um dos maiores defensores da CPI.

     Silval é um dos poucos peemedebistas que resistem à idéia de ruptura, afinal, trata-se de um vice do próprio Maggi. Outros líderes do PMDB, como o presidente Carlos Bezerra, estão na bronca com o Palácio Paiaguás. Silval vai tentar convencer Riva a recuar da idéia de mais uma CPI - hoje a área ambiental do governo já enfrenta problemas com a Comissão presidida pelo próprio Riva.

    Transparência  

     Em meio às discussões sobre a CPI, Percival Muniz cobra  mais transparência em relação aos incentivos fiscais. "O Estado precisa ter mais responsabilidade, e mais transparência". Ele questiona a existência de empresas implantadas no Estado somente com o intuito de receber incentivos fiscais. "Quando acaba o incentivo, elas vão embora". 

     De acordo com o parlamentar, a CPI seria importante por que ela tem autonomia para exigir que o governo divulgue os dados que há seis meses os parlamentares encontram dificuldades para tê-los. Para Muniz, o maior problema está na falta de coordenação por parte do governo quanto à divulgação desses recursos. "Não tem com quem conversar, pois não há coordenação". Segundo o  deputado, a dificudade em colher dados referentes aos incentivos está no fato de serem liberados por várias secretarias. (Pollyana Araújo)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alinor assunção | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Com conversa ou sem conversa o que o cidadão pagador de impostos quer saber é para onde foi parar essa dinheirama toda.

Apelo dramático da Santa Casa de ROO

bianca talita 400 santa casa roo   A superintendente da Santa Casa de Rondonópolis, Bianca Talita (foto), fez um apelo dramático nesta terça, num grupo de WhatsApp, esperando sensibilizar o prefeito Zé do Pátio a repassar com urgência os recursos que estão repressados no Fundo Municipal de...

Emendas para todos os 24 deputados

Max 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Max Russi (foto), em visita ao Grupo Rdnews, quando concedeu entrevista ao portal e à tv web Rdtv, defendeu as emendas impositivas, que são indicadas pelos deputados e pagas pelo governo, via orçamento. Lembra que são instrumentos importantes para fazer com que obras e...

Deputado defende cultos com até 600

sebastiao rezende 400   Num momento em que a segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus avança em MT, levando o governo a retomar medidas restritivas para evitar colapso, já que cerca de 90% das UTIs estão lotadas, o deputado Sebastião Rezende (foto), da Igreja Assembleia de Deus, teve a...

"Batida" em apresentador por engano

ricardo martins 400   Durante a dupla operação deflagrada pela PF nesta terça em alguns municípios de MT, entre eles Cuiabá, agentes federais, por um equívoco no cumprimento de mandados, acabou batendo na porta do apresentador da TV Cidade Verde, Ricardo Martins (foto), que não tem a ver com o caso....

Paccola é cotado para diretor-geral

gianmarco paccola 400   O discreto e atuante delegado Gianmarco Paccola (foto), hoje diretor-geral-adjunto da Civil, já desponta nos bastidores como nome preferencial do Palácio Paiaguás para eventual substituição a Mário Demerval, que deve mesmo deixar o posto de diretor-geral para disputar as...

Luta pra isentar parte dos aposentados

eduardo botelho 400 curtinha   Primeiro-secretário da Assembleia, Eduardo Botelho (foto) disse que foi criada espécie de força-tarefa dos deputados para fechar um acordo com o governo, de modo a ajudar aposentados e pensionistas e portadores de doenças raras para isenção do pagamento da alíquota da...