Últimas

Segunda-Feira, 10 de Agosto de 2009, 08h:07 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

ARTICULAÇÃO

Fagundes aponta 3 ao governo e diz até que Maggi é mito

 Fernando Ordakowski

Presidente do PR-MT Wellington Fagundes afirma que grupo que conduz Paiaguás tem 3 pré-candidatos a governador, sendo eles Silval (PMDB), Riva (PP) e Jayme (DEM), que tem feito críticas à gestão Maggi

 Wellington Fagundes, novo presidente do PR e pré-candidato a senador, trabalha a tese conjuntural que só considera o PSDB como adversário nas urnas de 2010. Em meio a essas conjecturas, ele acha possível manter no mesmo arco de alianças o DEM do senador Jayme Campos, que intensificou as críticas ao governo Blairo Maggi, o PT, que vive brigas internas entre os grupos de Serys Marly e de Carlos Abicalil, o PP do presidente da Assembleia José Riva e o PMDB do deputado Carlos Bezerra e do vice-governador Silval Barbosa, além do PSB, PDT e legendas da chamada Frentinha. Essas siglas hoje estão "agarradas" na gestão Maggi, principalmente por causa de centenas de cargos comissionados.

  Como fio de esperança para manter esse grupo unido contra o projeto do prefeito de Cuiabá Wilson Santos, que deve concorrer ao Palácio Paiaguás pelo PSDB, Fagundes afirma que respeita e considera natural o posicionamento do governador quando defende apoio do PR ao peemedebista e vice-governador Silval, mas, como dirigente partidário, destaca que a base governista reúne hoje outros dois pré-candidatos à sucessão estadual: Jayme e Riva. "Hoje eu tenho a missão de, como presidente do PR, buscar concretizar alianças e para as eleições do ano que vem temos três pré-candidatos a governador." Se colocando como intermediador dos diálogos, ele diz, por exemplo, que "houve avanço" nas conversações com o DEM. Destaca também que Silval abriu diálogo com Jayme e que o PR e o governador reconhecem a importância do DEM e dos Campos na vida pública. Os comentários de Fagundes são uma forma de conter a ira do cacique democrata que ensaia ruptura para se juntar ao tucanato, seguindo tendência nacional.

   Conjuntura nacional

   Perguntado se não seria difícil manter o DEM (ex-PFL) no arco de alianças do PR de Maggi, já que existe orientação da cúpula para democratas e tucanos selarem composições nos Estados, Wellington Fagundes argumenta que "não tem mais verticalização", ou seja, cada partido pode decidir o rumo que quiser sem a necessidade de seguir a Nacional. Para o deputado federal licenciado, oposição mesmo ao governo Maggi é só por parte do PSDB. Reconhece que a gestão acumula desgaste, algo que considera natural pelos 8 anos de administração, mas entende que, diferente do que ocorreu com o governo Dante de Oliveira (1995/2002), que "era popular, mas falhou muito no âmbito da gestão, Maggi é um mito administrativo e isso ajuda a transferir voto e representa peso eleitoral ao nome que o governador apoiar". O curioso é que Fagundes já foi adversário político do governador, contra o qual fez críticas duras.

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Dias | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isto é conversa de Políticos, todos farinha do mesmo SACO, agora votar em RIVA, pra ele engordar suas coleções de CALÇINHAS, nós eleitores temos memórias fracas. Votem em pessoas decentes. O Blairo tem sido ótimo governante, pode-se não transferir votos, mas é honesto. Agora votar pra Governador com estes que vem por aí é uim ABSSURDO.
    Depois vamos ter que engolir esses canalhas.

  • Pedro Paulo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Jayme morreu e esqueceu de deitar, agora, o Riva, quero ver se tem coragem de arriscar.

  • JOAO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    FORA WILSONN!! E AINDA QUER SEDIAR COPA!

    PAGOT 2010

  • messias di caprio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É INEGÁVEL QUE WELINTON TEM TRABALHO PRESTADO A MATO GROSSO E É NATURAL QUE DE OLHO NO SENADO, ELE TENHA REALMETE QUE FAZER O PAPEL DE ARTICULADOR PARA MANTER A BASE UNIDA. EU VOTO E APÓIO O RIVA PARA GOVERNADOR E NÃO TERIA DIFICULDADE EM PEDIR VOTO PAR WELINTOM PARA SENADOR. O QUE WELINTON PRECISA É MELHORAR O TRATO PARA COM AS PESSOAS POIS NESTE QUESITO ELE DEIXA E MUITO A DEZEJAR. QUANTO AO RIVA, EU VOTO E TRABALHO PARA ELE EM QUALQUER QUE SEJA O CARGO E APÓIO A QUEM ELE PEDIR, POIS O RIVA É UMA PESSOA QUE RESPEITA TODAS AS PESSOAS SEM DISTINÇÃO.

  • azzapa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou de Sinop e ao olhar este cenário pré-eleitoral, percebo que o único fato que pode abrir uma nova vertente para a eleição de Governador é, sem sombra de dúvida, o Deputado Riva. Neste mar de mesmices, entre as antigas e novas lideranças e pseudo-lideranças; quer dizer, entre os Campos, a turma do PSDB e os botinudos (os professores de Deus), o caminho natural será emergir o nome do Dep. Riva. O que já vem se verificando.

    Evidentemente que o Deputado Riva, não é nenhum santo, nem poderia ser, uma vez que quem conhece um pouco de política, sabe muito bem como a coisa rola, neste País. Ufanismos à parte temos que admitir, que o jeito brasileiro de fazer política, em períodos eleitorais ou não, vem de uma tradição onde o poder, o dinheiro e as oligarquias, sempre falam mais alto. Coisa que não é novidade, nem é de hoje. Infelizmente, acontece desde 1500.

    O Dep. Riva demonstrou e demonstra ter habilidades políticas, administrativas, que o capacitam e o habilitam a aglutinar apoios e catalisar forças para se viabilizar como a terceira via e por fim empolgar o eleitorado, tanto no interior do estado, como na baixada cuiabana.

    Os prefeitos do interior do Estado sabem o quanto o Dep. Riva é trabalhador e motivado para fazer política, de forma humilde e articulada, organizada e planejada, no melhor equilíbrio entre as viabilidades técnicas e políticas.

    Quero crer que ele consiga resolver e - ou contornar seus problemas na justiça e, enfim, se viabilizar para assumir o seu lugar, que lhe é de direito neste momento da história política de MT, como futuro governador de Mato Grosso.

    Um homem com todas estas competências e habilidades não pode simplesmente ir para o senado da república, onde será mais um, entre tantos. Mato Grosso e em especial o Nortão, ainda precisam do Sr. aqui no dia a dia do nosso Estado, onde o Dep. Riva terá plenas condições de fazer a diferença do ponto de vista administrativo, fazer história e marcar uma nova época na política mato-grossense.

    Postado às 16:35 em 10-08-2008

  • Calos Augusto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vou montar uma loja e chamar o Riva para ser meu Sócio, vamos comercializar muitassss Calcinhassss, só estou preocupado pq ele tem muitos processos e ai o bicho pega. Se a policia Federal entrar p/ valer na ficha dele, minha loja ja vai abrir Qebradaaaaa,,,,,Fora Riva, vai cuidar de seus processooooossss

  • renato | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Se juntar todos os politicos citados na materia, da situação e oposição, enfiar num SACO e mandar p/ ponte que partiu, o povo terá alguma chance de melhorar sua qualidade de vida.
    Pena que a maioria do povo é estupida, senão votariam em alguém diferente.

  • azzapa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou de Sinop e ao olhar este cenário pré-eleitoral, percebo que o único fato que pode abrir uma nova vertente para a eleição de Governador é, sem sombra de dúvida, o Deputado Riva. Neste mar de mesmices, entre as antigas e novas lideranças e pseudo-lideranças; quer dizer, entre os Campos, a turma do PSDB e os botinudos (os professores de Deus), o caminho natural será emergir o nome do Dep. Riva. O que já vem se verificando.

    Evidentemente que o Deputado Riva, não é nenhum santo, nem poderia ser, uma vez que quem conhece um pouco de política, sabe muito bem como a coisa rola, neste País. Ufanismos à parte temos que admitir, que o jeito brasileiro de fazer política, em períodos eleitorais ou não, vem de uma tradição onde o poder, o dinheiro e as oligarquias, sempre falam mais alto. Coisa que não é novidade, nem é de hoje. Infelizmente, acontece desde 1500.

    O Dep. Riva demonstrou e demonstra ter habilidades políticas, administrativas, que o capacitam e o habilitam a aglutinar apoios e catalisar forças para se viabilizar como a terceira via e por fim empolgar o eleitorado, tanto no interior do estado, como na baixada cuiabana.

    Os prefeitos do interior do Estado sabem o quanto o Dep. Riva é trabalhador e motivado para fazer política, de forma humilde e articulada, organizada e planejada, no melhor equilíbrio entre as viabilidades técnicas e políticas.

    Quero crer que ele consiga resolver e - ou contornar seus problemas na justiça e, enfim, se viabilizar para assumir o seu lugar, que lhe é de direito neste momento da história política de MT, como futuro governador de Mato Grosso.

    Um homem com todas estas competências e habilidades não pode simplesmente ir para o senado da república, onde será mais um, entre tantos. Mato Grosso e em especial o Nortão, ainda precisam do Sr. aqui no dia a dia do nosso Estado, onde o Dep. Riva terá plenas condições de fazer a diferença do ponto de vista administrativo, fazer história e marcar uma nova época na política mato-grossense.

    Postado em 10-08-2009 às 16:35 e 19:21

  • João Bafo De Onça | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Blairo Magi MITO, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK..., tem políticos em Mato Grosso que chegam às raias do ridículo para puxar o saco uns aos outros, de novo KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK...

  • bruxo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Mais que coisa, é um tremendo cara de pau, falar que o DEM pode ter seu candidato a governador indicado pelo PR, mas que brutalidade, o PR está totalmente por fora.
    Este presidente não está conseguindo aglutinar pessoal do PR, que dirá do DEM e PP.
    No PR de Rondonópolis existem 2 grupos, o grupo do Welington e o grupo do Adilton, e entre si não combinam. Presidente, cuide de seu candidato derrotado por antecipação, homem sem graça, carrancudo, e sem idéias próprias.
    Portanto, será governador de MT Jayme ou Wilson Santos e para senador vai Riva e Anterinho. Vamos aguardar.

Silvio provoca debandada no PTB-VG

silvio fidelis 400 curtinha   Silvio Fidélis (foto), afilhado político de Chico Galindo e que se tornou fiel escudeiro da prefeita várzea-grande Lucimar Campos, de cuja gestão é secretário de Educação, provocou debandada geral no PTB local. Inconformado com a decisão de Emanuelzinho de...

PTB tem 25 e deve eleger 2 à Câmara

misael galvao 400 curtinha   O PTB lançou 25 nomes a vereador em Cuiabá. E a tendência é de eleger entre um e dois. As maiores apostas são os seus próprios vereadores: Misael Galvão (foto) e Adevair Cabral, respectivamente, presidente e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara....

Retorno à Câmara após 6 mandatos

fulo 400 curtinha   Figura bastante popular, especialmente na região da Vila Operária, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (MDB), que foi vereador de Rondonópolis por seis mandatos, está de volta. Hoje suplente, ele assume provisoriamente nesta segunda a cadeira do titular Thiago Muniz, que pediu licença...

Bolsonaro nem aí para políticos de MT

nelson barbudo 400 curtinha   O cerimonial da Presidência da República deu de ombros para os políticos, inclusive para a bancada federal mato-grossense, na visita de Bolsonaro, sexta, em Sinop e Sorriso. Alguns tentaram, de forma insistente, tirar foto com o presidente. E até conseguiram. Mas o capitão preferiu...

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.