Últimas

Quinta-Feira, 17 de Maio de 2007, 10h:58 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Falso dilema

     Rio de Janeiro - Bem a seu estilo, Guido Mantega (Fazenda) expôs publicamente nesta semana seu dilema cambial. Em tom irônico, soltou o seguinte comentário sobre o aumento do investimento estrangeiro no país, que joga mais dólar na economia: "Não sei se devo festejar ou não".
     Sua fala, durante o Fórum Nacional no Rio, arrancou gargalhadas da platéia, formada por economistas e empresários. País afora, contudo, o tema gera também muito choro e ranger de dentes.
     Ali, Guido Mantega revelou espontaneamente algo que já o incomodou mais, nem tanto hoje: se comemora ao lado dos que ganham com o dólar baixo ou se fica solidário àqueles que sofrem por conta do real valorizado.
     Presente ao fórum, o economista Afonso Celso Pastore alertou que o governo não deve cair na tentação de adotar soluções fáceis que impliquem retrocesso na economia, como elevar o protecionismo.
     Citou como recaída a alta das tarifas de importação de têxteis e calçados. Pregou exatamente o contrário: abrir ainda mais a economia, medida para a qual Mantega tapou os ouvidos.
     Outro caminho seria reduzir os gastos públicos e aliviar o peso da política monetária no combate à inflação, permitindo uma queda ainda maior nas taxas de juros e melhora da taxa de câmbio. Mas por aí o governo também já sinalizou que não seguirá.
     Enquanto isso, na toada do dólar descendo a ladeira, o Banco Central deve acelerar a queda dos juros. Até lá, antes de descobrir se ri ou se chora, Mantega deveria tomar cuidado para não irritar aqueles que ganham com o atual câmbio.
     Afinal, um deles vem a ser o seu chefe. Lula só tem a ganhar com o real forte. Enquanto o dólar cai, sua popularidade sobe. Resultado de inflação baixa, poder de compra em alta, classe média voando para Disney e povão feliz da vida com a farra dos importados.

 

Valdo Cruz é jornalista da Folha de S. Paulo 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Nezinho, nova derrota e aposentadoria

nezinho 400   Aos 69 anos, o petebista Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (foto), considerado da velha guarda política, tentou, mas foi reprovado nas urnas em Nossa Senhora do Livramento. Ele concorreu a prefeito em quatro pleitos. E já exerceu dois mandatos. Nezinho já foi secretário-adjunto de Fazenda do Estado,...

EP cresce 5; Abílio perde 3, diz Ibope

emanuel pinheiro 400 curtinha   Pelos números do Ibope, revelados nesta sexta à noite pela TV Centro América (Globo), Abílio Júnior (Podemos) oscilou negativamente 3 pontos percentuais em menos de uma semana, de 48% para 45% das intenções de voto. Já o emedebista Emanuel Pinheiro (foto)...

Sob arrogância, ataque e desrespeito

abilio junior 400 curtinha   O candidato Abílio Junior (foto), que disputa o segundo turno em Cuiabá com o prefeito Emanuel, chegou bastante nervoso e irritado para o debate nesta sexta, na TV Vila Real (Record). Demonstrando arrogância, ignorou o superintendente do Grupo Gazeta de Comunicação, Dorileo Leal, na...

Candidatos, tensão, debate e bate boca

antoniocarlos   Em debate tenso, na TV Vila Real (do grupo Gazeta) e, após troca de acusações sobre atos de corrupção e servidores fantasmas, os candidatos à Prefeitura de Cuiabá Abílio Júnior (Pode) e Emanuel Pinheiro (MDB) protagonizaram bate boca por mais de uma vez. O clima ficou...

Abílio contrata 400 fiscais para eleição

A campanha do candidato Abílio Júnior (Pode) decidiu contratar 400 fiscais para atuar nesta eleição de domingo. Isso derruba o discurso do candidato do Podemos de que todos atuam de forma voluntária em prol da sua vitória. Aliás, quando questionado sobre a grande estrutura que montou neste segundo turno, inclusive sobre a equipe de marketing, disse que todos são colaboradores. Na sua versão, ninguém recebe pelo trabalho,...

Entrando na briga à AMM muito tarde

maurao curtinha 400   Mauro Rosa, o Maurão (foto), que está encerrando o segundo mandato como prefeito de Água Boa, é o único candidato no duelo com Neurilan Fraga, que busca mais um mandato no comando da AMM, entidade que representa as prefeituras mato-grossenses. O problema é que Maurão entrou...