Últimas

Domingo, 22 de Novembro de 2009, 06h:13 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

FISCALIZAÇÃO

Força-tarefa segue licitação desde edital; pressão diminui

   Na reta final do mandato e sem enfrentar escândalo até agora, o governador Blairo Maggi concordou com a proposta de adoção de uma medida preventiva para coibir irregularidades nos processos licitatórios que movimentam cerca de R$ 100 milhões mensais nas aquisições para custeio da máquina do Estado. Montou dentro da secretaria de Administração uma força-tarefa coordenada pela Casa Civil, que tem a força institucional de agir politicamente sobre todas as pastas do governo. Foi o próximo secretário Geraldo de Vitto, da Administração, que pediu ajuda os órgãos fiscalizadores e à Casa Civil. Ele não admite publicamente mas, nos bastidores, comenta que está sofrendo pressão de todos os lados, principalmente de políticos e empresários, que tentam, na base do lobby, interferir no resultado das licitações.

   Com essa medida, a tendência é daqueles que se movimentam nos bastidores pensando em arrancar fatia do erário na pressão vir a recuar. O Palácio Paiaguás nega que a medida seja motivada por qualquer indício de irregularidades nos pregões, apesar de existência de denúncias nesse sentido, o que tem deixado Vitto num fogo cruzado e desgastado na administração. O trabalho de fiscalização começa esta semana. É coordenado pela Casa Civil, mas sob a liderança da delegada fazendária Luzia de Fátima Machado. A força-tarega tem acompanhamento da Auditoria-Geral, sob José Botelho do Prado, de técnicos de carreira da Administração e coordenados também por Geraldo de Vitto e pela Casa Civil, sob Eumar Novacki, que responde cumulativamente pela Comunicação.

   A equipe vai acompanhar todo processo licitatório, desde a montagem do edital. O governo com um orçamento anual de R$ 7,7 bilhões promove compras milionárias e tem recebido reclamações de que o edital, da forma que é montado, muitas vezes exclui algumas empresas. Desse modo, a força-tarefa vai avaliar até mesmo as regras do edital, inclusive com acompanhamento por amostragem e ainda a entrega dos materiais e a execução de serviço.

   Está determinada a, quando entender necessário, pedir apoio de peritos. Um dos alvos será a área de informática, com checagem de configurações e dos componentes de equipamentos na hora de entrega e com direito à fiscalização das próprias empresas fornecedoras concorrentes. É o governo Maggi buscando respaldo do aparelho policial para blindagem e evitar que, após a saída do Palácio Paiaguás, seja alvo de denúncias.

Postar um novo comentário

Comentários (22)

  • Regis B | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A iniciativa do novacki é otima. Vem prestando um trabalho ímpar a frente da casa civil. Realmente é um secretário de estado que cumpre com o seu dever e vai mais além ajudando e dando respaldo para outras pastas. Ao contrário dos comentários negativos que não apontam falhas e criticam só por criticar, deveríamos apontar as falhas do governo atual para que pudessem melhorar.

  • sandro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • SELMO DE OLIVEIRA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Engraçado... no final do governo querem criar uma força tarefa!kkkkkk

    Piada? ou voces estão pensando que enganam todos.
    Pouca vergonha Governador e secretário.

  • Pedro Falcão | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora com o fiasco do MAIOR concurso, a casa vai cair...governador preste atenção nos atos do Sr. Geraldo de Vitto quanto as licitações a exemplo: MT SAÚDE, ÁBACO,gasolina etc...
    O pior cego é aquele que não quer enxergar.....olho vivo governador o Sr. não merece isso!! O barato muitas vezes acaba muito caro!!!!!

  • DONIZETE SENA RODRIGUES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    QUANDO ESSE GOVERNO SAIR VAI DEIXA UM BURACA NEGRO NA MAO DO SILVAL BARBOSA...

  • Germano Souza Cruz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Como o (des) governo Brairo Magi termina sem escandalos? E o dos asfaltos que beneficam apenas sua familia? E este agora do maior concurso público do páis, que tornousse A MAIOR DECEPÇÃO, O MAIOR ESCANDALO?

  • Arthur Rodrigues | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Faça o que digo, não faça o que faço: tem empresa aí na área gráfica, ligada a parente próximo desse rpz, que deita e rola nas mutretas de licitações desse governo, na área de equipamentos p/escritório então, tem uma outra que manda e desmanda, é ela redige o Edital principalmente nas especificações dos produtos, como por exemplo, uma simples carteira universitária, só falta especificar que a estrutura é de ouro, mas na hora da entrega, a carteira é simples igual a de qualquer outro fabricante, e por aí vai...

  • Jenefer Pereira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora já é tarde, isso deveria ser plano de governo no início do mandato.

    Rastros e mais rastros já estão para tráz, qualquer dia e qualquer hora, muitos cairão, os que se divertiram, viagens, hotéis, restaurantes, fazendas, chácaras, bebidas...............

    Agora nós vemos que nenhum Político tem planos concretos para administrar um País, Estado e Município, se tem, é a minoria.

    Se eles estão criando isso agora, e já mencionam que alguns ou todos os Políticos interferem nas LICITAÇÕES, é porque o mundão estava sem porteira mesmo.

    Próximo governo se for da OPOSIÇÃO e determinar uma investigação séria, O MEU DEUS FAZEI COM QUE ISSO ACONTEÇA, PREJUDICARAM MUITA GENTE HONESTA E DE BEM...............

  • paulo cesar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É incontestavel a honestidade do Gov. Blairo maggi, mais mta atenção no Sr. Geraldo de Vitto e os contratos com a Abaco, dentre outros...MUITA ATENÇÃO e olho vivo, pois quem tem rabo de palha não pula fogueira!!!

  • Nelson Marques | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vai deixar muito neguinho preocupado. Se esta medida funcionar o governo merecerá nossos parabéns. Toda ação desenvolvida para moralizar a máquina pública é muito bem vinda. Só a iniciativa já é digna de aplausos!

Sob efeito-cavalo paraguaio em ROO

thiago muniz 400 curtinha   Em Rondonópolis, o candidato a prefeito, vereador e empresário Thiago Muniz (foto), se transformou num cavalo paraguaio, expressão muito usual no futebol quando se refere a um time que dispara no início do campeonato mas, lá pela metade, começa a cair pelas tabelas. Acreditava-se...

Lula na TV deve afundar mais Julier

lula 400   O advogado Julier Sebastião da Silva, que disputa pela segunda vez a Prefeitura de Cuiabá - na primeira, em 2016, pelo PDT, ficou em terceiro lugar e, agora, pelo PT -, levou para o seu horário eleitoral o ex-presidente Lula (foto). A participação, com pedido de voto para Julier, da maior...

Na contramão dos investimentos

jose wenceslau 400 curtinha   Ao invés de reconhecer e aplaudir a iniciativa do governo estadual, que anunciou investimentos de R$ 9,5 bilhões em obras e ações, sendo R$ 6 bilhões (63%) de recursos próprios, a Fecomércio-MT, sob José Wenceslau Júnior (foto), reagiu com críticas....

Filho de ex-deputado rumo a vereador

willy taborelli 400   O coronel PM da reserva e ex-deputado estadual Perry Taborelli, que concorreu e perdeu para prefeito de Várzea Grande em 2016, lançou de novo o filho à cadeira de vereador. Trata-se do jovem advogado Willy Jacyntho Taborelli (foto), de 32 anos. Desta vez, ele concorre pelo PV. Na eleição...

Beto vê aliado como mais preparado

wellington marcos 400   O prefeito de Barra do Garças, Beto Farias (MDB), tem sido um cabo eleitoral fundamental para o candidato à sucessão municipal, advogado e atual vice-prefeito Wellington Marcos (foto), do DEM. Beto, que está concluindo o segundo mandato consecutivo com 80% de aprovação popular,...

Produtores e a unificação de eleições

antonio galvan 400 curtinha   Mato Grosso pode ter três eleições no mesmo dia, 15 de novembro. Isso porque, além das municipais e a suplementar ao Senado, alguns produtores rurais se movimentam para que a escolha do novo presidente da Aprosoja também seja na mesma data das eleitorais. Inicialmente, o pleito da...