Últimas

Sexta-Feira, 09 de Maio de 2008, 07h:41 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

CÁCERES

Francis e Fontes já rompem; Henry tira proveito


Francis Maris (PMDB) e Túlio Fontes (DEM) racham oposição

  As oposições racharam em Cáceres, cidade-pólo do Oeste mato-grossense, o que reforça o projeto de reeleição do prefeito Ricardo Henry (PP), mesmo sob desgaste político. Em princípio, os pré-candidatos à sucessão, empresário Francis Maris, o ex-prefeito Túlio Fontes (DEM) e o vereador Wilson Kishi (PDT) fecharam um pacto no sentido de escolher o nome que melhor aparecesse nas pesquisas de intenção de voto. O problema é que esse acordão, no qual se inclui outros partidos como PSDB, PSB e PPS, não durou três meses.

   Sob orientação do cacique do PMDB, deputado Carlos Bezerra, Francis se distanciou de Túlio e Kishi, mesmo em desvantagem nas intenções de voto. Ele acha que se consolidará como a principal voz de oposição aos Henry. Agora, o peemedebista trata os dois "prefeituráveis" até então aliados como adversários políticos. Percebeu que Túlio, que lidera as pesquisas, se vê isolado e que o pedetista Kishi não tem estrutura para bancar uma campanha majoritária.

   Enquanto isso, o prefeito Henry, com a articulação do irmão e deputado federal Pedro Henry, vem cooptando as principais lideranças e os partidos políticos. Em Cáceres, eles detêm o poder da mídia, trunfo importante dentro da estratégia eleitoral, pois sufoca as vozes opositoras e omite as falhas para, na outra ponta, enaltecer a gestão. O prefeito espalhou obras em vários bairros, outro trunfo para melhorar a popularidade, que está em baixa.

   Com o racha do grupo, os Henry, mesmo em envolvidos em escândalos, pavimentam terreno para continuar no poder. Na queda-de-braço, tendem a "engolir" velhos aliados e que hoje estão em campos opostos, como Túlio e Kishi. Francis Maris corre por fora. Conta com algo que acaba atraindo muitos eleitores: dinheiro.

(Às 12h50) - Peemedebista quer Túlio para deputado

  Walter Zacarkim, militante do PMDB, disse que as oposições não devem rachar. Segundo ele, o grupo hoje é composto por 14 partidos. Ele fez questão de citar, primeiro, o PMDB, numa demonstração de que seu candidato é Francis Maris. As demais siglas do grupo são DEM, PSDB, PDT, PT, PSB, PPS, PC do B, PSC, PSL, PRP, PRTB, PTC e PRB e ainda há expectativa do nanico PMN se juntar ao blocão. Zacarkim afirma que, particularmente, defende o nome de Francis por entender que o pré-candidato representa um novo estilo de administrar e seria o que mais agrega os partidos de esquerda. Em seguida, afirma que Túlio Fontes "seria um bom nome para deputado estadual (em 2010) porque contaria com apoio de vários segmentos, inclusive do empresariado".

(Às 13h) - "Vão quebrar cara", reage ex-prefeito Túlio

   O ex-prefeito Túlio Fontes, pré-candidato do DEM à sucessão municipal em Cáceres, disse que as oposições não vão se dividir. "Aqueles que estão apostando num racha vão quebrar a cara".  Em seguida, ponderou que o critério estabelecido para definição do candidato será resultado de pesquisa sobre intenção de voto. Lembra que esse acordo foi firmado entre ele (Túlio), Francis Maris e Wilson Kishi, inclusive em entrevista no dia 17 de março. "Ficou definido que o nome escolhido será dentro do que o povo quer. Estamos unidos contra o retrocesso econômico, administrativo e político porque Cáceres está passando atualmente. Não podemos retroceder", diz Túlio Fontes, numa referência à gestão Ricardo Henry (PP). Nenhum dos três "prefeituráveis" admite publicamente mas, nos bastidores, o clima é de racha. O empresário Francis Maris está em Portugal e, de lá, segue para a Itália. À distância, ele tem orientado seus assessores no sentido de reforçar sua pré-candidatura como um caminho sem volta.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Luiz Henrique Dalgoim | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Realmente o Francis tem muito dinheiro, mas deve-se verificar a origem dessa dinheirama toda. Vender moto, pode ser um meio bacana de se ganhar dinheiro limpo.
    Só falta fazer comício e contratar a torcida do Fluminense com seu conhecido pó de arroz (ou algo parecido).

  • pedro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    fiz 4 campanhas nunca perdi, acredito que desta vez nao vai ser diferente, sou reporter cinematografico profisional.........paciencia

  • Mário Aparecido | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Acredito que Ricardo Henry, apesar de todo o abuso econômico e da máquina administrativa, dessa vez vai ser enterrado. Muita gente acredita que tudo será como em 2004, quando ele surrupiou as eleições com a utilização criminosa de suas emissoras de televisão, mas as coisas não são estanques, por mais que sejamos céticos, o povo também vai mudano, ainda que aos poucos. Esse povo sofreu com três anos de completo abandono da cidade, e sabe que as obras de agora (que não são dele, mas do Estado e da União) estão sendo utilizadas de maneira eleitoreira. Seu desgaste não diminui, o que leva a crer que Túlio Fontes deve mesmo voltar à Prefeitura, já que o Francis parece só querer fazer nome para tentar depois ser deputado.

  • Álvaro Zimpterson da Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Apesar de morar na Capital, conheço um pouco a cidade de Cáceres. Vejo uma indignação muito grande do povo com o prefeito Ricardo. O povo não suportaria ele (prefeito)por mais 4 anos.
    ACORDA PESSOAL DA OPOSIÇÃO. Vocês estão com a mão na massa. É só moldar de forma que satisfaça a todos. Não se envolva pela vaidade.
    Túlio Fontes, Wilson Kishi e Francis da Cometa, são três respeitáveis nomes, onde cada um tem a sua história, seja na área política e empresarial.
    Francis da Cometa, grande empresário e totalmente independente financeiramente, com certeza poderia ser um grande prefeito também, mas, um dia, gostaria de vê-lo como DEPUTADO FEDERAL. Chega de Sangeuessugas... e Mensalão!
    O vereador Kishi, tem respeito e credibilidade. Pena que não tem dinheiro e nem ficou rico na política. Se tivesse oportunidade, gostaria também de vê-lo prefeito de Cáceres.
    O ex-prefeito Túlio Fontes é de família tradicional. Gerações e gerações passadas sempre tiveram Fontes como prefeito. O nome é muito forte e tem que ser respeitado.
    Então OPOSIÇÃO, fique certo que, DEIXANDO A VAIDADE DE LADO, com certeza VOCÊS GANHARÃO ESSA ELEIÇÃO. O povo de Cáceres não quer o mesmo.

  • Elmo Reis | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O panorama político de Cáceres não é e nem será diferente, Túlio Fontes e Wilson Kishi, essa união além de ser o melhor para o Município, a propria população tem consciência disto.Basta olhar a pesquisa e calcular a força que será a união destes dois candidatos juntos. Chega deste desmando e uso da maquina em beneficio éleitoreiro.

  • Alfredo Cunha dos Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gente como esse Zakarquim só atrapalha o Francis, que assim, falando pelos cotovelos, vai se queimando com o Túlio e o Kishi, e também com a população cacerense. Aliás, não só nesta enquete aqui do rdnews, como em todas as pesquisas já divulgadas, o Francis é o último colocado, perdendo não só pro Túlio e para o Kishi, como até para o desgastado Ricardo Henry. Então acho que o Francis tem que tomar cuidado pra não ser usado por aproveitadores (e o Zaquarquim, até outro dia, era cabo eleitoral do Túlio). Ele é realmente um bom nome, mas tem que ter humildade para reconhecer a vontade popular. Hoje, pela voz das ruas, ninguém tira a eleição da dupla Túlio e Kishi, esse como vice. Que tal essa dupla, com Francis já sendo lembrado como pré-candidato a deputado federal, pra Cáceres sair das mãos dos sanguessugas e mensaleiros? UNIÃO, MINHA GENTE!!!

  • Wilson Kishi | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson,
    Nós temos que tomar muito cuidado com os comentários. É preciso ter muito controle emocional pra não deixar levar por intrigas plantadas por adversários políticos.
    Estou confiante que a unidade vai prevalecer neste grupo de partidos que se uniram com um propósito: vencer às eleições.
    Da minha parte, estou otimista quanto ao entendimento, ainda mais quando considero que não sou impecilho para candidatura de A ou B, e sim um companheiro consciente da necessidade de se buscar a unidade.
    Se houver esse racha, o PDT vai reavaliar o cenário, podendo partir para uma candidatura própria, com aliança entre 3 a 4 partidos.

  • Luciana da Silva Oliveira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não acredito que o PMDB de Cáceres vai se querer rachar a oposição. O Francis tem que somar com o Túlio e o Kishi para arrancarem essa administração atual que tão achando que pensam que estão enganando o povo de Cáceres.

    Luciana - caceres 09 de maio de 2008

  • Marcelo Albuquerque | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabéns ao vereador Kishi e ao ex-prefeito Túlio pela posição de sobriedade. Realmente a união será importante para a oposição defenestrar os Henry do que eles entendem ser o seu curral eleitoral. A população cacerense não aguenta mais ser esfolada pelos interesses do deputado PH e agora também de seu irmão, pessoas que fizeram fortuna em tão pouco tempo de vida pública. Chega de escândalos manchando a história de nossa cidade. É hora de conscientização

  • Selma Maria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não passa pela minha cabeça que tulio e francis saiam candidatos a prefeito. Essa divisão só beneficia o prefeito ricardo henry. esses dois devem pensar muito para saber o que pretendem.
    Se confirmar a candidatura, penso que eles tao pensando em divulgar o nome para deputado. e o povo e o ultimo a saber. voces pensam q e muito esperto.

Briga eleitoral de parentes em General

renato vilela 400 general carneiro   A briga política, jurídica e eleitoral na pequena General Carneiro, de 14 mil habitantes, está acirrada e envolve, em palanques diferentes, grupos com vínculos familiares. São dois na disputa pela prefeitura. A ex-prefeita Magali Vilela desistiu de tentar de novo o teste das...

Ataques a EP e o revide dos amigos

fabinho 400 curtinha   O empresário Fábio Martins Defanti, o Fabinho Promoções (foto), que em 2016 disputou para vereador e perdeu, está sendo bombardeado de críticas em grupos de WhatsApp, inclusive pelos próprios amigos, por causa de comentários, gravados em dois vídeos, com um...

Luizão e 10 promessas em cartório

luizao 400   O empresário Luizão (foto), candidato a prefeito de Rondonópolis pelo Republicanos, registrou em cartório 10 comprimissos de gestão, garantindo, em caso de eleito, executá-los logo no primeiro mês de mandato. O primeiro deles é de zerar a fila de consultas, exames e cirurgias. E...

Ex-secretários de França sem mácula

roberto franca 400 curtinha   A assessoria jurídica da coligação de Roberto França (foto), que concorre à Prefeitura de Cuiabá pelo Patriota, classifica de mentirosa e irresponsável a notícia de que ex-secretários de França, da época em que comandou a Capital, de 1997 a...

Líderes de Lucas e apoios ao Senado

otaviano pivetta curtinha 400   As principais lideranças políticas da "República" de Lucas do Rio Verde estão divididas nos apoios sobre candidaturas ao Senado. O vice-governador Otaviano Pivetta (foto), recém-desfiliado do PDT, faz campanha pela coronel Rúbia Fernanda (Patriota), propagada como a candidata...

Reeleição difícil em Barra do Bugres

raimundo nonato 400   Aos 81 anos, o piauiense de Campo Maior, Raimundo Nonato (foto), busca renovar o mandato de prefeito de Barra do Bugres pelo DEM. Embora considerado carismático e populista, pioneiro no município e ajudado pela força da máquina pública, Nonato, que já foi prefeito nos anos 82 e 90,...

MAIS LIDAS