Últimas

Sábado, 13 de Junho de 2009, 11h:31 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

ACUSAÇÃO

Governadora do Pará afirma que o MPF é omisso em MT

Ana Júlio Carepa (PT)   A bronca entre a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), e o Ministério Público Federal, sobrou para Mato Grosso. Em um discurso afiado, a petista insinuou nesta sexta (12) que o MPF não faz nada no Estado e em outros lugares como a Mata Atlântica para combater o desmatamento em área de pecuária. “Nesses lugares também tem pecuária. Cadê a atuação? Não podemos ser castigados, o povo do Pará não pode ser castigado por erros passados”, dispara Ana Júlia.

   A declaração foi um desabafo da governadora que se sente perseguida. Ela reclama das 21 ações civis públicas ingressadas pelo órgão que pedem indenização de R$ 2,1 bilhões a pecuaristas e frigoríficos que comercializaram animais criados em fazendas desmatadas ilegalmente.Conforme reportagem do site O globo deste sábado (13), a governadora informa ainda que há um ano enviou à Assembleia Legislativa projeto adequando a lei estadual ao Código Florestal. Na queda de braço, Ana Júlia solicitou ao MPF um prazo de 60 dias para a assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) em que pecuaristas, frigoríficos e o Estado se comprometem a tomar medidas providenciais. (Sandra Costa)

  •    Clique aqui e confira a matéria na íntegra

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Maria Da Mata | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A Governadora do Pará está coberta de razão: Todos os institutos e orgãos ambientalistas que acompanham as questões de agressão à natureza, já constataram e concluiram que MT é um dos campeões de desmatamento, tendo como um dos carros-chefes de tal crime o Sr. Blairo Maggi, então fica a pergunta no ar: por que Mt não é acionado a responder pelo delito criminal?

  • Van Hausen | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Desconfio que Ana Júlia fala com conhecimento de causa.Pois não é verdade que,nesse mesmo sítio onde dedilho,cansamos de ler outros cidadãos chamando o MPE à responsabilidade e nada acontece,ninguém sequer se manifesta.

  • Jeremias | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    POis é senhores enquanto uma árvore em pé valer menos do que uma deitada teremos sempre esse problema desolador, ademais quem fiscaliza o cumprimento efetivo dos TACs? Quais as penalidades aplicadas aqueles que descumprem aquilo que fora acordado? Quem foi punido? E as grandes redes de supermercados que revendem carne de boi pirata?Enquanto reinar a impunidade e a inoperancia o cenário só tende a piorar...

  • alessio ferreira machado | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A governadora esta certíssima!!! aqui em mato grosso até parece que o MPE está a serviço do executivo estadual. Um exemplo dessa omissão são os escândalos na área ambiental, onde o juiz julier chegou a denunciar por crime ambiental o secretário de meio ambiente e nada acontece. se fosse um técnico qualquer já estaria preso como as sensacionalistas operações da policia. Só discordo com a governadora ana julia quando ela coloca como solução a lavratura dos termos de ajustamento de conduta. Acho que essa não é a melhor alternativa ainda mais sabendo da existência de alguns que foram feitos em flagrante desrespeito a legislação ambiental, e pior com a conivência de certo promotor.

  • TIMONEIRO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    QUER VER COMO VAM CAIR DE PAU NA GOVERNADORA DO PARA , SO PORQUE ELA FALOU A VERDADEDE!!!!!

  • Gilson Lima | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ELA ESTÁ SE REFERINDO AO MPF - MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL; NÃO AO MPE - MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL.
    O MPE NÃO PODE INTERVIR NO ESTADO DO PARÁ.
    QUANTO A QUESTÃO AMBIENTAL EM NOSSO ESTADO, O MAIOR PROBLEMA É QUE OS INTERESSES ECONÔMICOS E FINANCEIROS VÊM DA CLASSE POLÍTICA, OU SEJA, OS PRINCIPAIS INTERESSADOS EM MANTER O DESMATAMENTO.

  • JUCA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Interessante até agora só vemos na mídia falar absurdos sobre o Pará ,daí essa queixa da Governadora ,porém ela bate em um paraense pois o nosso ¨Procurador¨veio delá não é Dr. Mário Lúcio ,Mato grosso aguarda uma posição do SR. em relação as afirmações de sua conterrânea .

  • Van Hausen | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Muito bem, GILSON LIMA, você salvou o MPE por uma questão hierárquica.Mas, sinto informá-lo que o MPE continua como sempre foi para alegria do executivo: coniventemente inoperante!

Deputado ajudou a enterrar Binotti

neri 400 curtinha   O deputado federal Neri Geller (foto), que se acha um grande líder político, ajudou a enterrar nas urnas o projeto de reeleição do prefeito Luiz Binotti (PSD), derrotado à reeleição. Perdeu para o ex-vice-prefeito Miguel Vaz (Cidadania), que contou com apoio do ex-prefeito e atual...

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...