Últimas

Segunda-Feira, 03 de Novembro de 2008, 15h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:21

PALÁCIO PAIAGUÁS

Governo explica não ter trocado homenageados


Placa de inauguração em homenagem ao ex-governador...


João Ponce de Arruda, feita em 84, pelo governo Júlio...


...continua com mesmo nome e seu auditório, ao lado do Salão Vettorato, passou por reforma na administração Maggi
Fotos: Marcos Vergueiro

  Em nota, o governo Blairo Maggi, por meio do secretário-chefe da Casa Civil, major Eumar Novacki, contesta matéria publicada no RDNews sob título "Salão muda de Ponce de Arruda para Vettorato". Explica que, em verdade, não houve substituição do nome do auditório Governador Ponce de Arruda, que está localizado no piso térreo do Palácio Paiaguás, mas sim criação de um outro ambiente ao lado, passando a se chamar Salão Cloves Vettorato. O assunto acabou gerando polêmica e muitos comentários de leitores - saiba mais aqui.

    Eis a íntegra do release do governo sobre o assunto

   "Ao contrário do que foi publicado em matéria no site RDNews, neste domingo (02.11), o Governo do Estado de Mato Grosso não substituiu o nome do auditório Governador Ponce de Arruda, que está localizado no piso térreo do Palácio Paiaguás. O auditório inclusive, passou por uma reforma recentemente. "O Governo valoriza o passado, o presente e futuro deste Estado, e principalmente, aqueles que ajudaram e ainda ajudam a ser escrita a história de Mato Grosso", ressaltou o secretário-chefe da Casa Civil, Eumar Novacki.
   O decreto 1652 de 30 de outubro de 2008, que nominou o novo espaço como salão nobre Cloves Vettorato, em homenagem ao secretário falecido em abril deste ano, não anulou nenhum outro documento, como afirma a matéria veiculada no site, pois o auditório Governador Ponce de Arruda continua com o mesmo nome, no mesmo local onde foi criado no Palácio Paiaguás há 24 anos, pelo decreto número 661, de 17 de maio de 1984, assinado pelo governador Júlio José de Campos.
   De acordo com Novacki, o salão Cloves Vettorato foi criado para a realização de eventos e reuniões de grande porte, onde há presença de muitas pessoas. "O antigo espaço Governador Ponce de Arruda foi totalmente reformado e adpatado para continuar sendo usado pelo Governo para realização de eventos, apresentações, entre outros", afirmou.

Postar um novo comentário

Comentários (21)

  • Marcio Arantes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O POVO CUIABANO E MATOGROSSENSE IRÁ DAR A RESPOSTA NA HORA CERTA NAS PROXIMAS ELEIÇÕES. COMO NOS SOMOS HOSPITALEIROS RECEBEMOS ESTAS PESSOAS DE BRAÇOS ABERTOS E SÃO ATITUTES COMO ESTAS QUE DEVEMOS FAZER UMA REFLEXÃO PARA NO SILENCIO DARMOS O NOSSO VOTO PARA QUEM MERECE. TODOS TEM O DIREITO E ERRAR E NOS ERRAMOS DANDO OITO ANOS PARA ESTE PESSOAL.

  • Antonio Macario | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Voces repararam que o novo corte de cabelo do governador é estilo militar. Diga com que andas que direi quem tu és. Vai gostar de milico la em rondonopolis. Ah! da licença.

  • CARLOS RCOBERTO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SENHOR GOVERNADOR, SE EU FOSSE O SENHOR, ESPERARIA MAIS UM POUCO, E FARIA UMA HOMENAGEM AO VETTORATO COM UMA GRANDE OBRA, DIGNA DE UM GRANDE LIDER COMO ELE FOI.

  • Maria de Jesus Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Oh, governador...liga não...O RDnews é a quinta coluna do PSDB E DEM...Vá em frente fazendo o que deve ser feito!!!

  • mifares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Meno male.Seria muita ousadia do Senhor Blairo trocar o nome de um dos mais ilustres cuiabanos, como João Ponce de Arruda. Seria dar um tiro na própria botina. Para quem não conhece da história de Mato Grosso, segue abaixo o currículo de João Ponce de Arruda.


    CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE JOÃO PONCE DE ARRUDA
    27 de Julho de 1904



    João Ponce de Arruda, Cuiabano, filho de João Pedro de Arruda e Adelina Ponce de Arruda, nascido em 27 de Julho de 1904, graduado em Engenharia Civil.
    Em sua brilhante carreira política, assumiu o cargo de prefeito de Cuiabá em 1932, substituindo seu cunhado Júlio Müller, que fora nomeado chefe de polícia.
    Eleito Deputado Estadual em 1934, assinou à 25 de dezembro de 1935 a Constituição Estadual, deixando registrada sua restrição quanto ao preâmbulo dessa. Nesse período, em 1936, fez parte do Partido Evolucionista (Bloco da Minoria).
    Em 15 de março de 1937, foi nomeado Secretário da Agricultura, permanecendo no cargo até 06 de outubro de 1937, voltando às suas funções na Assembléia Legislativa.
    Com a decretação do Estado Novo ocorrida nesta legislatura, em 10/11/1937, a Assembléia Estadual foi fechada. Júlio Müller que também era Deputado Estadual nessa legislatura, eleito unanimamente por seus pares Governador do Estado, foi mantido por Getúlio Vargas no governo, com status de Interventor (1937/1945) e este nomeia João Ponce de Arruda como Secretário Geral do Estado, que nessa função comandou a política econômica regional.
    Ponce de Arruda coordenou a recepção da visita do Presidente da República Getúlio Vargas à Cuiabá em 1941, foi o maior evento cívico-político-social acontecido até então no Estado.
    Ponce convoca o povo para a recepção presidencial: “É esse o momento histórico por que vai passar a nossa velha capital, precisa ser vivido com intensidade, com entusiasmo que sabe ter a gloriosa gente, descendente dos gloriosos bandeirantes; com a vibração cívica de que são capazes nossa cultura e a nossa dedicação”. Cuiabá era até então a capital mais distante do litoral e era a primeira vez que um Presidente da República a visitava e procederia diversas inaugurações nela e em outras regiões do Estado. (Julio Muller, Um Grande Estadista; Jucá, Pedro Rocha. Cuiabá, 1998.
    Eleito Deputado Federal Constituinte em 1945 (eleições em 02 de dezembro) pelo PSD, tomou posse em 05 de fevereiro de 1946, consignando sua assinatura na Constituição Federal promulgada em 18 de setembro desse mesmo ano; reeleito em 1950 pelo Partido Social Democrático (PSD) com 11037 votos (o mais votado neste pleito); novamente reeleito Deputado Federal em 1954 pela Aliança Democrática Social Trabalhista (ADST) com 17557 votos (outra vez o mais votado no pleito), em 1955 candidata-se a governador pelo PSD, elege-se interrompendo seu mandato de Deputado Federal, e depois de cumprido o mandato de Governador do Estado de Mato Grosso (31/01/1956 a 31/01/1961), candidata-se novamente, em 1962, à Câmara Federal, sendo eleito, pela ADST com 22551 votos (novamente o mais votado no pleito), voltando à Câmara Federal em 01/02/1963 terminando seu mandato em 31/01/1967, pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Nas eleições de 1966 candidata-se ao Senado Federal, porém é derrotado por Fernando Correa da Costa na disputa à vaga única.
    João Ponce de Arruda faleceu em Cuiabá, aos 17 dias do mês de maio do ano de 1979, e sua memória será lembrada por todo o povo mato-grossense, terra por quem ele muito fez.
    Por essa trajetória, Ponce de Arruda foi referenciado pela Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso em sessão do dia 18 de maio de 1979, de onde podemos ilustrar, através dos discursos em sua memória, sua biografia e seu ideal de político.
    Nos anais de áudios podemos ouvir pronunciamentos emocionados de Deputados que prestaram seu tributo a memória do digno e honrado cuiabano João Ponce de Arruda.
    Pronunciamento do Sr. Deputado Alves Ferraz, da ARENA, então Líder do Governo, quando da morte do Dr. João Ponce de Arruda, na sessão dedicada à referenciar sua memória:
    “- Sr. presidente, Srs. Deputados:
    Mato Grosso hoje está de luto, perde um dos seus mais valorosos filhos, perde um elemento que sempre honrou a todos nós, a toda nossa geração conhecer Dr. João Ponce de Arruda. Filho de tradicional família de Santo Antônio do Rio Abaixo, descendentes de usineiros, iniciou a sua vida política como Prefeito de Cuiabá, após ter se diplomado em Engenharia Civil. Ainda jovem, chamado fora para as lidas políticas, nela se ingressou e nela permaneceu por toda a sua vida. Seja como Prefeito de Cuiabá, seja como Deputado Estadual, Deputado Federal por três legislaturas, Governador do Estado, Ponce de Arruda sempre foi um político - que soube elevar bem alto o nome do político, sempre exerceu uma política sadia que serviu de exemplo a seus seguidores. A sua pontualidade para os compromissos assumidos numa época difícil do Estado, quando o transporte só se fazia pela via rodoviária em estrada difíceis, mesmo assim Ponce de Arruda sempre caracterizou-se pela pontualidade no atendimento dos compromissos assumidos. Jamais em toda a sua carreira política deixou de responder a qualquer que fosse a indagação ou pedido, partisse ele do mais humilde dos eleitores até o mais alto e próspero político da sua região. Sempre com a mesma lhaneza, sempre com a mesma atenção, ele procurou enaltecer a sua qualidade de político, dando essa atenção aos seus amigos e até aos seus contrários políticos. Ontem mesmo ouvíamos de um elemento, de Ponce de Arruda relatar um fato que sucedera no seu gabinete no antigo Distrito Federal, quando Deputado Federal. O então Deputado Federal Ponce de Arruda rascunhava ou melhor redigia uma resposta a um elemento contrário a sua facção política, indagado pelo visitante se sabia de que aquele elemento era um contrário político seu, ao que fora respondido: sim hoje ele é um contrário político mas amanha será um aliado político. E com a mesma presteza que eu cuido dos negócios dos meus amigos, eu cuido também dos negócios a mim solicitados pelos que hoje não são meus amigos, na esperança e na certeza de que amanhã podemos estar juntos numa mesma facção política.
    É um exemplo dignificante e que honra à todos nos. E levando-se em consideração todas essas circunstâncias é com a mais justa razão que a família mato-grossense chora a sua morte. E quando me refiro hoje à família mato-grossense eu faço um retrocesso no tempo e estendo essa situação a todo grande Mato Grosso, à todo então grande Mato Grosso, porque Ponce de Arruda quando militou e quando exerceu esses cargos na vida pública, ele olhou todo Mato Grosso, todo nosso grande Mato Grosso como um todo e tenho certeza que também o Estado de Mato Grosso do Sul hoje está enlutado e a bandeira que representa o símbolo do Estado a este momento deve estar de meio pau.
    Portanto, Srs. Deputados, é com grande pesar que aqui me encontro hoje e transmito à família do extinto, em nome da Assembléia e em nome do Governo, os nossos mais sentidos pêsames. “
    O Deputado Estevão Torquato (ARENA), também nessa sessão usou da palavra para despedir-se, fazendo sua homenagem à João Ponce de Arruda como representante do povo:
    “- Sr. Presidente, Srs. Deputados:
    O Bloco Parlamentar Autônomo também quer trazer a sua manifestação de pesar ao enfausto acontecimento, quanto Mato Grosso perde um dos seus maiores filhos.
    Ponce de Arruda em toda a sua vida dedicou-se a este Estado de corpo e alma, quer como Prefeito, quer como Secretário Geral do Estado, auxiliando a administração de Júlio Müller. Como Parlamentar na Assembléia Legislativa do Estado, no Congresso Nacional e como Governador do Estado sempre se colocou ao serviço das coisas públicas. Como Secretário Geral, braço direito da administração Jülio Müller, deu nova roupagem a Cuiabá. Sem favor nenhum, foi ele o idealizador da primeira grande avenida em Cuiabá, que recebeu o nome de Getúlio Vargas. Plantou ali os primeiros edifícios que recebeu Cuiabá. Mais tarde, voltando ao Estado já como Governador deixava o marco da sua administração concretizado no Palácio Alencastro. (...) “
    Dessa maneira é natural observarmos a admiração e o respeito que este ilustre cuiabano despertava nos cidadãos a ele contemporâneo, confirmadas na reflexão do Deputado Oscar Ribeiro, Presidente da ALMT, na sessão em memória do ex-Deputado J. Ponce de Arruda, que sintetizaram fidedignamente sua vida e trajetória política marcadas de forma indelével na política mato-grossense: “marcado pela nobreza e o ideal de bem servir à terra e aos sentimentos mato-grossenses”
    Informar sobre os vultos proeminentes de nossa história é construir cidadania. Registrar o centenário de João Ponce de Arruda é resgatar os valores das personalidades que entraram para a nossa historia fortalecendo os princípios arraigados na cuiabania, terra mãe dos mato-grossenses.
    Por aqui passou Ponce de Arruda, é a Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso fazendo história. È o Instituto Memória disponibilizando-a para a construção do processo histórico de nossa gente.


  • André de Oliveira Curimbatá | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    há tempos esse governador e sua turma vem tentando apagar a memória do nosso povo e seus feitos, de nossa gente e de nossa gênese mato-grossense. E mais recentemente de políticos que fizeram história no desenvolvimento desse Estado. Entre eles a de Dante de Oliveira, que trouxe o gás Boliviano.
    Pelo desleixo do governador e de sua turma, o contrato do GNV está vencido há mais de ano.
    Será que não há lei para puni-lo nesses casos ?
    Bem deixa prá lá, afinal o Blairo não gosta mesmo de cuiabanos, e cada vez prova isto, com atos como esse.
    Mas em 2010 Mato Grosso vai dar o troco

  • Paulo Mattos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A rápida explicação do Secretário Novacki demonstra, dentre outras coisas: (a). O RDNews dá um banho de informação via internet, ficando amplamente demonstrado o seu poder de acessibilidade por parte dos matogrossenses, sempre atentos ao que se produz no site: (b). O Governo do Estado de Mato Grosso, tendo a frente o senhor Blairo Maggi, hoje desgastado e atravessando um verdadeiro inferno astral, já percebeu que a população de Mato Grosso não mais aceita a adoção de medidas discricionárias e que atinjam, negativamente as nossas lideranças históricas. De imediato promove-se a revolta democrática, através das manifestações escritas e faladas pelos quatro cantos do Estado; (b). O pessoal de sobrenomes distintos e impronunciáveis pelo caboclo velho matogrossense - Pagot, Vettoratto, Novacki, De Vito (de que famíglia italiana terá ele aportado em nosso Estado ?) Sachetti e outros mais - demorarão ainda uma eternidade para se consolidarem como lideranças históricas de meu Estado e, portanto, devem nos respeitar, mesmo porque estamos aqui há centenas de gerações. Não viemos pará cá à procura de uma boquinha. Nascemos aqui e temos uma árvore genealógica de matogrossenses puros, que sempre trabalharam e trabalham em benefício deste grande Estado.
    Portanto, o estrangeiro Novacki cumpriu sua obrigação, a partir do momento em que passou a entender o que é o povo matogrossense e o que representa a sua história e seus vultos.

  • Pacu Cuiabano | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Êta povinho desinformado. Vai noticiando sem saber o contexto da história. Lembrei do Chacrinha:Quem não se comunica se trumbica. Se tivessem perguntado antes de dar a notícia não estavam passando o maior carão.

  • Joana Valéria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Achei corretíssimo o que o Sr. Governador fez colocando o nome do Sr. Clóves Vettorato que foi uma das figuras mais importantes para a agropecuária matogrossense, penso que as pessoas deveriam verificar antes de sair veiculando matérias, pois pelo que entendi o Salão tem um nome e o AUDITÓRIO continua como Ponce de Arruda. Essas pessoas que falam que o Governador tem alguma coisa contra os cuiabanos estão muitos desinformados, pois a vinda deste Governo melhorou muiiiitooo nosso Estado, enquanto esses governadores anteriores apenas o atrasaram. Não é justo apenas Cuiabá crescer, concordo que deve sim levar crescimento para o restante do Estado. E deixando bem claro que a economia do nosso Estado depende da agropecuária, então concordo plenamente com o nome do Salão, Vettorato uma pessoa tão importante quanto Ponce de Arruda.

  • Nana Maria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Só quem conhece e circula pelo Palácio Paiaguás sabe as histórias que ele tem pra contar. Muitos passaram por lá e deixaram suas marcas. Nós precisamos levar as coisas mais a sério e deixar de falar aquilo que não sabemos ou não temos certeza. Jornalismo que se preze, busca a informação na íntegra, sem posição política,nem sai por aí desmoralizando pessoas ou mitos que merecem todo nosso respeito e consideração.

Cadeira de Chico 2000 pode ficar vazia

chico 2000 curtinha   A cadeira do vereador licenciado Chico 2000 (foto) pode ficar vazia pelos próximos dias. Assim, a Câmara de Cuiabá ficará com apenas 24 vereadores, um fato quase inédito. A situação inusitada se deve à destituição de Ralf Leite (MDB), 2º suplente, do...

PTB perdeu uns, mas ganhou outros

emanuelzinho 400   Em Várzea Grande, enquanto alguns militantes do PTB, puxados pelo secretário jaymista Silvio Fidelis foram para os braços do candidato a prefeito Kalil Baracat (MDB), que tem Hazama (DEM) de vice, militantes de outras legendas decidiram abraçar a candidatura do petebista Emanuelzinho (foto). São...

PT de Cuiabá passivo; ROO, autêntico

kleber amorim 400 curtinha   O PT de Rondonópolis se organizou melhor, mobilizou a militância, se tornando mais autêntico do que o núcleo petista de Cuiabá. Para se ter ideia, o partido, numa posição de coragem e levando preocupação ao prefeito Zé do Pátio, que tinha...

DEM é "suprapartidário" em Cuiabá

wilson santos, 400 curtinha   Para uns, o DEM de Cuiabá se tornou "suprapartidário". Para outros, um partido de aluguel. Além de não ter cabeça de chapa para prefeito, o partido do governador Mauro e dos irmãos Júlio e Jayme Campos enfrenta uma situação inusitada de concorrentes...

Diretório do Podemos-VG dissolvido

mara podemos curtinha 400   A direção estadual do Podemos, sob o deputado José Medeiros, destituiu o diretório municipal de Várzea Grande e anulou o encaminhamento para apoio a Kalil Baracat a prefeito. Agora sob comando provisório da professora Wilcimara Carnelós, a Mara (foto), que está na...

Silvio provoca debandada no PTB-VG

silvio fidelis 400 curtinha   Silvio Fidélis (foto), afilhado político de Chico Galindo e que se tornou fiel escudeiro da prefeita várzea-grande Lucimar Campos, de cuja gestão é secretário de Educação, provocou debandada geral no PTB local. Inconformado com a decisão de Emanuelzinho de...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.