Últimas

Domingo, 16 de Novembro de 2008, 09h:24 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:21

EDUCAÇÃO

Grupos políticos se infiltram na eleição do Cefet


Eleição para diretor-geral do Cefet e reitor do Instituto acontece 4ª e mobiliza estudantes, professores e técnicos

 Cinco candidatos concorrem às eleições no Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-MT), em Cuiabá, numa disputa marcada por interesses político-partidários e até agravada por ameaças e troca de acusações entre alguns concorrentes e correligionários. Está em jogo o cargo de diretor-geral da instituição, que também comandará o Instituto com um orçamento de aproximadamente R$ 150 milhões, maior do que muitos municípios mato-grossenses. A eleição acontece na quarta (19). O mandato é de quatro anos.

  Esse processo no Cefet tem dimensões até para as eleições gerais de 2010. Acontece que há grupos políticos ligados à instituição. Além disso, está prevista a construção de 10 unidades nos municípios, batizadas de Centro Federal de Educação Tecnológica. O Cefet vai se transformar num instituto e terá o comando não somente dos cerca de 4 mil alunos da sede, em Cuiabá, mas de aproximadamente 15 mil matriculados nos cursos de nível médio, técnico, tecnológico, licenciaturas, mestrado e doutorado.

   São estruturas executadas pelo governo federal, mas com influência de prefeitos, que tentam capitalizar sobre esses projetos. A partir desta eleição, o Instituto passa a ter autonomia orçamenária sobre os Cefet-MT e Cuiabá (São Vicente) e sobre a escola Agrotécnica de Cáceres, além das unidades.

    São cinco candidatos ao posto de diretor-geral. A direção hoje está sob Henrique do Carmo Barros. Depois de oito anos no cargo, ele joga pesado para eleger como sucessor José Bispo Barbosa. O grupo situacionista tem apoio de políticos do PSDB, como do vereador reeleito Edivá Alves, e do secretário de Educação de Cuiabá, Carlos Carlão do Nascimento, além do deputado federal Eliene Lima (PP) e seu assessor Alli Veggi Atala e outros professores que ocupam ou já exerceram cargos eletivos, a maioria de vereador.

   Além de José Bispo, estão na disputa os professores Adriano Breunig, Wilson Conciani, Gilson Francisco de Lima e Eduardo Ferreira da Cunha. Nos bastidores, a eleição está polarizada entre José Bispo, apoiado pelo tucanato, e o professor Adriano Breunig, que tem adesão do deputado federal Carlos Abicalil. Votam alunos, professores e servidores técnicos administrativos. Ao todo são aproximadamente 4 mil. Pela regra, servidores têm peso de dois terços dos votos, enquanto alunos participam com um terço.

  A legislação que transforma o Cefet-MT em Instituto diz que o diretor eleito será o reitor do Instituto, que passa a ter autonomia sobre um "gordo" orçamento e influência sobre ao menos 15 municípios. A Unidade Descentralizada de Pontes e Lacerda, por exemplo, já está atuando com dois cursos e um quadro técnico de quase 20 mestres e doutores, graças à articulação do prefeito reeleito Newton Miotto, que buscou parcerias.

  Denúncias

  Cartazes e faixas no interior do Cefet se amontoam. Os chamados "podres" da administração estão vindo à tona, inclusive através de cartas apócrifas e denúncias graves.

   Uma delas ganha repercussão estadual. Em debate em Pontes Lacerda, em 13 de novembro, o professor e candidato a diretor-geral José Bispo Barbosa disse que o Cefet, ao receber o prédio da Ceprotec de Pontes e Lacerda, que já é alvo de denúncias, percebeu que os equipamentos licitados não tinham sido instalados. Declarou também que os equipamentos de climatização, que na licitação constam como splint, foram instalados como "ar-condicionados normais". No fundo, José Bispo acusou o governo estadual de fazer falcatruas na licitação dos equipamentos da Unidade Descentralizada do Cefet em Pontes e Lacerda.


Unidade de Pontes e Lacerda é denunciado por irregularidades

(17/10 - 11h10) - Reitor será escolhido por ministro

   O reitor do Instituto Federal de Educação Tecnológica não será o diretor-geral a ser eleito para o Cefet-MT. O cargo vai ser escolhido pelo ministro da Educação, Carlos Haddad, para mandato tampão. A partir da definição do nome, abre-se prazo de 120 dias para eleição com vistas ao posto de reitor, que terá mandato de quatro anos.

   Caberá a esse reitor coordenar os campos dos Cefets, mas sem tirar autonomia dos centros tecnológicos. O Cefet-MT acaba tendo maior visibilidade por estar situado na Capital. Enquanto as unidades do interior têm cursos voltados para o agronegócio, o Cefet de Cuiabá prioriza serviços, comércio e indústria.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Amarildo Jobim | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O candidato Do NOVOS TEMPOS não cita em seu projeto o que aconteu para que ele fosse retirado da coordenação da UAB.
    Ele fez a UAB de cabide de empregos para seus amiguinhos, onde muiots deles recebiam bolsas de 600,00 a 1.200,00 sem nunca ter acessado a plataforma, de duas uma ou ele era conivente ou um pessimo administrador pois tudo aconteceu sob sua gestão na UAB.

  • Pedro Vargas | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Marcos Rey | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Uma sugestão Romilson: Faça uma pesquisa no sentido de investigar a fundo o que representa uma eleição no Cefet.É uma vergonha o que se transformou aquela, outrora, competente escola de nossa cidade. Grupos politicos comandados pelos famigerados Edivá e Carlão, fazem a pior das politicas com essa escola. Criam cargos sem criterio para abrigar apaniguados, negociam votos com alunos ( em troca de nota), malversam orçamentos e outras arbitrariedades só para manter o comando da escola. Agora com o aumento da área de atuação e com a entrada em cena do PT, a coisa só tende a piorar. Como nesta terra não existe lei, fica por conta de Deus dar um jeito na situação.

  • Cecília | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Até para escolher na base de votos o diretor-geral do CEFEMT está difícil, porque os espertinhos dos políticos de Mato Grosso já estão infiltrados nomeio, entre eles estão os Deputados Federais ELIENE e ABICALIL,(que deveriam estar em Brasília reinvindicando melhorias em vários setores de nosso estado), o Vereador Edivá, (pergunto meu Deus para que serve a Câmara Municiapl de Cuiabá, encher os bolsos destas corjas????) e o ecretário Municipal Carlão (qué um cara grosso, mau-educado e arrogante, faça um curso de boas maneiras).Tudo bem eles devem dar opiniões e idéias, acontece que o que eles querem mesmo é buscar para seus bolsos recursos públicos para suas próximas campanhas...Pois em torno de 150 milhões é ou não é muito dinheiro? fiques esperto povo de Mato Grosso com estes políticos também (ah..faltou o Pedro Henry nesta né????).

  • Junior | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A reportagem esqueceu de dizer que quem está por trás de Adriano é Fundetec que foi descredenciada por ingerencia, nunca fez um beneficio para o cefet além de engorda o bolso de meia duzia de professores que hoje choram para que a teta volte a dar leite, o CEFET não vai deixar se enganar por esses que Compram votos e xantageam tudo em busca de poder para ganhar dinheiro e não prezam pela qualidade de ensino.

  • Carlos Saldanha | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O voto é secreto, não tem preço, não cede a pressões, não se troca por cargo, tem consequências!!!!!!!!!!

    Quem quer ser Diretor, tem que dar exemplo. A estratégia para se manter nas tetas do poder nos envergonha. A educação que transforma a sociedade está correndo risco no CEFET.

    12 anos não!

  • Tadeu | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Este José Bispo Barbosa está com brincadeira de mal gosto, colocar a reputação do governador Blairo em dúvida, é só mesmo quem não entende de nada e não conheçe pessoa como o Blairo Maggi, falar em falcratuas no cefet?. José Bispo pare e pense um pouco mais, voce está passando a carroça a frente dos burros, isto não pode acontecer.

  • Helena cuinha | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK...Esse blog apoia adriano né?!Só pode!

  • Xuxa Lopes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Professor Adriano não pode ganhar senão a FUNDETEC volta pra dentro do CEFET-MT, que foi descredenciada pelo MEC como Fundação de Apoio do CEFETMT.

  • Adrian Raizo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não podemos esquecer que tem nesta campanha candidatos com o slogam NOVOS TEMPOS e condenando o continuismo, porém esta mesma chapa, tem apenas dinoussauros por trás dela... Sem falar que o candidato faz referência a uma Faculdade Privada de Várzea Grande em seus panfletos, será que ele vai querer vender o CEFET-MT... Apesar de eu saber que legalmente isso será impossivel... rsrsrs... Não sou filiado a nenhum partido, porém achei de muito mal gosto deste site a forma que trataram na reportagem o candidato José Bispo Barbosa, por caso vc estão apoiando o candidato do NOVOS TEMPOS... E só pra constar, a maioria dos politicos sitados são professores da casa, por isso acho justo a participação deles no pleito...

    FUNDETEC- NOTA 05, Ivo da Silva - nota 8, mas Adriano Breuning... xiii acho que vai ficar de P.F. pois eu naum voto nele...

Taisir coordena campanha de Eliene

taisir karim 400 curtinha   O ex-reitor da Unemat e uma das lideranças do PSD na região Oeste, Taisir Karim (foto), que chegou a se lançar de última hora como pré-candidato a prefeito de Cáceres, mas logo em seguida recuou, será o coordenador-geral da campanha de Eliene Liberato (PSB), atual...

Inaugurados 67 km de asfalto da 020

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes (foto) inaugurou nesta 5ª a pavimentação de 67,5 km da MT-020, entre Paranatinga e Canarana. Essa estrada faz parte do pacote de obras que foi retomado e já concluído nesta gestão. Foram investidos R$ 45 milhões do governo estadual. O...

Saggin critica "ditadura" e apoia Raye

paulo raye 400 curtinha   O empresário e advogado Sandro Saggin, que desistiu da candidatura a prefeito de Barra do Garças e agora apoia Paulo Raye (foto), do Pros, explica que em nenhum momento os diretórios estadual e nacional do Podemos, de cujo partido é filiado, encaminharam qualquer orientação aos...

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.