Últimas

Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2009, 11h:19 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

LEGISLATIVO

Henry ignora exclusão de ficha limpa por Câmara Federal


Henry diz que deputados receberam "pacote" pronto e não tem culpa da exclusão das emendas do Senado
Foto: Flávia Borges

    O deputado federal Pedro Henry (PP), que teve o nome envolvido em escândalos de repercussão nacional, como os esquemas do "mensalão" e dos "sanguessugas", preferiu o silêncio ao ser perguntado sobre a decisão da Câmara Federal de excluir a emenda aprovada pelo Senado sobre a exigência de “reputação ilibada e idoneidade moral” para os pretensos candidatos a cargos eletivos. “Várias coisas importantes não foram aproveitadas. Eu não vou falar deste tópico em especial”, disse o parlamentar ao RDNews.

   O progressista está em seu quarto mandato e, nos bastidores, teria ensaiado uma desistência ao projeto à reeleição. Oficialmente, porém, sinaliza nova candidatura à Câmara Federal. Pedro Henry é réu na ação penal 470, mais conhecida como processo do mensalão, que "estourou" em 2005 e quase derrubou o governo do presidente Lula. O Ministério Público Federal denunciou o progressista por formação de quadrilha, crimes contra a administração, lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, direitos e valores. O Supremo Tribunal Federal acatou a representação que tramita junto com outras 40. Ainda não há data para o julgamento.

   Caso a normativa tivesse sido aprovada pelos deputados federais, Henry, como vários políticos com mandato, teria mais trabalho para conseguir disputar nova candidato a cargos eletivos. Ele dependeria de um aval especial da Justiça. “Eu não tenho nada haver com essa decisão. A retirada das emendas do Senado foi definida durante reunião de líderes na sala do Michel Temer (PMDB - SP), que preside a Câmara Federal”, se defende Henry. Segundo ele, o “pacote” já veio pronto porque não havia tempos para prolongar as discussões. “Tenho certeza que num futuro próximo essas emendas poderão ser debatidas e aprovadas”, afirma o progressista.

   Além da emenda “ficha limpa”, foram excluídas as novas regras para a publicação de anúncios na internet (o Senado havia liberado, mas os deputados vetaram) e as de doações (o Senado havia aprovado um texto que permitia doações via internet, telefone, cartão e boleto). A Câmara manteve as doações por meio de depósitos e/ou transferências eletrônicas. (Patrícia Sanches)

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • marcola | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    isso mesmo pedro henry,vai ignorando, e
    vamos ver no que vai dár!!! se candidatar não
    vai se eleger mesmo!!! o sr. não é mais
    aquele,está fraco e esquecido!!! o PR.do gov.
    blairo maggico já definiu apoio ao dep.mauro
    savi, em cáceres o sr. já não é tão forte mais,
    o negócio tá feio pro seu lado,e ainda vem esse negócio de ficha limpa,realmente a coisa
    tá feia pro seu lado!!!

  • Marcia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infeliz aquele que acha que Pedro Henry deve ficar fora do cenario politico perde cáceres (completamente ao caos) e o estado.
    Nós cacerenses é que pagamos com isso.

  • Marcos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Esse aí é o maior FICHA SUJA que Mato Grosso já teve!
    Cáceres pede desculpas ao povo matogrossense por ter maculado a imagem do Estado com este cidadão que tanto nos envergonha.
    E claro que ele não está nem aí!! afinal nunca esteve! faz chacotas com todos nós bugres verdadeiramente matogrossenses que o levamos até Brasília.. e deu no que deu.. dá-lhe mensaleiro-suga!

  • JOSE CUIABANO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    AVE MARIA ESSE PARECE QUE COMEU E NUM GOSTO CARA FEIA MAS PUDERA GOSTA DE JAIME

  • Paulo Roberto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Olha só a cara do 171!!! E Brasilzão!!!! Se aqui a
    Justiça fosse séria!!! Só mete a borduna em po-
    bre, aí ele sente o peso dela.....Prove o contrário

  • MOSSUETO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    o HOME vai falar o que? Mas se ele não fala, nós eleitores matogrossenses, iremos dar a ele a resposta que merece, so depende dele se meter na aventura de se candidatar a qulquer coisa, e terá que sentir o peso de um eleitorado já alfabetizado politicamente, com certeza faremos o seu EXPURGO da politica matogrossense e nem o expediente da legenda ira salva-lo.

Sob efeito-cavalo paraguaio em ROO

thiago muniz 400 curtinha   Em Rondonópolis, o candidato a prefeito, vereador e empresário Thiago Muniz (foto), se transformou num cavalo paraguaio, expressão muito usual no futebol quando se refere a um time que dispara no início do campeonato mas, lá pela metade, começa a cair pelas tabelas. Acreditava-se...

Lula na TV deve afundar mais Julier

lula 400   O advogado Julier Sebastião da Silva, que disputa pela segunda vez a Prefeitura de Cuiabá - na primeira, em 2016, pelo PDT, ficou em terceiro lugar e, agora, pelo PT -, levou para o seu horário eleitoral o ex-presidente Lula (foto). A participação, com pedido de voto para Julier, da maior...

Na contramão dos investimentos

jose wenceslau 400 curtinha   Ao invés de reconhecer e aplaudir a iniciativa do governo estadual, que anunciou investimentos de R$ 9,5 bilhões em obras e ações, sendo R$ 6 bilhões (63%) de recursos próprios, a Fecomércio-MT, sob José Wenceslau Júnior (foto), reagiu com críticas....

Filho de ex-deputado rumo a vereador

willy taborelli 400   O coronel PM da reserva e ex-deputado estadual Perry Taborelli, que concorreu e perdeu para prefeito de Várzea Grande em 2016, lançou de novo o filho à cadeira de vereador. Trata-se do jovem advogado Willy Jacyntho Taborelli (foto), de 32 anos. Desta vez, ele concorre pelo PV. Na eleição...

Beto vê aliado como mais preparado

wellington marcos 400   O prefeito de Barra do Garças, Beto Farias (MDB), tem sido um cabo eleitoral fundamental para o candidato à sucessão municipal, advogado e atual vice-prefeito Wellington Marcos (foto), do DEM. Beto, que está concluindo o segundo mandato consecutivo com 80% de aprovação popular,...

Produtores e a unificação de eleições

antonio galvan 400 curtinha   Mato Grosso pode ter três eleições no mesmo dia, 15 de novembro. Isso porque, além das municipais e a suplementar ao Senado, alguns produtores rurais se movimentam para que a escolha do novo presidente da Aprosoja também seja na mesma data das eleitorais. Inicialmente, o pleito da...