Últimas

Terça-Feira, 21 de Agosto de 2007, 08h:35 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

VARIEDADES

Hino de MT tem novo ritmo, mas letra só cita MS

    Criado em 1919, o hino de Mato Grosso inova na melodia, mas mantém a mesma letra que faz referência a duas cidades de Mato Grosso do Sul, Estado desmembrado em 1979, e não cita nenhum município do MT pós-divisão. São sete minutos de filme. O musical produzido pelo Sebrae/MT mostra belas imagens da região. O fundo musical ganha modernidade com incremento de misturas de ritmos. O que acaba por deixar passar desapercebido é a referência que faz às cidades de Corumbá e Dourados, com largas diferenças culturais unidas a Mato Grosso apenas pela referência histórica. 

    A melodia registra uma nova forma com a participação do maestro Emilio Heine. Os recursos do aúdio-visual veio para abrilhantar e chamar ainda mais a atenção. O vídeoclipe foi produzido com tecnologia de cinema e apresenta belezas naturais como o Mirante, em Chapada dos Guimarães, dança típica, patrimônios históricos e outros símbolos. A economia também ganha destaque. São imagens da pecuária, agricultura, turismo e indústria. 

     Lançado na abertura da Feira do Empreendedor no último dia 15, o vídeo tem o objetivo de despertar um novo interesse pelo símbolo maior do Estado. A produção levou quatro meses para ser concluída e contou com a participação de 270 profissionais, entre músicos, cantores, técnicos de criação, produção, gravação e direção de vídeo, em sua maioria mato-grossenses. Todos trabalharam para não deturpar a melodia e, sim, deixá-la atrativa. A letra foi escrita por dom Francisco de Aquino Correa, criador e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso. O poeta e escritor foi eleito governador aos 32 anos. Criou a "Canção Mato-grossense" reconhecida em 1983 como Hino Oficial de Mato Grosso.

    Na nova versão, surgem 50 instrumentos diferentes, compondo música erudita, pop rock, rasqueado e hip hop. Não poderia faltar a já clássica viola de cocho. Na paisagem, a Velha Guarda do Rasqueado de Raiz - os saxofonistas China e Bolinha e o conjunto 5 Morenos. Um trecho do hino foi inserido na melodia Patati Patatá, do mestre Albertino, pai de Bolinha. Outra participação considerada especial é a da tribo indígena da etnia Nhambikwara, juntamente com o pesquisador dos ritmos mato-grossenses, percussionista Sandro Souza. Ele toca a bruaca, um instrumento típico do Pantanal.

    A aldeia Waklitsu localizada no município de Sapezal, faz parte do cenário. Também participa a orquestra de Flautas do Instituto Flauta Mágica com o maestro Gilberto Mendes. Além dos músicos tocadores de viola de cocho Bruno, Carol e Estela. O toque de Hip Hop ficou por conta do Grupo Linha Dura e DJ Taba, da Central Única das Favelas (CUFA-MT), a cantora Vera Capilé, o Grupo Vanguart, umas das melhores revelações musicais do país e o grupo vocal masculino Alma de Gato que abre com seis vozes, o hino tradicionalmente cantado em uma só voz. (Simone Alves - RDNews)

Confira no vídeo o novo ritmo do Hino de MT,
preparado pelo Sebrae especialmente para o RDNews.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • DE SOUZA JONAS | Domingo, 28 de Abril de 2019, 11h39
    0
    0

    O Hino de Mato Grosso tem uma linda melodia, de certa forma com as primeiras notas com tempos parecidos com os do Hino Nacional. A letra é do grande Dom Aquino, com linguagem própria da época de um parnasianismo que chegou atrasadamente ao estado. E em razão de ser uma letra LONNNGAAAA, não chama a atenção do cidadão mais jovem.

  • Edilberto Avelino dos santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou professor de história,estou tentando de forma simples e primária interpretar o hino de Mato Grosso,que sem sombra de dúvida é um hino interessante, para nós que não entendemos de música é um pouco díficil acompanhar.Sinto - me feliz de ter acesso a algo desta natureza que busca em um novo cenário envolver a diversidade cultural.
    Quando Dom Aquino no contexto de sua época enaltece os bandeirantes(alguns deles foram matadores de índios) e inocentemente na mentalidade de sua época chama de FEROZ o Paiaguás.Penso no contexto da época qual era a mentalidade de D. Aquino a respeito dos povos indígenas?.

  • Toninho de Souza | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O hino de Mato Grosso por sí só já é lindo, mas ficou maravilhoso com o novo arranjo musical. O video ficou show de bola.Trabalho perfeito, principalmente da edição de imagens. Parabéns a toda equipe que participou das filmagens e aos artistas que também deram um show de interpretação. Nota mil.

  • FRANCISCO CAMPOS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabéns, Fabrício, Abel Santos, Vera Capilé e outros chega arrepiar, nós Matogrossenses sentimos emocionados e viajamos embalados no tempo de outrora, pela bela roupagem musical que vocês fizeram. Ficou magnífico e deslumbrante.

  • Francisco Monteiro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não tive a oportunidade de ver o trabalho dos nossos artistas, porem conheço as suas qualidades artísticas e o quanto os mesmos já contribuiram com a cultura mato-grossense. Quanto citar as cidades de Corumbá e Dourados, não diz respeito as suas situações geográfica, mas sim onde os "cuiabanos" ajudaram a escrever a história do Brasil, marcando com os seus sangue a divisa da grande Nação brasileira. O hino se refere aos feitos históricos,tanto do General Antonio Maria Coleho, que partindo de Cuiabá retomou a cidade de Corumbá que se encontrava sob o domínio paraguaio, bem como do Tenente Antonio João Ribeiro, filho de Poconé, que resistiu até a morte a consentir a invasão do solo pátrio, tendo deixado registrado a célebre frase: "Sei que morro, mas o meu sangue e o dos meus companheiros servirão de solene protesto contra a invasão do solo da minha Pátria". São estes os motivos que me levam a defender ardorosamente a manutenção do nosso hino como ele foi escrito, pois tem a cara do povo mato-grossense.

  • Ademar Adams | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O comentarista Chico Monteiro fez bem em ensinar que as referências a Dourados e Corumbá no hino de Mato Grosso, são homenagem as episódios da Guerra do Paraguai.
    O hino é maravilhoso, e não deve ser mudado em nada. Acho válido quando fazem uma nova versão, mas o que é oficial permanece.
    Não conheço os hinos da maioris dos estados, mas dos que conheço, nenhum chega perto do hino mato-grossense.

  • Patricia Almeida | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    vale a pena apostar no áudio-visual da galera de MT. è assistir o vídeo pra ver que o pessoal tem potencial.

  • BÊ | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Tá vendo como a parceria traz bons resultados. Muito bom. É acreditar pessoal e fazer. Vamos investir mais em projetos como esse

IFMT e novo laboratório pra testagem

deiver 400 curtinha   Numa iniciativa inédita, o Campus do IFMT Cuiabá - Bela Vista, sob o diretor-geral Deiver Alessandro Teixeira (foto), terá um novo laboratório a ser utilizado para análise sorológica da Covid-19, através da pesquisa de IgG e IgM. A obra, orçada em R$ 1 milhão,...

Comitê chama órgãos fiscalizadores

emanuel pinheiro 400 curtinha   Para colocar fim às críticas sobre suposta falta de transparência na aplicação dos recursos transferidos a Cuiabá pelo governo federal com vistas ao enfrentamento à pandemia, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) determinou que seu secretário de Saúde, Luiz...

PT sob risco de não eleger ninguém

marcos viana 400 curtinha   Mesmo tendo cabeça de chapa para prefeito, no caso o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva, o PT dificilmente elege um vereador em Cuiabá no pleito deste ano. A chapa de pré-candidatos proporcionais é fraquíssima. O "grande" nome do partido é da professora Edna...

Único da família Oliveira pra vereador

luluca 400 curtinha   Na queda-de-braço entre irmãos, venceu, por enquanto, Luiz Arthur Oliveira Ribeiro, o Luluca (foto), que será candidato a vereador pelo MDB em Cuiabá, carregando o espólio político da família Oliveira. Irmão de Luluca, o ex-vereador Leonardo Oliveira, que procurou e...

2 nomes do DEM avaliam desistência

ivan evangelista 400 curtinha   A chapa de pré-candidatos do DEM a vereador pela Capital corre risco de sofrer duas baixas consideráveis. Os ex-vereadores Ivan Evangelista (foto), que atuou na Câmara por 13 anos, e Leonardo Oliveira, por dois mandatos, podem vir a desistir do teste das urnas. Mas, por enqanto, ambos garantem...

Sexto suplente na Câmara por um mês

aluizio leite 400 curtinha   Aluízio Leite (foto), filiado histórico do PV, tomou posse como vereador pela Capital na último dia 2. Mas vai ficar na cadeira por somente 31 dias, até o retorno do titular, delegado Marcos Veloso, que se afastou para cuidar de assuntos pessoais e hoje se encontra hospitalizado com...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.