Últimas

Segunda-Feira, 09 de Julho de 2007, 01h:51 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

INFRAESTRUTURA

Indicado ao Dnit favoreceu amigo em MT

Após Luiz Antônio Pagot assumir secretaria estadual de Infra-Estrutura, em 2003, repasses a construtora cresceram 2.637%

Mauro Carvalho atuou na tesouraria da campanha de Blairo Maggi (PR) em 2006, coordenada por Pagot, que será sabatinado no Senado

JOÃO CARLOS MAGALHÃES
DA AGÊNCIA FOLHA

Durante a gestão de Luiz Antônio Pagot na Secretaria de Infra-Estrutura de Mato Grosso, os repasses estatais à empreiteira de um amigo dele cresceram 2.637% em comparação com os últimos anos do governo estadual anterior. Pagot foi indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir a presidência do Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes).
A empresa é a Lotufo Engenharia. O amigo e colega de trabalho, conforme definiu Pagot, é Mauro Carvalho, que atuou no setor financeiro da campanha para a reeleição do governador Blairo Maggi (PR-MT), no ano passado. A campanha foi coordenada por Pagot.
Em 2001 e 2002, últimos anos do governo do tucano Dante de Oliveira, morto no ano passado, a soma dos pagamentos do Estado à empreiteira foi de R$ 457.127. Em 2003 e 2004, dois primeiros anos do governo Maggi, os contratos com a empresa saltaram, juntos, para R$ 12.511.675 -daí os 2.637% de aumento.
Os valores aumentaram ainda mais nos anos seguintes. Em 2005, a empresa ganhou R$ 12.666.483. Em 2006, recebeu R$ 16.116.911. Pagot comandou a secretaria de Infra-Estrutura de Mato Grosso até meados de 2005. Os dados constam de auditoria feita em janeiro deste ano pela Assembléia Legislativa, a pedido de lideranças partidárias da Casa.
A auditoria contabilizou 37 contratos da Lotufo com o governo Maggi entre 2003 e 2006. O auditor disse que recebeu os papéis de apenas 11 licitações desses contratos.
O relatório da auditoria aponta problemas em cinco das 11 licitações analisadas. As supostas irregularidades se referem principalmente a omissões de dados nos projetos básicos das obras. A maioria delas foi para construção de prédios e restauração de estradas.
O maior contrato é para a construção de um ginásio poliesportivo em Cuiabá, orçado em R$ 22,9 milhões -40% da obra foi concluída e paga.
O relatório da auditoria não é conclusivo porque nem todos os documentos foram fornecidos pelo governo, aponta a análise. Também não foi votado pelos deputados nem tem capacidade de apontar sanções.
Nos quatro primeiros anos da gestão Maggi, o Tribunal de Contas do Estado nunca contestou obras da Lotufo para o governo. As contas da secretaria de Pagot foram sempre aprovadas.
A reportagem tentou durante toda a semana, sem sucesso, conversar com Manoel Marques Fontes, auditor-geral da Assembléia Legislativa do Estado, que assina o relatório.
Por meio de assessores, Fontes indicou o deputado José Riva (PP-MT), primeiro-secretário da Mesa Diretora, para comentar a auditoria. A Folha deixou recados para Riva, mas ele não ligou de volta.
Pagot contestou a legalidade do documento, mas não desmentiu os números. Ele e Mauro Carvalho negaram irregularidades ou benefícios à Lotufo (leia texto nesta página).
Carvalho afirmou que era uma das pessoas que dialogava com o governo de Mato Grosso sobre as obras da empresa, mas que não participa ativamente da administração da Lotufo.
Já seu sócio, Luiz Lotufo, disse que ninguém discutia obras com o governo, uma vez que elas eram reguladas por meio de licitações.

Sabatina
A sabatina no Senado que determinará a admissão de Pagot no Dnit, criticada pelo PSDB, foi adiada e deve acontecer nesta semana. O processo de admissão foi acelerado depois que o senador Jayme Campos (DEM-MT) -cujo primeiro suplente é justamente Pagot- assumiu sua relatoria.

"Amizade não influenciou", afirma Pagot

DA AGÊNCIA FOLHA

Luiz Antônio Pagot e Mauro Carvalho negaram que a relação de amizade entre os dois tenha influído nos contratos entre a Lotufo Engenharia e o governo de Mato Grosso.
Eles também afirmaram que não há irregularidades nas obras e que elas foram contratadas por meio de licitações.
"Só porque um cidadão é meu amigo ou do governador vou mantê-lo isolado do Estado?", questionou Pagot.
Para ele, o parecer da Assembléia Legislativa é "um exemplo clássico de denuncismo" para prejudicar sua posse no Dnit. "É um documento faccioso, feito à margem do processo legal da Assembléia."
Pagot não desmentiu os dados que constam do parecer e afirmou que os valores dos repasses à Lotufo "devem ser até maiores".
Ele disse também que o caso da Lotufo não é único. Afirmou que outras empresas, que antes quase não comercializavam com o governo, tiveram ganhos substanciais em contratos estatais durante a gestão de Blairo Maggi.
Mauro Carvalho disse que o crescimento da empresa durante o governo Maggi se deve a uma opção de mercado. Antes, a empresa quase não entrava em concorrências governamentais, disse.
"Mas, com a seriedade do governo [Maggi], resolvemos participar. Foi uma estratégia", afirmou.
Ele afirmou também que, se comparada com outras empresas do Estado, a Lotufo ganhou poucas licitações. (JCM)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

PEC da Previdência na pauta nesta 5ª

dilmar dal bosco 400 curtinha   A polêmica e controversa PEC da Previdência, apresentada pelo governador Mauro, deve ser apreciada nesta quinta, em primeira votação, pelos deputados. O Executivo conseguiu os votos mínimos necessários para conseguir aprovação. Deputados da oposição...

Caminho bem consolidado à reeleição

leonardo 400 curtinha   Dos prefeitos que podem ir à reeleição de cidades pólos, o que encontra situação mais confortável é Leonardo Bortolini, o Léo (foto), de Primavera do Leste. Bem articulado e habilidoso politicamente e com uma relação extensa de obras e...

PSDB e balão de ensaio para prefeito

paulo borges 400 curtinha   Bastante enfraquecido e fragilizado, após perda do comando do Executivo estadual e de quadro de filiados, o PSDB anuncia que terá candidato a prefeito de Cuiabá. E até lista três "prefeitáveis", sendo eles os empresários Luiz Carlos Nigro e Dorileo Leal, além do...

Grupo de Fabinho ávido pelo poder

fabio tardin 400 vereador   Uma ala do DEM de Várzea Grande, que se sente excluída do Paço Couto Magalhães, está torcendo pela cassação da prefeita Lucimar e do vice Hazama. O placar do julgamento no TSE está em 2 a 1 pela manutenção do mandato. Esse bloco anti-Lucimar é...

Vereadores oficializam 2 férias por ano

emerson 400 alta floresta curtinha   Os vereadores de Alta Floresta, no Nortão, aproveitaram este período de pandemia, com as atividades presenciais suspensas, para garantir dois períodos de "férias" por ano. Em decisão desta segunda, a Câmara Municipal, presidida por Emerson Sais Machado (foto), alterou o...

Comissão da Câmara sob efeito-Covid

renivaldo 400 curtinha   Em meio às discussões sobre transparência e compras emergenciais de medicamento, insumos e equipamentos às unidades de saúde, na luta contra a pandemia da Covid-19, a Câmara de Cuiabá criou uma Comissão Especial, composta por três vereadores. Tem a...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Até dezembro, o IFMT terá eleição para Reitoria. Quem você acha que será eleito dos candidatos abaixos?

Deiver Alessandro

Julio Santos

Nenhum deles

Não tenho ideia

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.