Últimas

Quarta-Feira, 26 de Março de 2008, 20h:56 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

RONDONÓPOLIS

Irritado, Sachetti vê politicagem em Pátio e Muniz

Adilton Sachetti, prefeito de Rondonópolis  O prefeito de Rondonópolis, Adilton Sachetti (PR), que deflagrou sua pré-campanha por um novo mandato, se mostrou irritado nesta quarta com o principal adversário, deputado Zé Carlos do Pátio (PMDB), por causa da denúncia de que o gestor teria se beneficiado de uma área que abrigava uma escola. "Ele (Pátio) precisa aprender o que é bom para a sociedade: um terreno abandonado ou salas-de-aulas? Chega de tanta demagogia política. A população não aceita mais isso", declarou o prefeito, para, em seguida, pedir desculpas pelo desabafo.

   Sachetti disse ainda que o deputado peemedebista participou do processo de doação do terreno e o acusou de fazer politicagem. “Ele deve respeitar quem trabalha. Se não está acostumado, precisa começar a olhar para essas pessoas que fazem o certo”, reagiu. O prefeito garantiu que tudo foi feito de forma legal, com autorização da Assembléia Legislativa. Segundo Sachetti, a venda do terreno foi feita através de leilão público e rendeu aos cofres públicos mais de R$ 1 milhão, revertido para construção de salas-de-aulas. "Foram construídas 35 salas em bairros com mais dificuldades e que não tinham condições de ampliar as unidades".

    O republicano explicou também que a escola já havia sido desativada há mais de dois anos, pois não havia demanda. "Por ser um bairro de classe média-alta a maioria das crianças estudam num colégio particular do próprio bairro e não havia necessidade de uma escola pública no local", afirma. Sachetti contou ainda que o prédio estava abandonado, servindo de ponto de encontro para marginais. "As pessoas estavam frequentando o lugar para usar drogas, prejudicando a própria população", comenta.

   Sachetti esclareceu que a rua fechada em função da ampliação de sua casa foi adquirida através de um leilão, há mais de cinco anos. "Na época, o prefeito Percival Muniz (PPS) fechou várias ruas no bairro e transformou em terrenos que foram leiloados. Eu comprei uma dessas ruas e depois vendi metade para o governador, através de uma negociação particular, feita de forma legal", esclarece.

    Dívidas

   Adilton Sachetti também rebateu a acusação do deputado Muniz referente às dívidas da Prefeitura de Rondonópolis com a Rede/Cemat. Muniz, que foi prefeito por dois mandatos, insinuou que o republicano teria se beneficiado com a dívida deixada por ele no valor de R$ 6 milhões. Clique aqui e confira.

   Muniz acusou Sachetti, com quem está rompido politicamente, de ter feito um acordo com a Rede/Cemat e aumentado a dívida para R$ 18 milhões. O republicano, que já contou com o apoio do hoje deputado na eleição de 2004, pondera não ter nada para esclarecer sobre o assunto, pois a dívida não é dele. "O Percival é quem tem que explicar alguma coisa, pois foi ele que mrecebeu o dinheiro do povo e não pagou. Eu fiz um acordo com a Cemat, aprovado pelo Tribunal de Contas, para renegociar a dívida deixada por ele. Aliás, o Percival deveria ler o acordo para saber como se faz para pagar as contas em dia", rebateu. (Alline Marques)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • zezinho da vila operaria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isso ae seu adirton, mostra para o povo como o senhor fez a magica de 06 milhoes virar 18 milhoes da noite para o dia, o percival postergava a divida por achar os numeros inreais e por ser suposição, mais o senhor assinou o atestado de culpa liquidando uma divida mostruosa e absurda, vamos pedir a intervençao do MP atraves da promotora, que ela sim faz a funçao de fiscalizadora da lei.
    Outra coisa vamos solicitar uma consulta de opiniao publica em relaçao a este pagamento e informar o valor que o prefeito pagou para uma empresa privada.
    Eu queria tambem saber sobre como algumas construtoras falidas liguidaram suas dividas e no mesmo local montarão outras 4, que da noite para o dia ficaram ricas será que o mercado é tão promissor ou é só eleitoreiro?

Avaliar realiza pesquisa em Cuiabá

antero 400   O instituto Avaliar Pesquisa e Comunicação Estratégica, vinculado ao ex-senador, jornalista e marqueteiro Antero de Barros (foto), foi contratado pelo site Preto no Branco, do próprio Antero, para realizar uma pesquisa sobre intenções de voto para prefeito e vereador de Cuiabá....

Patriota, vários evangélicos e cantor

oscemario daltro 400 curtinha   O nanico Patriota, hoje sem um assento na Câmara de Cuiabá, lançou chapa completa para vereador, com 38 nomes. E pode eleger até dois. A proporcional acaba se fortalecendo porque o partido tem cabeça de chapa ao Executivo, o ex-prefeito por dois mandatos Roberto França. Entre...

Colíder com 2 candidatos desgastados

jaiminho 400 curtinha   Em Colíder, duas figuras bastante desgastadas politicamente estão na disputa pelo Executivo, sendo o prefeito Noboru Tomiyoshi, que fechou aliança com apenas três partidos (DEM, PSD e SD), e o ex-prefeito Jaime Marques (foto), que concorre pelo PSC numa coligação que agrega DEM e...

PP com 25 a vereador projeta 3 vagas

orivaldo da farmacia 400 curtinha   O PP, da base aliada do prefeito Emanuel, conta com 25 candidatos a vereador pela Capital. Deve conquistar entre duas e três vagas. Os principais concorrentes são os já vereadores Orivaldo da Farmácia (foto), Marcrean Santos e Luis Cláudio, além do ex-vereador...

MPE vê prefeita de Torixoréu inelegível

ines 400 curtinha torixoreu   Para o Ministério Público Eleitoral, a prefeita de Torixoréu, Inês Mesquita Moraes Coelho (foto), que se lançou à reeleição pelo DEM, está inelegível. Numa ação de impugnação de registro de candidatura, o promotor...

Candidato amarga derrota na Justiça

adilson gon�alves 400 curtinha   O candidato a prefeito de Barra do Garças, delegado Adilson Gonçalves (foto), tentou, sem êxito na Justiça, censurar o Rdnews na publicação de matérias sobre o pleito eleitoral no município. Numa ação impetrada junto à...