Últimas

Terça-Feira, 04 de Agosto de 2009, 23h:22 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

DEBATE

Jabor afirma que corrupção é atraso e elogia governo FHC


Cineasta e jornalista Arnaldo Jabor detona políticos corruptos, durante palestra nesta 3ª em Cuiabá

  Em palestra em Cuiabá nesta terça à noite, o cineasta carioca e jornalista Arnaldo Jabor, comentarista de telejornal da TV Globo, esculhambou a classe política, relembrou os escândalos e seus personagens, condenou o regime militar (64/85), disparou sua metralhadora giratória com direito a palavrões, fez rasgados elogios ao governo FHC (1995/2002) e, por fim, diz torcer para que José Serra (PSDB) seja o próximo presidente da República. Numa mistura de história e piada, ele provocou gargalhada no público. Cerca de 500 pessoas assistiram a palestra "Brasil 2009 - Presente e Futuro", que integra a agenda do 5º Fórum IEL Gestão Empresarial, organizado pelo Sistema Fiemt. Sentado numa pequena mesa, Jabor falou por menos de duas horas, sem a preocupação de seguir a ordem cronológico dos fatos históricos, principalmente na política.

------------------------------
"Atravessamos a época da ressusrreição
de Collor, da morte lenta de Sarney
e do fortalecimento de Renan"
------------------------------

   Na avaliação de Jabor, o feudalismo está acabando. Considera que o Brasil vive hoje uma fase de transição, mas com muitos resquícios do passado. "As leis não são cumpridas e tudo é construído para não ir para frente porque muitos não têm interesse no progresso". Traduz um Brasil que vive uma época marcada pela "ressurreição" do ex-presidente Fernando Collor, hoje senador (PTB-AL), pela "morte" lenta do presidente do Senado José Sarney, envolvido em vários escândalos, e pelo fortalecimento de Renan Calheiros, que também foi tirado da presidência do Senado. "Aqui no Brasil, ao invés de enfraquecer, se fortalece". Jabor critica o regime democrático sem controle. "O país melhorou nos últimos 20 anos, mas aconteceram coisas na política horríveis".

   Formado em Direito, Arnaldo Jabor lembrou da luta para derrubar o regime militar. Discorreu sobre a morte do então presidente eleito Tancredo Neves e do surgimento no seio popular de duas fontes, a de liberdade, após 21 anos dos anos de chumbo, marcados por prisões, torturas e mortes, e a fonte de democracia. Lamenta que a corrupção e o despreparo pós-ditatura militar trouxeram decepções, principalmente nos governos José Sarney e Fernando Collor quando a inflação chegou a 80% ao mês. Conta que em 92, a inflação fechou em 2.000%. "Era difícil morar no Brasil. A correção monetária matou gente de fome. O povo teve a liberdade, mas, ao mesmo tempo, se mostrou decepcionado". Arnaldo Jabor conta que foi no governo Collor, quando houve apreensão do dinheiro da população no banco, com liberação de apenas 50 cruzeiros, que ele abandonou o projeto de produzir um filme e pediu emprego no jornal a Folha de S. Paulo.

--------------
"O Maluf provoca
crise na gente"
--------------

   O palestrante lembrou das malandragens de PC Farias, que foi tesoureiro do governo Collor e enfatizou que este não pode ser comparado à turma do mensalão, como José Dirceu e Marcos Valério. Brincou com o deputado Paulo Maluf. "O Maluf fala que não tem conta no exterior, mesmo mediante provas que desmentem-no. Assim, o Maluf provoca crise na gente". Ele discorreu também sobre personagens do meio político como a ex-ministra da Fazenda do governo Collor, Zélia Cardoso de Mello. Avalia que o governo Itamar Franco acertou quando nomeou FHC para o Ministério da Fazenda. Jabor se "desmanchou" em elogios ao ex-presidente, chamando-o de intelectural, de esquerda e de um líder sério. Disse que o governo FHC só não ganha do de Lula em matéria de comunicação.

    Destaques para FHC

  Segundo Jabor, FHC tentou mudar a agenda do Brasil, dentro de uma consciência de organização republicana. Conta que o governo do tucanato acabou com a inflação e lançou, há 15 anos, o Plano Real. "O PT entrou até na Justiça contra o Plano Real. Chega de utopia e de visão do atraso. A chegada de FHC no governo trouxe o caminho da modernização e Lula foi um privilegiado por pegar um país privilegiado." O comentarista de telejornal admite que "Lula é importante e não é canalha, pois trouxe coisas novas". Lembra de quando Lula surgiu do ABC paulista tinha uma visão pragmática da política e que influenciou FHC, Mário Covas e Franco Montoro. Depois, acabou usado por leninistas e figuras como Dirceu, Marco Aurélioo e Eduardo Suplicy. Jabor imagina que o ex-ministro e ex-deputado José Dirceu tenha usado Lula para tomar o poder e se locompretar e com apoio da Igreja e de intelectuais. Por isso, essa banda acabou dando cara arcaica para o PT com raciocínio de que os fins justificam os meios.

   Na concepção de Jabor, Roberto Jefferson, o ex-deputado que foi cassado mas denunciou o esquema do mensalão, virou ídolo porque, não fosse o petebista, o grupo de Dirceu estaria ditando as cartas do governo e com alta inflação, além do risco de ter acabado com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Disse que Antonio Palocci, então ministro da Fazenda, manteve a macroeconomia da gestão FHC. Jabor "descasca" o governo Lula, para quem não consegue construir estradas e que até agora não promoveu reforma fiscal e nem a trabalhista e só manteve controle da inflação. "O governo melhorou com Roberto Jefersson, que levou à queda alguns petista, mas manteve os velhos vícios. Não existem 10 obras reais deste governo. É só PAC, PAC e PAC, que só executou 2% até agora".


Arnaldo Jabor diz que gestão Lula tem 2 cabeças, a com chapéu para banqueiro e outra para pelegos da CUT
Fotos: Júnior Andrade

   O palestrante considera que neste segundo mandato Lula só pensa no próprio umbigo, pois topou todas as alianças. Destaca da gestão petista a manutenção da macroeconomia e o Bolsa-Família. Observa que Lula está arrebentando com 70% de aprovação popular num país onde a economia está arruinando. Jabor diz que é destinado apenas 1% do orçamento da União para investimentos. Os 99% são para gastos e custeios. "O governo tem duas cabeças. Puxa o chapéu dos banqueiros e também dos pelegos da CUT. O que me dá raiva é saber que o governo poderia fazer muito, mas não faz".

   Segundo Jabor, com o golpe de 64, quando implantou-se a ditatura militar, as pessoas viviam sob muitas ilusões. Atuando na imprensa desde 1962, à época no Jornal Metropolitano, ele observa que acompanhou várias crises e que, na tentativa de sair delas, as pessoas tinham a sensação de que as coisas estavam mudando, mas nunca saíram do mesmo lugar. "As crises nos últimos 20 anos estão provocando mudanças por uma série de fatores", enfatiza Jabor, para quem o país é resultado de lutas e atrasos. Ele diz que o país é arcaico e colonial e que passou depois a acompanhar a modernização. Considera que as crises servem para se pensar fatores contemporâneos, como economia e tecnologia.

   Considera que a ideia de utopia é burra. "Isso não existe. O que interessa é o concreto. Há 40 anos a opinião pública nada sabia porque não havia essa espantosa revolução da tecnologia da informação." Arnaldo Jabor lembra que o fax, por exemplo, veio a surgir no Brasil há 20 anos. Em seguida, cita exemplo de avanço tecnológico o sistema de busca google na internet. "Agora eu coloco meu nome lá e sai tudo, até coisas sobre mim que eu nem sei", comenta Jabor, sob risos da plateia. Em seguida, emenda com uma frase dita pelo escritor e ator de teatro Nelson Rodrigues (1912-1980): "Se o mundo acabar, não se perde absolutamente nada". (Romilson Dourado)

Postar um novo comentário

Comentários (19)

  • Zequinha | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não gosto desse cara, ninguem sabe a sua nacionalidade, pois passou muito tempo fora do pais, acho que esta mais para americano e aqui no Brasil se acha o cara; É um homem globalizado, é contra a Igreja não respeitando sua doutrina, amigo intimo de Fernando Henrique Cardoso e para levar vantage , fala mal do Lula e não merece meu respeito .´Ele não tem cara de cidadão brasileiro e deve sair daqui falando mal de todos principalmente daquele que o chamou, Tantos outros para palestrar, logo esse....

  • Jonas | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Como é da Globo, todos ficaram encantados com Jabor, tantos outros de nomes, vocês trazem um politiqueiro puxador de saco do presidente FHC? Sai fora, ninguem merece, mas como é da globo todos acharam; Nossa como é lindo, Inteligente. Ai perguntei de que se trata ? É o Jabor, não o assunto , é é é é é, Internete.

  • luiz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    esse jabor veio dar palestra sobre que assunto??? pelo jeito ele veio puxar saco de FHC e do José serra. o jabor o LULA é igual massa de bolo quanto mas bate mais ele cresce!!!! antero vanderleia deve ta sorrindo atoa hoje.

  • ninja | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Dar espeçao prá um desocupado como esse Jabor é brincadeira! Manda ele trabalhar que é mais proveitoso para o país, ao invés de ficar falando asneiras sobre o Lula e seu governo e enaltecendo o FHC, que deu várias empresas brasileiras para o Daniel Dantas e sua camarilha.

  • Antonio Teixeira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Lula não é canalha mas o Jabor é. Enquanto o Lula, um nordestino analfabeto luta pela uma mudança radical na educação no Brasil, e que todos tenham acesso a um diploma, independente de classe social, esse jornalista, opa não é jornalista, salário altíssimo da globo acha que não é necessário. Quanto deve ganhar da globo para falar mal do governo e muitas vezes com comentários preconceituosos. Ele, o José Serra que não é economista, e outros podem???

  • Adão de Oliveira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Este cidadão, na década de 70, foi beneficiado pelo dinheiro da ditadura, para financiamento de seus filmes malucos. Como filho de militar e cineasta frustado, em nada prosperou na carreira.
    Foi para a Globo para dizer asneira. Elogia o neoliberalismo, FHC, e suas viuvas, e ainda defende fim do diploma para jornalistas. Certamente é para manter o emprego de imcompetente e psudos jornalista como ele.
    quem te conhece não te compra.
    Sai fora Xô Mano!!!

  • TIMONEIRO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    faz o seguinte arnaldo jabour,se vc se acha tao inteligente assim se candidata a presidente da republica ,e ve se faz pelo o menos a metade que o presidente luis inacio da silva fez,assim talvez eu tenho um pouquinho de admiracao por vc .

  • clementino nogueira de sousa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não seria mais fácil e mais econômico os empresários lerem As revoluções do capitalismo Maurizio Lazaratto ,no qual o autor faz uma análise sobre a transição da sociedade disciplinar para a sociedade de controle,do que ficar ouvindo senso comum.Precisamos repensar se realmente os nossos empresários têm um nível de leitura,porque essa foi a maior demonstração do que eles não estão lendo nada.

  • gerson luiz alves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    OS ALIENADOS DEVEM TER SAIDOS BABANDO DA PALESTRA DO JABOR. QUE INTELIGENCIA ! O JABOR NÃO PASSA DE UM REPRESENTANTE DAS ELITES ATRAZADAS DO PAIS PERTENCENTE A EXTREMA DIRETA E AINDA TEM ESPAÇO NAMIDIA PARA FALAR ASNEIRA COM AR DE PSEUDOINTELECTUAL.BENEFICIOU-SE DURANTE A DITADURA PARA PRODUZIR FILMES RUINS E TOMAR O SEU WISHKI OMPORTADO E SONHAR QUE VIVIA NO 1º MUNDO. O CANDITADO DELE SO PODERIA SER SERRA O REPRESENTANTE DO ATRAZO E FHC ...DEUS ME LIVRE VENDEU AS EMPRESAS BRASILEIRAS E NINGUÉM ATÉ HJ SOUBE DO $$$.PRA CONTA DE QUEM FOI . DEVE ESTAR RENDENDO JUROS EM ALGUM PARAÍSO FISCAL.

  • benedito Kleber dos Santos Figueiredo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Acabo de perceber no quadro de comentarios de frases notoria, logo acima, de que ate os grandes, (inteligentes), como o polêmico e estrategico JABOR, tambem cede ao facilitalismo, indo contra a cultura, dizer que não concorda com diploma de jornalismo, então PAI DE SANTO , ou ZE CURADOR , dos candombles baianos, podem oficiliazar as suas cirurgias espirituais, DEFENDER CAUSA PROPRIA .../NÃO PODE, FICA MUITO ANTI-ETICO , eu era seu fã,mas agora, sei não, acho que falou, BESTEIRA HÔ MEU

Leitão x Fávaro sob efeito-Bolsonaro

nilson leit�o 400   O ex-vice-governador e hoje senador interino Carlos Fávaro (PSD) e o ex-prefeito sinopense e ex-deputado federal pelo PSDB Nilson Leitão (foto) travam uma guerra eleitoral, com críticas mútuas, como se só existissem os dois na disputa para o Senado, quando, em verdade,...

Leverger e ex em palanque separado

francieli magalhaes 400 curtinha   Dois candidatos em chapas majoritárias em Santo Antonio de Leverger, hoje em palanques diferentes, já estiveram juntinhos na vida particular. O empresário Ademilson Dantas de Matos (PV), vice da chapa de Franklin Luis Carvalho (PSDB), foi casado com a petebista Francieli Magalhães...

Prefeito cuiabano vira saco de pancada

emanuel pinheiro 400 curtinha   O prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro (foto), que busca a reeleição e havia iniciado a campanha como grande favorito, inclusive com expectativa de ganhar no primeiro turno, se transformou em saco de pancada. Além de Abílio Júnior que o critica e ataca o tempo todo, o que acabou o...

Dal Bosco com 3 na disputa em Sinop

dilceu dal bosco 400 curtinha   Neste pleito eleitoral, a família Dal Bosco se dividiu em três grupos de apoio em Sinop, a chamada capital do Nortão. O ex-deputado estadual Dilceu Dal Bosco (foto) coordena no município e região a campanha à reeleição do senador Carlos Fávaro (PSD). O...

Tentativa de ser 1ª prefeita de Barão

margareth munil 400 curtinha   A candidata à prefeita de Barão de Melgaço, Margareth Gonçalves da Silva (foto), é tão conhecida nas ações conjuntas com o marido nas áreas da saúde e assistência social que está levando para as urnas a combinação do seu...

Froner segue com o vice de Gilberto

osmar froner 400   Osmar Froner de Mello (foto), escalado de última hora para a disputa em Chapada dos Guimarães, manteve de vice o mesmo que estava na chapa de Gilberto Mello (PL), o vereador Carlos Eduardo, que era conhecido como Carlinhos do PT e agora é do PDT. Froner e Carlinhos não têm afinidades...