Últimas

Sábado, 22 de Setembro de 2007, 07h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

SENADO

Jaime faltará a sessão de 4ª; Pagot corre risco


Devido à morte do pai, senador Jaime não vai a Brasília na próxima semana e deixa órfão o indicado para Dnit

   O calvário de Luiz Antonio Pagot no Senado continua e agora sob uma maior tensão para a sessão ordinária na próxima quarta (26), quando entra em votação, de novo, a Mensagem 74 deste ano, indicando-o para o cargo de diretor-geral do Dnit. Ocorre que o seu principal advogado, senador Jaime Campos (DEM), não estará presente. Por causa do falecimento do pai Júlio Domingos de Campos, o seu Fiote, na quinta, Jaime dicidiu que não viajará a Brasília. Vai se dedicar às questões pessoais e a um maior carinho a sua mãe Amália, muito consternada com a morte do marido. 

    O empenho de Jaime nos últimos dias para que Pagot assuma logo o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes tem surpeendido tanto os democratas quanto à turma da botina, grupo do governador Blairo Maggi que indicou o ex-secretário para o comando da autarquia. Jaime e Pagot estavam distanciados, mesmo ambos sendo da mesma chapa - Pagot é o primeiro-suplente de Jaime -, por causa de interesses conflitantes para as eleições de 2010. Os dois são pré-candidatos a governador.

    Os obstáculos encontrados por Pagot para chegar ao Dnit levaram-no a pedir socorro a Jaime. Mesmo indicado pelo presidente Lula, o afilhado político de Maggi só pode assumir o cargo com aval da maioria dos senadores. O nome passou pela Comissão de Serviços de Infra-Estrutura do Senado, inclusive com relatoria do próprio Jaime. Agora, depende do plenário.

    Por três sessões seguidas, a resolução sobre a nomeação de Pagot empacou. Em duas delas, chegou a entrar na pauta para votação. Há dois problemas. Primeiro, a crise envolvendo o presidente do Congresso, Renan Calheiros, que foi absolvido de um processo, mas enfrenta outros três. A oposição bate duro e vem obstruindo as sessões. Segundo, as acusações de que Pagot cometeu crime de responsabilidade por ter exercido dupla função ilegalmente, uma delas de assessor no próprio Senado. De 1998 a 2002 Pagot recebeu R$ 429 mil como assessor do gabinete do senador Jonas Pinheiro. Com um discurso que expõe Pagot à desmoralização, o PSDB se opõe à nomeação para o cargo federal.

   Como a base governista representa a maioria no Senado, o ex-secretário de Infra-Estrutura, Casa Civil e Educação deve ter seu nome aprovado na sessão da próxima quarta, caso os opositores venham a dar uma trégua. Como Pagot ficou órfão de Jaime, teme reviravolta. Dos senadores da bancada do DEM, por exemplo, ele só contará com um voto, o de Jonas Pinheiro.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • LUIZ ALBERTO DA SILVA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Se Pagot for para o Departamento o povo de Mato Grosso vai ficar contente. Seria melhor ainda se o Pagot devolvese o R$ que recebeu do Senado irregularmente, ai sim, ele seria o Homem correto.

  • calixto guimaraes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    JAIME JA FEZ A SUA PARTE! SUA AUSENCIA EM BRASILIA NA PROXIMA QUARTA,DIA 26, PARA SACRAMENTAR A IDA DE PAGOT PARA O DNIT,NAO FARA DIFERENÇA.SE OS SENADORES LULISTAS, QUE SAO MAIORIA, CONSEGUIRAM SEGURAR RENAN, A APROVAÇÃO DE ANTONIO PAGOT,SERA APENAS MAIS UM DEVER DE CASA.

  • Roberto Cyriaco | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Na verdade o Sr Pagot confirmou q ele tinha os 2 empregos (Senado e Grupo Amaggi), e confirmou tbém que o Senador Jonas sabia de tal situação (ilícito), portanto, o Sen. Jonas é quem quebrou o Decoro, dessa forma, ele é quem deveria ser cassado e não o Sr, Pagot de ser impedido de assumir o DNIT

  • Borges | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Senador Jaime somos nativista espero que o Sr de o troco nesta gente sem compromisso com Matogrosso.Colocamos na palma da mão deles, mas podemos tirar. Meus pêsames que Deus conforte o seu coração.

  • Fernando Marques | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O assunto envolvendo os R$ recebidos por Pagot já foram exaustivamente esclarecidos, ocorre que o PSDB e DEM do Estado estão ignorando o mal que estão fazendo ao Estado e ao País. Quanto ao Estado de MT este, esta sendo prejudicado pela "Birra" dos partidos citados acima. Todos os matogrossenses sabem o bem que será ter Pagot no DNIT. Infelizmente o PSDB e DEM estão prejudicando o ESTADO com estas atitudes infantis, espero que tenham boas desculpas para dar na éroca das eleições.

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.