Últimas

Quinta-Feira, 17 de Maio de 2007, 09h:51 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Jogo do empurra

     Rio de Janeiro - Por precaução, mais do que por convicção, o presidente da República não enviará ao Congresso o projeto que torna o aborto legal. Diz ele que o assunto é da alçada dos representantes do povo. Não deve ser iniciativa do Poder Executivo.
     Empurrando a responsabilidade para o Legislativo, Lula tira a mão da cumbuca, reservando-se para o momento em que terá de vetar ou sancionar a decisão do Congresso. É evidente que os congressistas também entrarão no jogo do empurra, com olho na pressão de diversas religiões que condenam o aborto, a Igreja Católica em primeiríssimo lugar.
     De qualquer forma, o problema está posto na agenda da nação. Os que são contra o aborto são contrários também ao plebiscito sobre a questão, no pressuposto de que ele seja favorável ao "assassinato de inocentes". É o caso de lembrar o mais recente plebiscito sobre a fabricação e a venda de armas.
     A parcela da população que se julga a mais esclarecida até hoje não engoliu o resultado da consulta direta ao povo. Dava como certa a vitória da proibição, não acreditava que a maioria diria "não" à facilidade com que se fabricam e vendem armamentos. A decepção ainda não foi absorvida: toda vez que há tiroteio, há sempre um Jeremias chorando e lamentando a decisão das massas, que recusaram a solução de acabar com a violência pela raiz, proibindo a compra indiscriminada de armas.
     A impressão é que, no caso do aborto, a maioria da sociedade é a favor da interrupção da gravidez não desejada. Mentes esclarecidas, formadores e informadores de opinião, cientistas políticos e sociais, filósofos de várias tendências ocuparão a mídia salientando a oportunidade e a urgência da liberação do aborto. Tal como fizeram no plebiscito sobre o uso de armas.

 

Carlor Heitor Cony é jornalista da Folha de S.Paulo

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Poconé tem hoje vários "prefeitáveis"

euclides santos 400 curtinha   O ex-vereador e ex-prefeito de dois mandatos de Poconé, Euclides Santos (foto), que era do MDB e agora está no PSDB, vem se movimentando nos bastidores para concorrer novamente à sucessão municipal. Seria um dos nomes de oposição ao prefeito Tatá Amaral, que vai tentar...

Apostas do PTB para vereador em VG

silvio fidelis 400 curtinha   Detentor da segunda maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com cinco assentos, atrás somente do DEM da prefeita Lucimar, que conta com sete vereadores, o PTB aposta na hipótese de ao menos manter as cinco vagas. E todos os seus vereadores vão à reeleição, sendo...

Despesas e o uso eleitoreiro de CPI

marcelo bussiki 400 curtinha   Buscando visibilidade pela reeleição em ano eleitoral, alguns vereadores da Capital, vergonhosamente, usaram e abusaram de dinheiro público para promoção pessoal na esteira da CPI do Paletó. A tendência é do relatório paralelo que pede afastamento do...

Sorriso incentiva 40 projetos culturais

ari lafin 400 curtinha   A seis meses de concluir o mandato, o prefeito de Sorriso, Ari Lafin (foto), estabeleceu, dentro do Plano Municipal de Cultura, o "PROMIC - Festival da Cultura 2020" para contemplar 40 projetos cujos valores somam R$ 340 mil, envolvendo artes visuais, artes cênicas, cultura popular, música, audiovisual,...

Quase R$ 2 mi para o Lucas Protegida

binotti 400 curtinha   A Prefeitura de Lucas do Rio Verde, sob Luiz Binotti (foto), contratou, por R$ 1,9 milhão, um consórcio formado pela Rocha Comércio de Equipamentos, que ficará com a maior "fatia" de R$ 1,4 milhão, e a Airplates Tecnologia da Comunicação, com R$ 521,7 mil, para desevolver o...

Silêncio sobre operação e elo com MBL

ulysses moraes 400 curtinha   O deputado de primeiro mandato Ulysses Moraes (foto), que deixou o DC e se filiou ao PSL, coordenador em Mato Grosso do Movimento Brasil Livre (MBL) e chamado por muitos de paladino da moralidade, mesmo sendo bastante ativo nas redes sociais, não usou a internet para comentar a operação da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.