Últimas

Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2007, 12h:07 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

PROJETO

Jornalista pede que MPE investigue conselheiros

   O jornalista e apresentador de TV, Toninho de Souza, disse suspeitar de algo estranho no Conselho Estadual de Cultura, responsável pela análise e seleção de projetos a serem viabilizados com recursos públicos. Ele sugere até que o Ministério Público investigue quais critérios são utilizados para aprovação dos projetos e a evolução patrimonial dos membros do Conselho. Toninho disse que começou a dar credibilidade aos comentários negativos sobre o Conselho após passar pela experiência de apresentar um projeto com objetivo de resgatar a memória cultural de Mato Grosso, com destaque a algumas personalidades, entre elas o humorista Liu Arruda e o ex-governador Dante de Oliveira (ambos já falecidos).

    Toninho apresentou o projeto em abril. Em seguida, fez uma visita ao secretário João Carlos Vicente Ferreira, de quem recebeu elogios pela iniciativa da idéia e destacou que as propostas seriam analisadas dentros dos critérios de relevância e de talento. O jornalista conta que algumas pessoas orientaram-no a procurar conselheiros ou até mesmo secretários de Estado para fazer espécie de lobby para ter o projeto aprovado. "Não optei por nenhum desses caminhos", diz o jornalista. Seu projeto foi rejeitado. "Confiei na seriedade do secretário e do Conselho. Faço esse alerta ao governador Blairo Maggi, que tem uma seriedade grande e sei que há intenção do governo em investigar o Conselho e a destinação das verbas da Cultura", enfatiza Toninho.

    Questionado se resolveu levantar polêmica devido à reprovação do seu projeto, Toninho reagiu. Disse que o faz motivado por uma série de reclamações. Promete protocolar nesta quinta (16) um ofício, deixando claro de que não tem mais interesse em receber os eventuais incentivos. "Vou desistir do projeto. Mesmo agora se vier a ser aprovado não quero mais. Estou fazendo isso em defesa de pessoas sérias e que jamais procuram o caminho ilegal para buscar projetos. Desconfio da conduta dos conselheiros e da seriedade na aplicação dos recursos destinados aos projetos".

(Atualização às 18h) - Nota rebate críticas

João Carlos, secretário de Estado de Cultura "Em razão das críticas do jornalista Toninho de Souza, que diz suspeitar "de algo estranho" no trabalho de análise e seleção, pelo Conselho Estadual de Cultura, dos projetos a serem atendidos pelo Fundo Estadual de Fomento à Cultura, a Secretaria de Estado de Cultura e o Conselho Estadual de Cultura emitiram a seguinte nota de esclarecimento:

1 – O Conselho Estadual de Cultura, composto por 10 (dez) membros, sendo 05 (cinco) eleitos pela classe artística e 05 (cinco) indicados pelo Governo, sempre pautou suas ações pela total transparência, sendo todos os seus atos publicados no Diário Oficial do Estado.
Formam o Conselho: eleitos pela Classe Artística - Luiz Antonio Machado Tolloti (Cáceres), Luiz Gonçalves da Silva (Várzea Grande), Wanderley Alves da Silva (Poconé), Joeli Socorro Aparecida Siqueira Melhorança (Tangará da Serra) e Ademir Binotto (Sorriso); Indicados pelo Governo -  João Carlos Vicente Ferreira (presidente), Everaldo José Pinheiro de Farias, Pedro Jamil Nadaf, Waldir Júlio Teis e Edilene Lima Gomes de Almeida.
2 – Desde maio o Conselho analisa os projetos, instituindo inicialmente comissões para triagem de acordo com as áreas artísticas. Após a triagem, os projetos começaram a ser analisados. O trabalho ainda não terminou e os projetos estão sendo aprovados e liberados os recursos de acordo com a disponibilidade de verbas do Fundo.
3 – Todo procedimento e critérios de triagem, análise e seleção são determinados pela L ei N° 8.257 , de 22 de dezembro de 2004, que cria o Fundo Estadual de Fomento à Cultura , e a Portaria Conjunta SEC/SEFAZ Nº  001/2007, que aprova o Edital de convocação do Programa Estadual de Apoio a Cultura – PROAC/MT 2007. Todos esses documentos foram publicados no Diário Oficial, estão disponíveis no site da Secretaria de Estado de Cultura e divulgados à imprensa. Portanto, o Conselho age com base legal e transparência.
4 – Este ano o Conselho recebeu mais de 1.300 projetos, sendo que os recursos previstos no orçamento não são suficientes para tender todas as solicitações. Portanto, é compreensível que muitos proponentes, entre elas o jornalista Toninho de Souza, se sintam preteridos, muito embora esse sentimento não deveria dar margem a acusações infundadas.
5 – Após aprovados, o Conselho fiscaliza a execução dos projetos, bem como suas prestações de contas, que por sua vez também são fiscalizadas pelo Tribunal de Contas do Estado.
6 – Todos os projetos, bem como suas prestações de conta, são públicos e, como tal, estão à disposição de qualquer cidadão ou instituição".

João Carlos Vicente Ferreira
Secretário de Estado de Cultura e presidente do Conselho Estadual de Cultura

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Paulo Salem | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    To com vc Toninho.
    conheço o Secretario Joao Carlos mas eu nao confio nem um pouco nesses conselheiros.
    conheco gente boa que nao consegue nada por nao conhecer ninguem.
    É MUITO BOM AUE O TAL MINISTERIO PUBLICO ENTRE NO CASO;
    AFINAL DE CONTAS O DINHEIRO Ë PUBLICO E TENHO CERTEZA QUE O SECRETARIO NAO IRIA SE OMITIR;
    PARABENS TONINHO.

  • Donizete | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    MUITO BEM TONINHO DE SOUZA, MINISTERIO PUBLICO NELEEEEEEEEEEESSSSSSSSSSSSS?????????

  • Amado Amador | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Pode não parecer, mas, o tal conselho já esteve pior. Na época do Dante só projetos de "festival de praia", "festival de pesca" e assemelhados passavam sob o crivo dos conselheiros. Fosse um projeto de publicação de livros e não passava. Na época era uma festa só. E olha que melhorou muito...

  • Pedro dos Anjos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Carlos Antunes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Já militei na cultura a muitos anos e sei de uma coisa: nunca 100% dos artistas e autores dos projetos serão contemplados e ficarão satisfeitos. Até porque o que culturetes, jornalistas e afins querem é meter a mão numa grana... A cultura é só um meio.
    Eu mesmo ja fiquei de fora várias vezes, mas sei que existe um conselho que tem autonomia pra isso. Agora uma pergunta: será que se o nobre jornalista tivesse sido contemplado teria feito algum questionamento??? Vale refletir. Mas concordo com mais transparência no conselho.

  • Daniela | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Mais uma lapada..........como está em moda!!!!! Para informação de alguns o Conselho Estadual de Cultura é composto por vários secretários de estado, inclusive o sr. Valdir Teis da Fazenda, que para ocupar essa pasta só pode ser de confiança do governador Blairo Maggi. Então, antes de acusar devemos nos informar melhor. Estamos cheios de falsas acusações, e de tudo terminar em pizza.
    Pessoas mal intencionadas, com atitudes para desmoralizar e denegrir o trabalho do secretário João Carlos Vicente Ferreira, não faltam...........e morrendo de vontade de ocupar a pasta, né.........

  • João Netto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não é esse secretário que quer ser prefeito de Barão...hummmmmm

  • ELIFAS JOSE RIBEIROe | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Eu acho engraçado as autridades dizerem:"projetos tem que ser aprovados pelo TCE,KA,KA,KA,KA,KA Eu confiaria mais se eles dissesem o projeto tem que ser aprovado pela "Mafia da sanguessgas",pelos "operadores do menssalão" pela "mafia de branco""pelos aloprados" e por ai vai...................não e mesmo?

  • Eva Santana | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não sabia que os secretários Teis e Nadaf participam do conselho. Acho que isso é bom, pois aumenta a responsabilidade. Acho importante o conselho divulgar os artistas contemplados e dizer porque o resto ficou de fora. Mas é claro que sempre vai ter "chiadeira".

    Eva Santana - estudante

  • Lucky Marlon | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Conheço bem a honestidade do jornalista Toninho de Sousa e seu comprometimento com a Cultura e com o jornalismo matogrossense.

    Agora vale lembrar ao secretário aqueles valores orbitantes destinados a Dupla Dois a Um , que recebeu grana para fazer um lançamento de CD meia boca , enquanto outros tantos artistas da nossa terra com maior talento aguardam na fila.

    Toninho tem história em nosso Estado.
    Valeu Toninho pela coragem de denunciar ao MP.

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...

DEM, bate-cabeça e plano B frustrado

fabinho garcia 400 curtinha   O ex-deputado federal e empresário Fábio Garcia (foto) acabou deixando o DEM órfão de candidatura a prefeito da Capital. Numa conversa com o governador Mauro, seu padrinho político, Fabinho o assegurou que iria sim disputar o Palácio Alencastro, mesmo pedindo trégua por...

Mauro sofre 2 derrotas para Emanuel

mauro mendes 400 curtinha   Mauro Mendes (foto), principal estrela do DEM em MT, acabou amargando duas derrotas em Cuiabá para o prefeito Emanuel, neste ano, embora não tenha sido candidato nas urnas. Em princípio, buscou candidatura própria com o seu partido, mas todos os nomes possíveis, como de Gilberto, Gallo,...

Três derrotas do marqueteiro Antero

antero de barros curtinha 400   O ex-senador, jornalista e marqueteiro Antero de Barros (foto) não levou sorte nas campanhas eleitorais as quais coordenou nestas eleições. Em Lucas do Rio Verde, empurrou à reeleição o prefeito Luiz Binotti que, mesmo com o poder da máquina, perdeu para o...

Lideranças jogaram duro contra EP

carlos favaro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro teve uma reeleição sofrida em Cuiabá. Lutou contra os principais líderes políticos, que se juntaram em torno da candidatura de Abílio, uns publicamente, outros nos bastidores. O governador Mauro Mendes, por exemplo, jogou pesado para tentar derrotá-lo....

MAIS LIDAS