Últimas

Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2007, 17h:04 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

JUDICIÁRIO

Justiça torna indisponíveis bens de ex-gestores do Estado

      Os bens patrimoniais do ex-governador de Mato Grosso, José Rogério Salles, do ex-secretário de Estado de Fazenda, Fausto de Souza Faria, e do empresário José Carlos de Oliveira estão indisponíveis para garantir a integralidade de pagamento de dívida com o Estado de Mato Grosso, no valor de R$ 8.814.764,60. A decisão é do juiz da Quarta Vara Especializada da Fazenda Pública, Paulo Márcio Soares.

O débito consta de ação civil pública com pedido de ressarcimento pela prática de ato de improbidade administrativa, interposta pelo Governo de Mato Grosso e refere-se à venda de ações escriturais da Rede Cemat, então patrimônio público. A transação aconteceu em 12 de novembro de 2002, autorizada pelo governador à época, Rogério Salles, juntamente com o então secretário de Fazenda, Fausto de Souza Faria. Na data, a transferência de ações somaram um total de 1.519.187 em benefício de José Carlos de Oliveira.
 
Nos termos dos autos, a operação foi assinalada como não onerosa, assemelhando-se a doação. Entretanto, averiguação da Auditoria-Geral do Estado apurou que na data saíram dos cofres do Estado nada menos que R$1.519.787, para crédito de José Carlos de Oliveira.
 
 Além da transação realizada sem o devido procedimento licitatório e realizado diretamente com o interessado, na ação movida pelo governo de Mato Grosso consta que inexistiam registros da operação nos arquivos contábeis da Sefaz, onde as ações ainda seguem como patrimônio do Estado, como se nunca tivessem sido alienadas.
 
Na decisão, o juízo da Quarta Vara Especializada de Fazenda Pública considera indiscutível o envolvimento do ex-governador, destacando que as transferências só poderiam acontecer com a assinatura do chefe do Poder Executivo estadual.
 
"Por má-fé ou negligência ele autorizou o negócio, que se constituía numa venda direta, contrariando a Lei nº 8.666/1993 e orientação da Procuradoria-Geral do Estado de que fossem vendidas em bolsa de valores. Autorizou a alienação do patrimônio público em valor inferior ao valor de face, ao valor de registro na contabilidade e ao valor de mercado, sem que houvesse sequer um procedimento lastreando tal ato e uma avaliação escrita feita por um técnico a lhe garantir que o valor aposto na Ordem de Transferência de Ações Escriturais correspondia ao verdadeiro valor das ações. E mais! Sem cuidar se o Estado efetivamente teria recebido ao menos os valores declarados", enfatizou o magistrado.
 
Já o então secretário de Fazenda Fausto de Souza Faria, foi a pessoa que, de acordo com os documentos acostados, negociou de forma direta a transferência das ações para José Carlos de Oliveira. Fato que, para o juiz Paulo Márcio Soares, "não há que se dizer que o secretário de Estado de Fazenda não tinha consciência do valor real de tais ações. A sua responsabilidade se estende uma vez que a operação ocorreu na pasta de Governo que administrava. Deixou de cumprir suas obrigações mínimas, uma vez que a operação sequer foi anotada no registro e controle contábil do Patrimônio do Estado de Mato Grosso".
 
Com relação ao envolvimento de José Carlos, o magistrado acentuou na decisão que trata-se do grande beneficiário do negócio. "Ele adquiriu ações sem que jamais ingressasse nos cofres do Estado qualquer pagamento pelas ações, quando de fato, seu valor chega à casa dos milhões de reais. Ele esteve desde o princípio envolvido com a operação de alienação de ações do Estado de Mato Grosso".
 
O magistrado apontou ainda o fato de José Carlos ter se tornado mandatário do Estado, com a finalidade específica de alienação do patrimônio do qual acabou se tornando proprietário, ferindo a Lei de Improbidade Administrativa.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Nomes do DEM para vereador de VG

pablo 400 curtinha   O DEM do casal Jayme-Lucimar, senador e prefeita, respectivamente, é dono da maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com sete dos 21 vereadores. Destes, cinco já estão trabalhando projeto de reeleição, sendo eles Gisa Barros, que era do PSB; Valdemir Bernadino, o Nana; Pedro...

Flerte com candidato de outro partido

selma arruda 400 curtinha   Apesar de estar filiada ao Podemos, a ex-senadora Selma Arruda, que teve o mandato cassado por crimes eleitorais e deixou a cadeira neste ano, continua flertando com o pedetista, empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, que não demonstra mais tanto ânimo para continuar com o projeto de disputa...

Joelson e as traições política e familiar

joelson 400   Dos 23 vereadores pela Capital que vão à reeleição, o que mais deve enfrentar dificuldades para obter êxito nas urnas é o sargento Joelson (foto), que aproveitou a janela de março e trocou o PSC pelo Solidariedade. Primeiro, por causa da atuação pífia. Trata-se de um...

Calistro, dúvida à reeleição e Sumaia

sumaia leite 400 curtinha   Jânio Calistro, reeleito para o 2º mandato de vereador em 2016 e como o mais votado em Várzea Grande, com 3.658 votos pelo PSD, se mudou para o DEM dos Campos, mas ainda avalia se vai encarar o teste das urnas deste ano. Ele se mostra um tanto baqueado, após ficar preso por três meses. E...

Grupos convergem para Emanuelzinho

emanuelzinho 400   O jovem deputado federal Emanuelzinho (foto) está cada vez mais empolgado com a possibilidade de disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Até se mudou da Capital para a cidade vizinha, onde montou apartamento no Edifício Maktub. Uma das revelações políticas do PTB, Emanuelzinho tem...

Câmara de ROO e pasta de Controle

orestes miraglia 400 curtinha   A Câmara de Rondonópolis deu de ombros para uma decisão do Tribunal de Justiça e, em primeira votação, aprovou mensagem do prefeito Zé do Pátio, criando a secretaria de Transparência Pública e Controle Interno (SETRACI) em...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.