Últimas

Segunda-Feira, 18 de Junho de 2007, 10h:12 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Lobby, lambaris e dourados

     Toda atividade do poder público afeta, em maior ou menor grau, interesses de um ou mais grupos da sociedade. O projeto do Executivo alterando alíquotas ou critérios de arrecadação de um determinado tributo melhora ou piora as coisas para os que se dedicam a uma determinada atividade.
     Quando isso ocorre, os setores supostamente prejudicados se articulam a fim de serem ouvidos pela autoridade e conseguir, preferivelmente, que a mudança prejudicial nem chegue a ser formalizada. Se já o foi, buscam obter sua anulação por iniciativa do próprio Executivo ou uma emenda de legisladores, previamente negociada com o governo.
     A iniciativa desfavorável pode surgir, também, no Congresso e, por isso, órgãos empresariais, centrais sindicais, igrejas e ONGs de todo tipo têm hoje, em sua estrutura, órgãos para cuidar de tais assuntos, quase sempre aos cuidados de profissionais experientes especializados.
     Nada existe de ilegal ou imoral em que interessados agendem contatos com ministros ou congressistas para alertar que uma providência em estudo num órgão Executivo ou prevista num determinado projeto vai levar ao fechamento de várias unidades de produção em certa região do país e desempregar alguns milhares de trabalhadores. Ou, como é comum nos movimentos sindicais, que os trabalhadores se organizem para pressionar o Congresso ou o Planalto. Foi o que fizeram, de modo infrutífero, os funcionários do Ibama contrários à divisão das competências do órgão com o Instituto Chico Mendes, criado por uma infeliz medida provisória do presidente da República.
     Há uma diferença nítida entre a atividade de lobby, desenvolvida às claras, e o suborno, a chantagem e as pressões feitas com o uso indevido - ainda que não explícito - do nome de uma pessoa poderosa, ligada por laços de parentesco com o autodenominado lobista.
     Nessa zona cinzenta parecem se enquadrar as ações - que nada têm a ver com o lobby, tecnicamente entendido, atribuídas ao cidadão Genival Inácio da Silva (Vavá), que se acha sob investigação da Polícia Federal.
     Argumenta-se que sua suposta ingenuidade - e conseqüente falta de domínio de um discurso competente na matéria - o isenta. Na verdade, tal circunstância o aproxima do personagem de um dos episódios de "O poderoso chefão" - um camponês da Sicília, que nem falava inglês -, levado pela defesa do líder do crime organizado a uma audiência do Senado americano. Sua presença no local faz a principal testemunha dos acusadores - de quem era irmão - mudar radicalmente seu depoimento.
     Seja Genival lambari ou dourado, não se pode isentar o ministro da Justiça, Tarso Genro, de explicar à nação como as sigilosas investigações da Polícia Federal a seu respeito vazaram e se espraiaram, chegando até ao conhecimento de um terceiro irmão. Este, ao informá-lo de que o presidente queria conversar com ele, sobre coisas indevidas que vinha fazendo, deu-lhe o aviso de que deveria precaver-se antes que a Polícia Federal batesse à sua porta.
     Indispensável, além de esclarecer as estranhas atividades imputadas a Genival, explicar o funcionamento de sua rede de informantes, que afeta a credibilidade da Polícia Federal e compromete o ministro que a tem sob seu comando.

Antônio Carlos Pannunzio é deputado federal, líder do PSDB na Câmara, membro da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Deucimar vence Covid-19 após 20 dias

deucimar silva 400 curtinha   Após 13 dias numa unidade intensiva e mais sete se recuperando no leito de hospital, o empresário e ex-vereador pela Capital, Deucimar Silva (foto), recebeu alta médica nesta terça. Ele está curado da Covid-19. Ex-presidente da Câmara Municipal, Deucimar ficou emocionado, fez...

Estudo sobre 13º a vereadores de VG

jaqueline jacobsen curtinha 400   A conselheira-substituta Jaqueline Jacobsen (foto) estabeleceu prazo de 120 dias, em sessão de julgamento do TCE por videoconferência no último dia 2, para que o presidente da Câmara de Várzea Grande, Fábio Tardin, realize estudo prévio de impacto...

2 deputados empurrados pra oposição

allan kardec 400   Por causa da bandeira que têm carregado de defensores dos servidores públicos, dois deputados do núcleo do governo começam a caminhar para oposição. Um deles é o pedetista Allan Kardec (foto) que, de tanto ser pressionado pelas chamadas bases para reagir contra a PEC da...

Elogios à gestão proba Mauro Mendes

marcelo oliveira 400 curtinha   O secretário de Estado Marcelo de Oliveira (Infraestrutura e Logística), Marcelo de Oliveira (foto), fez questão de destacar nesta quarta, em entrevista ao vivo ao RDTV, tv web do portal Rdnews, que o governador Mauro Mendes tem se empenhado ao máximo para fazer uma boa gestão,...

2 frentes do MDB e apostas em Cuiabá

gustavo padilha 400 curtinha   O MDB vive uma situação curiosa em Cuiabá. Embora no comando da prefeitura, com Emanuel Pinheiro, o partido só conseguiu reconquistar cadeira na Câmara há três meses, com a filiação de Juca do Guaraná, aproveitando a janela partidária. Em 2016,...

Opositores ganham força em Barra

adilson gon�alves 400 curtinha   Grupos de oposição estão ganhando "musculatura" em Barra do Garças, numa expectativa otimista de derrotar o candidato apoiado pelo prefeito Beto Farias (MDB), o atual vice Wellington Marcos, que está filiado ao DEM. Wellington é considerado nome "pesado"...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.