Últimas

Quarta-Feira, 29 de Abril de 2009, 13h:36 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

EXCLUSIVO

Lula cancela visita a Alta Floresta e vai a Sinop e Matupá

Presidente da República e mais 4 ministros, entre eles Dilma, vão estar no Nortão somente em junho, num roteiro para lançar o Terra Legal que inclui Sinop e Matupá e ainda inspeção às obras da BR-163, entre Guarantã do Norte e a divisa com o Pará
-----------------------------------------------------------

O presidente Lula e o governador Blairo Maggi  O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou sua visita a Alta Floresta (a 810 km ao Norte de Cuiabá) que estava prevista para 7 de maio. Ele não só mudou a data da presença em solo mato-grossense, como todo o itinerário. Virá agora entre 5 e 7 de junho e vai descer em Sinop e se deslocará de helicóptero para Matupá para lançamento do Programa Terra Legal, que propõe regularizar, nos próximos três anos, 296 mil posses rurais na Amazônia Legal em uma área de 67,4 milhões de hectares. De Matupá, o presidente da República seguirá para a BR-163 para vistoriar in loco um trecho em recuperação entre Guarantã do Norte até a divisa com o Pará.

  Com Lula, vão desembarcar no aeroporto de Sinop quatro ministros, sendo eles Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos da Presidência), Reinhold Stephanes (Agricultura), Alfredo Nascimento (Transportes), Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário) e Dilma Rousseff (Casa Civil), que já está em pré-campanha pelo PT à sucessão presidencial em 2010, além do diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, do governador Blairo Maggi e de membros da bancada federal. O comunicado da mudança da agenda foi feito, por telefone, pelo gabinete do Palácio do Planalto diretamente ao governador Maggi, nesta terça à noite.

  O Planalto alegou que o presidente não poderia reforçar o Terra Legal durante ato em Alta Floresta porque no município não existe uma área para ser regularizada. Definiu-se, então, a partir da sugestão de Maggi, um novo roteiro com agenda "mais ampla", possibilitando que Lula permaneça mais tempo no Nortão.

   O programa será conduzido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrária, em parceria com os 9 Estados da região Amazônica. No caso de Mato Grosso, o Terra Legal vai abranger 106 dos 141 municípios. Vai ser dividida em até 15 módulos rurais, totalizando 25.513 posses. Esse programa já foi lançado oficialmente em fevereiro deste ano, com assinatura de uma medida provisória. Além de terras públicas rurais da União, a MP autoriza a doação a municípios de porções de terras públicas federais devolutas ou não-devolutas, em áreas urbanas consolidadas ou em áreas de expansão urbana. Para agilizar os processos de regularização, que hoje levam cerca de cinco anos, a MP altera a legislação e simplifica o rito de titulação.

   Módulos

   O programa vai titular imóveis rurais de até 15 módulos fiscais (com, no máximo, 1.500 hectares) cujas posses sejam anteriores a dezembro de 2004. Em áreas de até um módulo fiscal (um módulo tem, em média, 76 ha), a titulação será gratuita, e o processo deverá ser concluído entre 60 e 120 dias, a partir do cadastramento da posse. Posses entre um e quatro módulos fiscais terão valor diferenciado, abaixo do de mercado, com 20 anos para pagamento e três de carência. O rito é o mesmo das áreas de até um módulo.

   As áreas entre quatro e 15 módulos fiscais seguem regras semelhantes no prazo de pagamento. O valor da área, no entanto, será o de mercado, descontadas as benfeitorias. Neste caso, a titulação será precedida de vistoria dos imóveis para avaliação das benfeitorias e da ancianidade da posse. Nas três situações, será exigido o cumprimento da legislação ambiental, com a preservação de 80% da área nativa. As áreas tituladas não poderão ser vendidas dentro de um prazo de dez anos, mas servem como garantia para financiamentos junto a instituições financeiras. (Romilson Dourado)

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Murilo Mendonça | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Indiferente a presença ou ausência de figura pouco ilustre que comanda o (des)governo num país de brinquedo.
    Pra fazer campanha política extemporânea, é bom mesmo ficar em Brasília.

  • Alberto Dornelas | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    As criticas da Prefeita Izaura de Alta Floresta feitas no seminário do Terra Legal em VG, pode tr sido o stupim para Lula mudar de idéia a visita a Alta Floresta, berm feito para esta Prefeita arrogante.

  • joao de deus | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A prefeita de Alta Floresta falou demais ...agora ficou sem a presença do Presidente e a cupula de Puxa-seco.

    Começou a eleição eos Ministro começaram a sair do castelo dos sonhos . Como eles são cara de pau .....


    A ELIÇÃO ESTA AI!!!!!!!!!

Deputado ajudou a enterrar Binotti

neri 400 curtinha   O deputado federal Neri Geller (foto), que se acha um grande líder político, ajudou a enterrar nas urnas o projeto de reeleição do prefeito Luiz Binotti (PSD), derrotado à reeleição. Perdeu para o ex-vice-prefeito Miguel Vaz (Cidadania), que contou com apoio do ex-prefeito e atual...

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...