Últimas

Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2007, 07h:32 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Lula e o sábio anticlímax

   "Um Lula confrontado com as demandas de um lulismo tem consciência de que uma frente de mudança é hoje multipartidária". A avaliação é de Candido Mendes, membro da Academia Brasileira de Letras, em artigo nesta segunda (22) na Folha de S. Paulo. Leia reprodução abaixo.

    LULA TEM todo direito a férias, na fruição olímpica do novo mandato. Nunca foi tão poderoso o homem do Planalto, a ponto de se permitir o anticlímax deliberado da repartida. A pescaria no Guarujá pode até servir de parábola à certeza do presidente da República, na volta ao trabalho e na força pensada do como o fará. Inclusive no descartar a convenção das expectativas frente ao que seja o avanço da mudança social brasileira. Responde o instinto, hoje, de Lula, a essa visão funda de sua gente, que sofre a injustiça e a penosa melhora coletiva, ao contrário das elites do subdesenvolvimento e suas retóricas da pressa ou do luxo utópico pelas alternativas.
    Os quadros do Planalto serão, mais do que nunca, os desta fidelidade do Planalto aos seus companheiros, de par com a outorga de suas tarefas. Descentralizou sempre e guarda a visão colegiada sindical, que confia e não tem a urgência de cobrar.
O discurso de posse conseguiu fugir ao bordão do crescimento, tal como o sucesso a advir não precisa de mais que da dita interinidade do presente governo.
Os ministros terão dificuldade em sair dos cargos, tanto não se confrontem com o novo baralho clientelístico de recompensas, para assegurar um situacionismo esvaziado da dominância petista original.
    Mas até onde, na pescaria do Guarujá, dá-se conta o presidente Lula de que não precisa de um governo clássico de união nacional, quando sua força objetiva independe de partidos nem precisa de decantadas reformas básicas e quebras-de-braço com o Congresso Nacional?
    Assegurou o primeiro mandato o processo de redistribuição de renda -e o povo sabe disso- extravasado do assistencialismo do Bolsa Família, como vituperaram os opositores, somado ao microcrédito e ao sucesso da agricultura familiar. E não precisará o Executivo de outro poder, no avanço do programa.
    E, para falar das heterodoxias criativas, aí está o arranque das parcerias público-privadas, as PPPs, fora dos fantasmas estatizantes e ao mesmo gosto do governador José Serra, na presença ativa do Estado na geração da nossa riqueza.
    O reenfoque partidário que supõe o novo governo é prospectivo e vai já ao realinhamento federal para o ganho das eleições municipais e, aí, ao favorecimento do PMDB para enfrentar o pefelismo a ter hoje como sócio o tucanato, esvaziado da proposta social democrática de antanho.
    O partido que vem agora ao poder não o faz impunemente. Tanto ocupe o espaço petista, tanto tem mais a oferecer ao eleitorado que os ganhos e perdas do situacionismo de sempre.
    Um Lula confrontado com as demandas de um lulismo, desprendido de seu partido, tem consciência de que uma frente de mudança é hoje multipartidária, a fugir tanto do populismo quanto do purismo ideológico das esquerdas clássicas, à busca das efetivas mudanças abertas no cenário internacional.
    O discurso de posse é o de quem já venceu as tentações de uma consciência solitária no Planalto. E atenta ao quanto, para além do partido implodido, supõe, ao lado da valorização sindical, a dos movimentos sociais e das cidadanias políticas, brotadas do Bolsa Família e do trabalho sem carteira assinada.
    O eventual fracasso do presidente Lula escapará da tábua de expectativa da oposição. Seu sucesso se antecipará no caráter plebiscitário que poderão ter as novas eleições municipais, fugindo aos microinteresses para vir ao apoio federal, pondo a Federação a serviço de um Estado de desenvolvimento.    Uma política urbana remeterá, numa consciência de mudança, tal como o Bolsa Família tocou o país para vencer, de vez, a melancolia de mero retorno ao status quo, dos fins de festa clássicos das nossas Presidências.


 

CANDIDO MENDES , 78, membro da Academia Brasileira de Letras e da Comissão de Justiça e Paz, é presidente do "senior Board" do Conselho Internacional de Ciências Sociais da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Francis dispara contra Túlio, Adriano...

tulio fontes 400 curtinha   O prefeito de Cáceres, Francis Maris, que chegou dos EUA na última quinta, aproveitou dois eventos para, publicamente, disparar sua metralhadora verbal contra algumas pessoas. Na sexta, inaugurou uma unidade do Centro de Testagem e Aconselhamento e fez abertura do Natal de Luzes, no centro. Nas duas...

Audiência na AL em prol dos autistas

diana serpe 400 curtinha   Convidada pela Assembleia, a advogada com forte atuação em São Paulo, Diana Serpe (foto), autora do e-book Autismo Educação e especialista na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, vai participar de uma audiência pública e proferir palestra na segunda (9),...

Folha em dia e previsão do 13º dia 20

mauro mendes 400 curtinha   É possível que no dia 20 o governo estadual consiga pagar integralmente o décimo-terceiro dos cerca de 100 mil servidores. Ao anunciar que a folha de novembro será paga na próxima terça (10), em única parcela, pela primeira vez no ano, o governador Mauro destacou que...

Cidinho é o que mais agrega ao Senado

cidinho 400 curtinha   Depois de Blairo Maggi, o nome do empresário e ex-senador Cidinho Santos (foto) seria hoje o que mais agregaria a classe política e o agronegócio em torno de uma candidatura ao Senado numa eventual eleição suplementar. Conta com simpatia do senador Jayme Campos e do governador Mauro Mendes,...

Prova da lisura de membros do Gaeco

paulo prado 400 curtinha   O resultado da auditoria do TCE-MT sobre a prestação de contas do Gaeco das verbas secretas, entre 2012 e 2017, assegurando a sua legalidade, resgata a credibilidade, lisura e reputação ilibada dos membros que atuaram na época nesse braço investigativo do MPE, como o procurador e...

Posse 2 dias antes do possível retorno

maluf 400 curtinha   Guilherme Maluf (foto), que nem esquentou direito a cadeira de conselheiro, vai tomar posse na presidência do TCE-MT dois dias antes do STJ julgar um recurso que tende a suspender as medidas cautelares e definir pelo retorno ao Pleno dos cinco conselheiros afastados há dois anos. A solenidade acontece no...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.