Últimas

Sexta-Feira, 30 de Maio de 2008, 12h:01 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

MEIO AMBIENTE

Maggi alega que não é incentivador do desmate

Governador se contradiz ao negar, à Globo News,  incentivo ao desmatamento e ao mesmo tempo defender que pecuaristas também passem a produzir grãos 

  O governador Blairo Maggi (PR) disse na madrugada desta sexta (30), em entrevista à Globo News, que pretende esclarecer a todo país que não é um incentivador do desmatamento, mas sim um defensor da ocupação dos espaços aptos à produção de grãos. Por outro lado, defendeu que até os próprios pecuaristas passem a cultivar grãos. "Por incrível que pareça e por mais que queiram dizer, o governador de Mato Grosso não é um incentivador do desmatamento. Somos um incentivador da ocupação dos espaços que estão prontos para produzir", alega.

  Considerado o "rei da soja", Maggi contou à jornalista Mirian Leitão que tem incentivado os pecuaristas a se dedicarem às atividades agrícolas. "Tenho defendido que os pecuaristas também passem a ser um pouco agricultores, pois eles poderão utilizar melhor as suas terras, produzindo alimentos e fazer com que Mato Grosso aumente suas produções sem a necessidade de um novo desmatamento", explicou.

   Na entrevista, Maggi se auto-intitula "corajoso" ao dizer que não teme um debate amplo sobre as questões ambientais, enquanto a maioria evita comentar o assunto. Avalia, porém, que essa sua postura destemida tem causado polêmica em torno dos problemas ambientais do Estado. "Talvez essa franqueza e essa vontade de falar do futuro tem criado toda essa confusão. Não vou me furtar de falar porque o futuro parece distante, mas ele está bem ali e logo está chegando", enfatizou.

   Questionado se "é possível produzir sem desmatar, ou será necessário mais desmatamento para aumentar a produção", o governador afirmou que é impossível produzir alimentos sem haver ocupação de espaço, ou seja, desmatamento, ou ainda sem modificar os biomas. "Nem um litro de leite. Nem um copo de café. Nada é tomado e nada é consumido, sem que venha de algum lugar que algum dia foi floresta ou um bioma diferente".

   Contestação

   Blairo Maggi garante que não tem confundido seus papéis de produtor de soja e de governador e, com isso, defendido interesses próprios, enquanto utiliza o governo do Estado como "desculpa". "Estou defendendo os interesses do Estado. É que as coisas sempre chegam do lado da soja, até porque milito muito, mas também sou produtor de algodão, de suínos, de bovinos e sou transportador. Tenho uma série de atividades no Estado", diz, numa referência ao Grupo Amaggi, que conta com um conglomerado de empresas.

   A alternativa para esses impasses, segundo ele, será a consolidação do projeto do Zoneamento Sócio-Econômico e Ambiental que, a partir da próxima semana, começa a ser discutido pelos parlamentares por meio de audiências públicas feitas em todo o Estado. (Pollyana Araújo)

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • jose soares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabens Blairo Maggi , voce está enfrentando o mundo sozinho e vai vencer , porque está preparado e só faz o bem para o povo de MT. Acho que o MINC deu a voce a oportunidade de se mostrar para o mundo e desafiar quem quer que seja para o debate. desse jeito terás que ser o futuro Presidente do Brasil.
    Esses Ongueiros de plantao acham que Leite empacotado e carne enlatada nasce no supermercado.

  • zeca tenuta | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O governador sojeiro tenta de todas as formas tapar o sol cam a peneira. Acorde Blairo, você nunca conseguirá. Acreditar nos seus dados é o mesmo que acreditar em saci pererê, mula sem cabeça e tais.
    Falando sério! Porquê que toda vez que acontece uma operação de controle de desmatamento em MT, o nortão entra em crise econômica? O agronegócio, existe ou é só para encobrir atividades pouco ortodoxas contra o meio ambiente? Para onde vai o resultado da monstruosa produção do Estado? Afinal! Qual é a verdadeira vocação do nortão: agronegócio ou extração de madeira?
    Infelizmente não se ouve uma voz que seja discordante das informações provindas do Paiaguás. A Assembléia Legislativa, genuflexada diante do governo, está mais preocupada em promover homéricos rega-bofes homenageatórios dos mais estapafurdios. Onde está a voz que não se cala? A imprensa por sua vez produz alguns estertores mas que são logo devidamente operados para não causarem maiores consequencias.
    Dando uma de Gioconda (Duas Caras) CHEEEEEEEGA de tanta hipocrisia. O que esse pessoal quer na realidade é MADEIIIIIIIIIIIIIIRA para ganhar muito DINHEIIIIIIIIIIIIRO. E só

  • sergio matos da silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    BLÁ, BLÁ..O BLAIRO MAGGI E A SUA POLITICA AMBIENTAL E UMA VERGONHA A SUA ENTREVISTA FOI UM FESTIVAL DE INCOERÊNCIA E FALTA DE ÉTICA..A SUA PREOCUPAÇÃO NÃO E COM O FUTURO DO ESTADO DE MATOGROSSO MAS SIM O QUANTO VOU DEIXAR DE GANHAR...ALIÁS ALGUEM JA PROCUROU SABER COMO A SUA EXCELÊNCIA CONSEGUI TODA ESSA FORTUNA!???

  • Zé Cuiabano | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não sei porque JOSÉ você fala que o governador está sozinho e vai vencer. Com esse monte de puxa saco, o dia todo no seu pé, como ele está sozinho...
    Ele fica desmatando o nosso MT, agora fica dando um de bonzinho..
    Para!!! chega desses Botineiros aqui em Nosso MT.
    Ele Pensa que esses Ministros vai dar mole pra ele só porque é o rei da soja??? Não é todo mundo que dá bença a ele.
    O Minc está certo bota moral, porque se os de fora não botar um fim nesse desmate? os nossos políticos estão todos nas mãos do governador.

  • Pedro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0




    ....acredito que hj a Polcícia Federal entende mais de Meio Ambiente no Estado de Mato Grosso do que o próprio Blairo, já são 10 operações e até agora nenhum pacote Ambiental em Prática neste Estado.

  • Noi Scheffer | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Governador Blairo é perfeitamente coerente em sua posição quanto ao meio ambiente e como governador. A contradição esta no seu cabeçalho do texto com o restante da matéria, bem feita no restante. Oraciocinio do governador é logico e adequado para a preservação do meio ambiente, desenvolvimento sustentado, produção de alimentos e bem estar das pessoas.

Sorriso tenta aval para conceder RGA

estevam calvo 400   A Prefeitura de Sorriso quer pagar RGA aos servidores, mas não encontrou até agora respaldo legal para assim proceder, considerando a Lei Complementar 173/2020 que, no contexto da pandemia, proíbe reajuste no salário de servidores federais, estaduais e municipais até 31 de dezembro deste...

Ambulância doada pela CBF para MT

Aron Dresch 400   O governo estadual recebeu doação de uma ambulância da CBF como forma de reconhecimento à dedicação dos profissionais da Saúde e dos serviços que estão sendo prestados durante a pandemia. O Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, foi escolhido para...

Fávaro, relatório e vacina sem Anvisa

carlos favaro 400   O senador mato-grossense Carlos Fávaro (foto), eleito na suplementar do ano passado, está comemorando a aprovação pelos colegas do seu relatório ao Projeto 1315/2021, que libera a importação de vacinas e insumos para o combate à Covid-19 no Brasil e sem depender do...

TRE intima deputado pra se defender

gilberto cattani 400   O TRE já citou o deputado Gilberto Cattani (foto) e o comando do PRTB para se manifestar sobre o pedido do suplente Emílio Populo, que quer a perda do mandato do recém-empossado por infidelidade partidária. O relator é o jurista Sebastião Monteiro. Cattani apresenta defesa na...

DEM tem derrotados em 2020 pra AL

anelise silva 400   Alguns filiados do DEM do governador Mauro Mendes estão se movimentando por conta própria, visando as eleições de deputado estadual no próximo ano, alheios ao comodismo do presidente regional do partido, ex-deputado Fabinho Garcia. Em Cáceres, por exemplo, dois são cogitados para...

Vereadores vão devolver a VI de abril

agostinho carneiro 400   Presidida por Agostinho Carneiro (foto), a Câmara Municipal de Ribeirãozinho, um dos menores municípios do Estado, com cerca de 2,5 mil habitantes, decidiu suspender o pagamento da verba indenizatória deste mês de abril de todos os seus nove vereadores. Com isso, os R$ 9 mil que iriam para o...