Últimas

Quinta-Feira, 03 de Maio de 2007, 01h:22 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

Maggi ameaça pedir os cargos dos rebeldes

Os 7 que não votam com governo no projeto original sobre os PMs são Riva, Maksuês, Muniz, Pátio, Rabello e Avalone 

  Dos Estados Unidos, de onde só retorna na próxima terça (8), o governador Blairo Maggi, em conversa telefônica com o seu líder Mauro Savi nesta quarta, mandou um duro recado aos deputados rebeldes. Avisou que não recuará dos projetos sobre a carreira e salário dos militares e do veto à proposta do deputado José Riva, que insiste na fatia de 30% do Fethab para as prefeituras.

   Segundo Maggi, os projetos devem, sim, entrar na pauta para serem votados na Assembléia. Somente dessa forma saberá quem está ou não com o governo. Chegou a dizer que aqueles que se oposuserem à aprovação já podem se definidos como inimigos do governo e que perderão os cargos indicados na administração estadual. Cada parlamentar, em tese, deveria ter apresentado até 10 indicações para segundo e terceiro escalões. Alguns, porém, só conseguiram emplacar dois.

     Rebeldes

    Pelos posicionamentos tomados até agora, sete não estão com o governo, pois na visão do governador fizeram um pacto para votar contra os três projetos originais que tratam da carreira e promoções dos policiais militares. São eles: José Riva e Maksuês (ambos PP), Percival Muniz (PPS), Zé Carlos do Pátio e Walter Rabello (os dois do PMDB), Wallace Guimarães (DEM) e Carlos Avalone (PSDB).

   Como o bloco representa minoria diante de um quadro com 24 parlamentares, cada um dos sete decidiu continuar com a manobra para postergar ao máximo a aprovação das mensagens. Nesta quinta, o deputado Muniz pediu vistas aos projetos, impedindo-os de serem apreciados em plenário. O combinado é que a cada semana um faça igual.

   Os rebeldes defendem a necessidade de apresentação de ao menos cinco emendas, uma delas para assegurar os mesmos reajustes proporcionais para praças e oficiais militares, coisa que o governo não aceita.

  Essa situação está irritando Maggi. Acuado, o líder do Executivo, deputado Savi,  telefonou para ele, enquanto transcorrida a sessão desta quarta. Lamentou a dificuldade de acelerar a votação das mensagens. Ouviu do governador um recado duro. Maggi disse que não era para recuar e que, ao final, saberia que vota ou não com o governo.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Marcelo Leite Ferraz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O Estado de Mato Grosso sob a égide da Constituição Federal de 1988, onde a democracia rege o bom entendimento entre os poderes,vivencia um retrocesso ao tempo da ditadura onde corenéis ditam normas de comportamento. Destarte, o Governador Blairo "Amaggi", OPS: Maggi, quer impor seus interesses partidários de qualquer maneira, e assim o faz usando a máquina pública para desarticular a deliberação e a opinião dos representantes do legislativo, que representam o anseio popular. Todavia, somos reféns de uma política arcaica e imperialista movida pelo poder do capital que ainda em pleno 2007 rege a sinfonia dos políticos mato-grossenses, todos cantando no mesmo tom do Maior monocultor do mundo: Blairo Maggi.

  • FABIANA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    PENSO QUE O GOVERNADOR ESTÁ PENSANDO NO BEM COMUM, ENQUANTO OS DEPUTADOS QUEREM AGITAR E CONSEQUENTEMENTE VALORIZAR OS PRAÇAS MILITARES E DESSE FORMA PROVOCAR UMA RUPTURA NA POLÍCIA MILITAR, POIS SE OLHARMOS A SITUAÇÃO PELO OUTRO LADO DA MOEDA CONSEGUIREMOS ENTENDER A SOLICITAÇÃO DOS OFICIAIS, QUE ALÉM DE TRABALHAREM IGUAL AO PRAÇA É RESPONSAVÉL AINDA POR ATOS ADMINISTRATIVOS DA CORPORAÇÃO. NA VERDADE SERÁ QUE É SÓ O PRAÇA QUE É MAL REMUNERADO.

Governista 2 e o desafio da reeleição

wilson santos 400 curtinha   Wilson Santos (foto), que conseguiu retornar à Assembleia "sangrando" nas urnas de 2018, impactado pelo desgaste pela defesa intransigente do Governo Pedro Taques, se prepara para atravessar outro purgatório no próximo ano, em busca de mais um mandato. O deputado tucano carrega desgaste...

Nobres chora a morte de ex-prefeito

flavio dalmolin 400   A pequena e turística Nobres, de 16 mil habitantes, parou neste Feriado de Tiradentes em comoção pela morte, por Covid-19, do ex-prefeito Flávio Dalmolin (foto). Um cortejo percorreu ruas e avenidas, parou em frente ao estádio municipal Balizão e à prefeitura, onde...

Derrotado ensaia disputa ao Governo

reinaldo morais 400 curtinha   O empresário Reinaldo Morais (foto), o rei dos porcos, está disposto a gastar mais uns milhões com nova candidatura majoritária, agora para governador. No ano passado, concorreu ao Senado e obteve votação decepcionante. Foi o penúltimo colocado numa corrida com 11...

Sicredi recua de comprar praça pública

enilson rios 400 prefeito araputanga   A diretoria do Sicredi nem esperou ser votado na Câmara Municipal o polêmico projeto sobre negociação de uma praça pública no centro de Araputanga para cancelar o negócio. A cooperativa havia "amarrado" entendimento com o prefeito Enilson de Araújo...

Sessão, voto e namoro com cantora

ulysses moraes 400   Na sessão virtual da Assembleia desta segunda, o deputado Ulysses Moraes (foto), do PSL, estava demorando para computar o voto na apreciação de um veto do governador. O presidente Max Russi (PSB), então, cobrou agilidade do colega e brincou, dizendo que agora ele só tem olhos para a Maraisa....

Misael é reeleito para o 10º mandato

misael galv�o 400 curtinha   Após dois anos fora do comando do Shopping Popular, período em que respondeu pela presidência da Câmara da Capital, o ex-vereador Misael Galvão (foto) voltou à direção do empreendimento, que abriga 500 lojas. E, sob forte...

MAIS LIDAS