Últimas

Quarta-Feira, 25 de Novembro de 2009, 14h:03 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

CONCURSO

Maggi anuncia provas para 31 de janeiro e 21 de fevereiro


Governador Blairo Maggi, ao lado de Geraldo de Vitto e Taisir Karim, assume responsabilidade por concurso
Foto: Edson Rodrigues

   O governador Blairo Maggi (PR) anunciou a nova data para a realização do maior concurso do país, que prevê o preenchimento de 10.086 vagas em várias secretarias e 11 núcleos sistêmicos, durante coletiva nesta quarta (25). Agora, o concurso acontece em dois dias: 31 de janeiro e 21 de fevereiro. Maggi se mostra preocupado após o fiasco que se tornou a "tentativa" de realização do concurso no último domingo (22). O republicano deu ordens expressas para que o secretário de Administração Geraldo de Vitto cuide para que problemas de logística não voltem a acontecer.

   Além disso, o governador voltou a afirmar que, como legalmente tem até abril para convocar os aprovados, não há tempo hábil para fazer nova licitação e contratar nova empresa para elaboração das provas. Por isso, a Unemat continua fazendo parte do concurso. "O governo será parceiro da Unemat", diz Maggi. O reitor da instituição, Taisir Karim, se responsabilizou pelo fracasso na realização do concurso do Estado no domingo. Segundo ele, houve erros de logística por culpa da Unemat.

   Desde que foram abertas as vagas para o maior concurso público do Estado, muitas polêmicas já aconteceram. A possibilidade de cancelamento das provas chegou a ser levantada após denúncia feita pela Associação dos Docentes da Unemat (Adunemat), para tentar suspender o convênio firmado pela SAD com a Unemat, por meio da Fundação de Apoio ao Ensino Público Superior (Faesp), responsável pela realização do concurso. Muitos candidatos do interior foram chamados para realizar as provas na Capital. (Flávia Borges, Andréa Haddad e Patrícia Sanches)

Postar um novo comentário

Comentários (40)

  • Mauro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quem vai pagar a conta do fracasso?
    Aos lesados pela incompetência administrativa do governo Blairo Maggi não restará outra alternativa senão recorrer à Justiça para tentar reaver seus prejuízos. Uma solução demorada e trabalhosa, mas uma solução.
    Mas quem pagará a conta do dinheiro público gasto com esse fracasso? Quem pagará os R$ 5 milhões já dispendidos na realização do maior fiasco administrativo da história de Mato Grosso? E quem pagará pela realização do novo concurso?
    Se depender do governo esta conta cairá nas costas do contribuinte. Mas isso é justo? Afinal, quem decidiu realizar o concurso com a inexperiente Unemat? Quem se omitiu ou não planejou corretamente a logística do concurso? Quem não assumiu a responsabilidade pela gestão do concursos quando tinha obrigação de fazê-lo? Quem assumiu o risco de promover um certame dessa magnitude e de custo estratosférico sem o mínimo de cuidado e planejamento?
    A resposta está na ponta da língua, está na palma da mão: Blairo Maggi e seu secretário de Administração, Geraldo De Vitto, são os únicos responsáveis tanto pelo fracasso quanto pelos prejuízos causados ao erário e às milhares de pessoas lesadas pela monumental falta de gestão e logística na aplicação das provas do concurso público.
    Blairo e De Vitto vão pagar do próprio bolso o prejuízo que causaram? Dificilmente, mas seria o justo. E é neste sentido que se espera que o Ministério Público aja: que cobre do governador e do secretário, na medida de suas responsabilidades, a devolução ao erário de todo o prejuízo que direta ou indiretamente causaram aos cofres públicos e aos concursandos.
    Blairo e De Vitto negligenciaram, autorizaram uma instituição sem a menor tradição na execução desse tipo de serviço a realizar um trabalho que exige alta especialidade. E fizeram isso porque tinham pressa em viabilizar a contratação dos concursados antes do prazo permitido pela legislação eleitoral. Agiram, pois, no interesse eleitoral, exclusivamente. E esta é a única razão para que tenham delegado à Unemat uma tarefa que todos sabiam, inclusive o Ministério Público, que a instituição não detinha a menor competência para realizar.
    Mas Blairo e De Vitto, apesar das recomendações do MP, insistiram. Queriam escapar da obrigação de realizar uma concorrência pública nacional para contratar a elaboração e aplicação do certame. Porque tinham pressa eleitoral na condução do concurso. As declarações públicas, em particular do secretário De Vitto, não deixam dúvidas sobre as intenções eleitoreiras a cerca da realização daquele que deveria ter sido o maior o concurso público do País.
    Blairo Maggi e Geraldo De Vitto são - repito - os únicos responsáveis pelo fracasso e pelos prejuízos. E são eles, pela negligência, imperícia e imprudência - com claro interesse eleitoral - quem devem ser responsabilizados por todos os prejuízos causados aos cofres públicos.
    Oxalá seja este o entendimento do MP, porque será o cúmulo da injustiça que a conta dessa desfaçatez recaia sobre o contribuinte.

  • dra.beatriz de castro neves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E a responsabilidade pelos gastos da ordem de 5 milhões...vai ficar por isso mesmo. o collor perdeu o mandato por conta de uma fiat elba , que hoje custaria cerca de 40 mil reais...o blairo e o seu secretário imcopetente gastam 5 milhões e vai ficar só no pedido de desculpas. O Blairo é DITADOR E NÃO TÁ NEM AÍ PRO POVO !!! ANO QUE VEM DAREMOS O TROCO A ELES !!!

  • zequinha da v.operária | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não é assim, marcar outras datas para realização do grande concurso, digo do grande fiasco do estado de MT.
    O Ministério Público vai querer primeiro o resultado das investigações, portanto estas datas estão sendo faladas sem primeiro pensar no Ministério Público é outro fiasco.

  • Almeida | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E Sr Blairo nem a derrota aqui em Cuiabá e Rondonópolis, te ensinaram a ser humilde!Perdeu em casa(rondonopolis) vai ser eleito com voto de onde para o Senado?

    É muita prepotencia, ou o sr faz a sua moral com o povo, oque acho que nem da tempo mais, ou é melhor voltar pra sua cadeira na sua promissora empresa, la sim vc pode tratar os funcionários com toda a sua altivez!

    Os votos do povo darão a nossa resposta!

  • Mast Urbandopin tocresci | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Jesus Aguiar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não é verídica a informação de que a contratação de nova empresa para realizar o concurso demandaria seis meses para aplicação das provas. De acordo com o art. 24, XIII, da Lei n. 8.666, é dispensável a licitação em razão de contratação de instituição brasileira incumbida regimental ou estatutariamente da pesquisa, do ensino ou do desenvolvimento institucional, ou de instituição dedicada à recuperação social do preso, desde que a contratada detenha inquestionável reputação ético-profissional e não tenha fins lucrativos. Assim, basta rescindir o contrato com a UNEMAT e em seguida e com dispensa de licitação, contratar a UFMT para realizar o concurso. É muito simples e fácil. Manter essa UNEMAT que me parece um absurdo.

  • D. MARIA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gostaria de saber quais grupos farão as provas nos dias acima citados. E horários?serão mantidos os mesmos?e locais?Como ficaremos a par das novas resoluções, sem ter que procurar na internet inteira por noticias?
    Obrigada. Ana

  • Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gostaria de saber quais grupos farão as provas nos dias acima citados. E horários?serão mantidos os mesmos?e locais?Como ficaremos a par das novas resoluções, sem ter que procurar na internet inteira por noticias?
    Obrigada. Ana

  • Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gostaria de saber quais grupos farão as provas nos dias acima citados. E horários?serão mantidos os mesmos?e locais?Como ficaremos a par das novas resoluções, sem ter que procurar na internet inteira por noticias?
    Obrigada. Ana

Jayme incomodado com Flávio em VG

jayme campos 400 curtinha   A candidatura a prefeito de Várzea Grande do empresário Flávio Frical (PSB), principal aposta da oposição, passou a incomodar a família Campos, que apoia o ex-vereador Kalil Baracat, concorrente ao Executivo pelo MDB. Em uma noite que seria de festa, em comemoração...

Acordo com Euclides partiu de Allan

allan kardec 400   Otaviano Pivetta, vice-governador licenciado por 30 dias para cuidar de problemas de saúde, disse que nada tem a ver com o tal acordo "costurado" pelo presidente regional do PDT, deputado Allan Kardec (foto), com Euclides Ribeiro, candidato a senador pelo Avante. Explica que só apresentou Euclides para Allan e...

Família Maia tenta retomar o poder

martha maia 400   O ex-prefeito de Alto Araguaia por quatro vezes, Maia Neto, não entrou na disputa de novo ao Executivo, mas lançou a irmã Martha Maia (foto), cuja filha Sylvia Maia é vereadora. Filiada ao PP, Martha entra como principal candidata da oposição ao prefeito Gustavo Melo, que vai à...

Welinton fará grande ato em Barra

welinton marcos 400 curtinha   Welinton Marcos (foto) lança sua candidatura a prefeito de Barra do Garças, na segunda (28), em um grande ato. Mesmo pelo sistema drive-in, devido à necessidade de adotar medidas sanitárias contra a Covid-19, são esperadas na solenidade cerca de mil pessoas, num espaço amplo,...

Irmão de Riva está na disputa em Juara

priminho riva 400 curtinha   O irmão do ex-deputado José Riva, Priminho Riva (foto), filiado ao PL, será mesmo candidato a prefeito em Juara, posto já ocupado por ele por duas vezes (1997/2004). Priminho pertence a uma famíliade políticos. Além de Riva, que foi prefeito e deputado, é...

PSB deve ficar fora da aliança de EP

max russi curtinha 400   O PSB, presidido pelo deputado Max Russi (foto), pulou mesmo do barco de Emanuel Pinheiro. Deve formalizar apoio à candidatura de Roberto França ao Alencastro. O PSB não consta na lista oficial de siglas que estão com o prefeito, que busca à reeleição. Os 11 que estão...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.