Últimas

Quarta-Feira, 25 de Novembro de 2009, 10h:30 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

PALÁCIO PAIAGUÁS

Maggi define concurso em 2 etapas e confirma a Unemat

  O governador Blairo Maggi confirmou que a Unemat ficará mesmo à frente da organização e realização do maior concurso público da história de Mato Grosso, conforme o RDNews havia antecipado - confira aqui. Apesar do fracasso e desgaste do nome da instituição, que levou ao cancelamento das provas no último domingo (22), Maggi, mesmo sob pressão de deputados e do Ministério Público, anuncia nesta quarta (25), em entrevista coletiva às 14h, na sala de reunião do Palácio Paiaguás, que a Unemat vai continuar sendo a responsável pelas provas. O governador vai anunciar também as novas datas do concurso, desta vez em etapas para evitar tanto tumulto. As provas serão aplicadas em dois dias para facilitar a organização logística, já que são mais de 270 mil candidatos na disputa por 10.086 vagas.

  Criou-se uma expectativa em torno do mês em que as provas serão aplicadas. O governo teria cogitado que elas ocorressem em 27 de dezembro, mas acabou desistindo devido a proximidade com o ano novo e por ser logo após o Natal. Agora especula-se que devam ser feitas em fevereiro, mas ainda não há uma confirmação oficial. O concurso foi cancelado após uma sucessão de falhas, como troca de provas, falta de treinamento dos fiscais, rompimento do lacre, desinformação quanto aos locais de execução das provas e falta de policiamento adequado. Houve muita confusão. Muitos candidatos chegaram a registro boletim de ocorrência na polícia. (Patrícia Sanches)

Postar um novo comentário

Comentários (19)

  • Mauro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quem vai pagar a conta do fracasso?
    Aos lesados pela incompetência administrativa do governo Blairo Maggi não restará outra alternativa senão recorrer à Justiça para tentar reaver seus prejuízos. Uma solução demorada e trabalhosa, mas uma solução.
    Mas quem pagará a conta do dinheiro público gasto com esse fracasso? Quem pagará os R$ 5 milhões já dispendidos na realização do maior fiasco administrativo da história de Mato Grosso? E quem pagará pela realização do novo concurso?
    Se depender do governo esta conta cairá nas costas do contribuinte. Mas isso é justo? Afinal, quem decidiu realizar o concurso com a inexperiente Unemat? Quem se omitiu ou não planejou corretamente a logística do concurso? Quem não assumiu a responsabilidade pela gestão do concursos quando tinha obrigação de fazê-lo? Quem assumiu o risco de promover um certame dessa magnitude e de custo estratosférico sem o mínimo de cuidado e planejamento?
    A resposta está na ponta da língua, está na palma da mão: Blairo Maggi e seu secretário de Administração, Geraldo De Vitto, são os únicos responsáveis tanto pelo fracasso quanto pelos prejuízos causados ao erário e às milhares de pessoas lesadas pela monumental falta de gestão e logística na aplicação das provas do concurso público.
    Blairo e De Vitto vão pagar do próprio bolso o prejuízo que causaram? Dificilmente, mas seria o justo. E é neste sentido que se espera que o Ministério Público aja: que cobre do governador e do secretário, na medida de suas responsabilidades, a devolução ao erário de todo o prejuízo que direta ou indiretamente causaram aos cofres públicos e aos concursandos.
    Blairo e De Vitto negligenciaram, autorizaram uma instituição sem a menor tradição na execução desse tipo de serviço a realizar um trabalho que exige alta especialidade. E fizeram isso porque tinham pressa em viabilizar a contratação dos concursados antes do prazo permitido pela legislação eleitoral. Agiram, pois, no interesse eleitoral, exclusivamente. E esta é a única razão para que tenham delegado à Unemat uma tarefa que todos sabiam, inclusive o Ministério Público, que a instituição não detinha a menor competência para realizar.
    Mas Blairo e De Vitto, apesar das recomendações do MP, insistiram. Queriam escapar da obrigação de realizar uma concorrência pública nacional para contratar a elaboração e aplicação do certame. Porque tinham pressa eleitoral na condução do concurso. As declarações públicas, em particular do secretário De Vitto, não deixam dúvidas sobre as intenções eleitoreiras a cerca da realização daquele que deveria ter sido o maior o concurso público do País.
    Blairo Maggi e Geraldo De Vitto são - repito - os únicos responsáveis pelo fracasso e pelos prejuízos. E são eles, pela negligência, imperícia e imprudência - com claro interesse eleitoral - quem devem ser responsabilizados por todos os prejuízos causados aos cofres públicos.
    Oxalá seja este o entendimento do MP, porque será o cúmulo da injustiça que a conta dessa desfaçatez recaia sobre o contribuinte.

  • Bras Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Está encerrando o sétimo ano deste governo. Por que somente agora às véspera de um ano eleitoral resolvem promover um concurso? Será que não sabiam da necessidade disso bem antes? ou estão com medo de muitos dos atuais ocupantes de cargos comissionados importados ficarem sem emprego e assim com o concurso arrumar uma boquinha?
    Remarcar as provas para fevereiro é muito temerário, o tempo não seria necessário para elaborar novas questões e impressão de novas provas de forma a dar o devido cuidado à mesma. Ou então vão repetir as atuais provas, aí seria brincar de fazer concurso.
    Já que esperou sete anos para fazer um concurso por que não esperar mais um ano e essas provas serem aplicadas em fevereiro de 2011 no inicio do novo governo?

  • SILVIA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SR GOVERNADOR, SERIA MAIS PRUDENTE DEVOLVER O DINHEIRO AOS CANDIDATOS E COMEÇAR TUDO NOVAMENTE. A UNEMAT NÃO IRÁ CONSEGUIR FAZER ESTE CONCURSO. ELA JA PERDEU A CREDIBILIDADE.....DIZEM QUE AS VAGAS PARA OS BONS CARGOS TEM TABELA. EX. PARA DELEGADO É r$ 80.000,00 (OITENTA MIL REAIS).

  • Manuella | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Foram gastos 5 milhões para a realização do concurso, que foi um fiasco. Será necessário mais 5 milhões para realizar outro concurso. Provavelmente o Governo gastará mais uns 3 milhões com propagandas para amenizar a imagem negativa que ficou para o governo. Agora eu pergunto: Quem vai pagar esta conta ? Dinheiro para o fiasco o Governo Maggi tem, mas para investir na saúde pública não tem. E agora Governador, se explique para a população. A saúde pública carece de mais investimentos na capital; Há falta de medicamentos na farmácia de alto custo que é gerida pelo estado. Queremos um posicionamento deste governo, pois o Governador e seus assessores são funcionários do povo. E o patrão deles ( o povo) quer explicação.

  • Manuella | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Foram gastos 5 milhões para a realização do concurso, que foi um fiasco. Será necessário mais 5 milhões para realizar outro concurso. Provavelmente o Governo gastará mais uns 3 milhões com propagandas para amenizar a imagem negativa que ficou para o governo. Agora eu pergunto: Quem vai pagar esta conta ? Dinheiro para o fiasco o Governo Maggi tem, mas para investir na saúde pública não tem. E agora Governador, se explique para a população. A saúde pública carece de mais investimentos na capital; Há falta de medicamentos na farmácia de alto custo que é gerida pelo estado. Queremos um posicionamento deste governo, pois o Governador e seus assessores são funcionários do povo. E o patrão deles ( o povo) quer explicação.

  • Rodrigues Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Governador Blairo Maggi, o povo te espera na próxima eleição.

  • Euripedes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parem de reclamar e vão estudar. Se alguém aqui tá com peninha do concorrente, abraça ele e leva pra casa.

  • AMIR SILVA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O CONCURSO, SUA REALIZAÇÃO E O ESTOURO DA FOLHA DE PAGAMENTO; SERA APENAS MAIS UMA , DAS INÚMERAS, CAIXAS PRETAS QUE SERÃO DEIXADAS PELA TURMA DA BOTINA, VIDE 2011!

  • P EDRO RODRIGUES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ESTE MALFADADO CONCURSO, E MAIS UM SÍMBOLO DO JEITO EMPRESARIAL DE ADMINISTRAR A COISA PÚBLICA .

  • rocha | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    olha so o wilson santos faz vestibular todo ano e nunca deu problema prefiro votar no wilson pelo menos nunca panhou nada de ninguem

Mauro e os "cabeças chatas" do CE

mauro mendes 400   O governador Mauro Mendes está disposto a conhecer a experiência da  educação pública  do Ceará, que há anos apresenta os melhores índices no Indeb e é orgulho dos irmãos Ciro e Cid Gomes, ex-prefeitos de Sobral e ex-governadores. Até pretende...

Seduc e microônibus para municípios

alan porto 400 curtinha   A secretaria estadual de Educação, sob Alan Porto (foto), tem buscado parcerias com prefeituras para construir quadras poliesportivas, laboratórios de informática e escolas, além de ampliar salas de aula, adquirir ares condicionados e microônibus escolares, de modo a atender...

Emanuel é quem mais realizou obras

emanuel pinheiro 400 curtinha   Um levantamento da empresa Percent Pesquisa & Consultoria, feita em Cuiabá entre os últimos dias 13 e 14, destaca que, na percepção de 49% dos cuiabanos, o prefeito reeleito Emanuel Pinheiro (foto) foi o que mais fez obras e serviços. Em segundo lugar, com 19,8%, é citado...

Emendas ajudam Unemat de ROO

thiago silva 400 curtinha   Em reunião com o reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, e com o pró-reitor Alexandre Porto, o deputado estadual Thiago Silva (foto) tratou da emenda de R$ 1 milhão para manter o curso de direito e abertura do de jornalismo em Rondonópolis neste ano. E, juntos, definiram o modelo de...

Presidente da Ucmmat quer reeleição

edcley lopes ucmmat 400   Reeleito para o sexto mandato e com a maior votação em Vila Bela da Santíssima Trindade, o vereador Edcley Lopes Coelho (foto), que obteve 391 votos pelo Solidariedade, luta agora por outro desafio. Quer se reeleger presidente da Ucmmat, entidade que congrega as câmaras municipais com seus 1.404...

Elisângela conduz Secom da Câmara

elisangela tenorio 400 curtinha   A jornalista Elisângela Tenório (foto) está de volta ao comando da Comunicação Social da Câmara de Cuiabá. Ela ocupou o mesmo cargo na gestão Justino Malheiros, mas, na época, não teve à disposição estrutura para desevolver uma...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.