Últimas

Quinta-Feira, 31 de Janeiro de 2008, 13h:24 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

MEIO AMBIENTE

Maggi diz que MT não tem como cumprir decreto

  O governador Blairo Maggi declarou nesta quinta, no distrito da Guia (a 28 km do perímetro urbano de Cuiabá), onde inaugurou uma ponte de ferro e também a restauração da Igreja Nossa Senhora da Guia, que Mato Grosso não tem condições de cumprir o decreto do governo federal, que regulamenta punições contra aqueles que desmatam. Ele voltou a dar explicações sobre a crise no meio ambiente, após sobrevoar, nesta quarta, parte do Nortão, acompanhado dos ministros Marina Silva (Meio Ambiente), Tarso Genro (Justiça) e  Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário).

    O decreto estabelece, por exemplo, que quem tiver suas terras embargadas serão obrigados a passar por um processo de recadastramento. A idéia é submetê-los a um novo mapeamento da propriedade.

    Segundo Maggi, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/MT) não tem condições de trabalhar no recadastramento de todas as propriedades. “O Incra de Mato Grosso não tem as mínimas condições de fazer o recadastramento das propriedades. Se deixar como está para o Incra, daqui a 100 anos nós vamos ter o problema nos 19 municípios resolvidos e ainda teremos que deixar as outras coisas de lado”. O governador se refere aos municípios que constam da lista divulgada pelo Ministério de Meio Ambiente daqueles que mais desmatam no país. De 36, 19 são de Mato Grosso - leia mais aqui.

   O governador afirmou que vai continuar discutindo com o governo federal critérios para que o decreto seja cumprido. “Ainda estamos discutindo como é que vai fazer com que o decreto tenha validade”. O decreto prevê também que serão embargadas as propriedades em que for identificado desmatamento. Nesse caso, o responsável ficará impedido de vender a propriedade, obter financiamentos e créditos, além de não poder transportar os produtos oriundos da área envolvida.

    Vão ser punidos também aqueles que a ministra Marina Silva convencionou chamar de co-responsáveis - aqueles que compram e vendem produtos de proprietários que desmatam na região. Porém, as sanções para essas pessoas não foram definidas. E, por fim, onde foi registrado o desmatamento da área preservada não serão concedidas licenças para derrubadas em novas áreas. (Simone Alves)

       Clique no play e ouça as explicações do governador

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • helio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    agora a bom ba ta começando a explodir, o capitalismo se instalou em nossa riquezas florestais..quem colocou o sr, governador no cago , pode tbém tirar...s.o.s

  • Walter | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sr Governador,
    tenho sido seu eleitor e defensor ferrenho, mas sinceramente se o senhor insistir em continuar com atual administração da SEMA, estará cometendo um grande erro e perdendo cada vez mais seus eleitores. Nunca na historia de MT se viu tamanho descaso na area ambiental e a tendencia é piorar.
    Abra os olhos senhor governador, será que só o senhor não ve o que esta acontecendo neste estado??

  • Antonio Cavalcante Filho | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Ninguém deve ficar frustrado pelo fato do governador defender os interesses do agronegócio. Afinal de contas ele foi eleito para esta finalidade.

    Errado estar quem pensou que um grande latifundiário, eleito governador, se importaria com as questões ambientais.

    Nojento mesmo e decepcionante é o fato do governo Lula, eleito com o compromisso de fazer a reforma agrária, se curvar às exigências dos latifundiários, traindo vergonhosamente os trabalhadores sem terra.

    O modelo de reforma agrária implantado pelo governo Lula, é escandalosamente conivente com os crimes ambientais do agronegócio. Só não vê quem não quer.

  • Laura Carmem de Moraes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O GOVERNADOR FALA QUE NÃO DÁ PARA CUMPRIR O DECRETO FEDERAL, ASSIM COMO DIZEM QUE ELE NÃO CUMPRE A LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM SUAS PROPRIEDADES RURAIS, ONDE É POSSÍVEL VERIFICAR EROSÕES GIGANTESCAS, DESMATE DE MARGENS DE RIOS, CORPOS DÁGUA CONTAMINADO POR AGROTÓXICOS, E PELA COMPENSAÇÃO FINANCEIRA DA AGRICULTURA ELE DIZ QUE A LEGISLAÇÃO AMBIENTAL É MUITO EXIGENTE. O LUCRO É DELE, MAS O PREJUIZO AMBIENTAL É TODA A SOCIEDADE. CHEGA DE TANTA HIPOCRESIA.

Emendas para todos os 24 deputados

Max 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Max Russi (foto), em visita ao Grupo Rdnews, quando concedeu entrevista ao portal e à tv web Rdtv, defendeu as emendas impositivas, que são indicadas pelos deputados e pagas pelo governo, via orçamento. Lembra que são instrumentos importantes para fazer com que obras e...

Deputado defende cultos com até 600

sebastiao rezende 400   Num momento em que a segunda onda de contaminação pelo novo coronavírus avança em MT, levando o governo a retomar medidas restritivas para evitar colapso, já que cerca de 90% das UTIs estão lotadas, o deputado Sebastião Rezende (foto), da Igreja Assembleia de Deus, teve a...

"Batida" em apresentador por engano

ricardo martins 400   Durante a dupla operação deflagrada pela PF nesta terça em alguns municípios de MT, entre eles Cuiabá, agentes federais, por um equívoco no cumprimento de mandados, acabou batendo na porta do apresentador da TV Cidade Verde, Ricardo Martins (foto), que não tem a ver com o caso....

Paccola é cotado para diretor-geral

gianmarco paccola 400   O discreto e atuante delegado Gianmarco Paccola (foto), hoje diretor-geral-adjunto da Civil, já desponta nos bastidores como nome preferencial do Palácio Paiaguás para eventual substituição a Mário Demerval, que deve mesmo deixar o posto de diretor-geral para disputar as...

Luta pra isentar parte dos aposentados

eduardo botelho 400 curtinha   Primeiro-secretário da Assembleia, Eduardo Botelho (foto) disse que foi criada espécie de força-tarefa dos deputados para fechar um acordo com o governo, de modo a ajudar aposentados e pensionistas e portadores de doenças raras para isenção do pagamento da alíquota da...

Investimentos em segurança pública

alexandre bustamante 400   Alexandre Bustamante (foto), secretário estadual de Segurança Pública, é enfático ao afirmar que o Estado tem investido em equipamentos e infraestrutura para combater a criminalidade. Segundo ele, a maior prova disso são os projetos que integram o programa MT Mais. Ao todo, devem...