Últimas

Segunda-Feira, 28 de Maio de 2007, 03h:38 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Mais preparo à nossa polícia

     Dois graves episódios ocorridos em menos de um mês servem de alerta ao governo Blairo Maggi quanto às ações ostensivas da nossa gloriosa Polícia Militar, paga, bem ou mal, para cuidar da integridade física do cidadão.
     Primeiro, policiais agem com truculência durante operação de desarmamento em fazendas na região do Araguaia. Os relatos de trabalhadores, que denunciaram agressões e torturas, são de arrepiar.
     Segundo, uma simulação desastrosa de resgate de um refém feita em Rondonópolis, no sábado, por homens de elite da PM resulta numa tragédia. Ao invés de usarem balas de festim, utilizaram projéteis de verdade durante a apresentação num bairro da periferia. Um menor de 13 anos acabou assassinado e vários civis ficaram feridos.
     A cena que não deveria sair da ficção ganhou realidade e agora corre o mundo. Está sendo exibida nos principais telejornais. Essas imagens dos instantes que antecederam a invasão no ônibus já mostravam que a ação era incompetente, pois os PMs não tiveram cuidado de verificar a própria munição.
     O governo pode até alegar que esses dois fatos retratam situações isoladas, mas no imaginário popular cresce ainda mais a concepção de uma polícia bandida, truculenta e que mata sem dó. Somos ainda um Estado que figura nas primeiras colocações no mapa da violência. Mas, ao longo dos anos, conseguimos apagar da memória das pessoas antigos comentários de que Mato Grosso, por força dos fortes e agravantes conflitos no campo, era terra sem lei, com predominância do 44.
     Agora, com esses episódios de violência policial condenáveis em todos os sentidos, a luta deve ser para não permitir o resgate da imagem do passado. Para tanto, são necessárias providências e ações governamentais urgentes. Nossos policiais são mal remunerados e, de um modo geral, necessitam de um maior preparo. Isso pressupõe investimentos.
     O governo precisa atacar o cerne da questão: a inabilidade da Polícia Militar em lidar com situações de conflito armado. A culpa pelo despreparo da tropa não deve recair sobre o soldado. Soma-se a isso o soldo irrisório pago a esses homens e mulheres que arriscam a vida diariamente (o salário de um policial militar em início de carreira é inferior a R$ 1,5 mil).
     Os brasileiros clamam por uma polícia mais justa, humana e adestrada, capaz de reagir com firmeza à bandidagem, sem expor a riscos pessoas de bem. Policiais não podem ser algozes do cidadão, tampouco vítimas do descaso.

Romilson Dourado é jornalista, editor de Política de A Gazeta e escreve neste espaço às segundas-feiras

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Nezinho, nova derrota e aposentadoria

nezinho 400   Aos 69 anos, o petebista Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (foto), considerado da velha guarda política, tentou, mas foi reprovado nas urnas em Nossa Senhora do Livramento. Ele concorreu a prefeito em quatro pleitos. E já exerceu dois mandatos. Nezinho já foi secretário-adjunto de Fazenda do Estado,...

EP cresce 5; Abílio perde 3, diz Ibope

emanuel pinheiro 400 curtinha   Pelos números do Ibope, revelados nesta sexta à noite pela TV Centro América (Globo), Abílio Júnior (Podemos) oscilou negativamente 3 pontos percentuais em menos de uma semana, de 48% para 45% das intenções de voto. Já o emedebista Emanuel Pinheiro (foto)...

Sob arrogância, ataque e desrespeito

abilio junior 400 curtinha   O candidato Abílio Junior (foto), que disputa o segundo turno em Cuiabá com o prefeito Emanuel, chegou bastante nervoso e irritado para o debate nesta sexta, na TV Vila Real (Record). Demonstrando arrogância, ignorou o superintendente do Grupo Gazeta de Comunicação, Dorileo Leal, na...

Candidatos, tensão, debate e bate boca

antoniocarlos   Em debate tenso, na TV Vila Real (do grupo Gazeta) e, após troca de acusações sobre atos de corrupção e servidores fantasmas, os candidatos à Prefeitura de Cuiabá Abílio Júnior (Pode) e Emanuel Pinheiro (MDB) protagonizaram bate boca por mais de uma vez. O clima ficou...

Abílio contrata 400 fiscais para eleição

A campanha do candidato Abílio Júnior (Pode) decidiu contratar 400 fiscais para atuar nesta eleição de domingo. Isso derruba o discurso do candidato do Podemos de que todos atuam de forma voluntária em prol da sua vitória. Aliás, quando questionado sobre a grande estrutura que montou neste segundo turno, inclusive sobre a equipe de marketing, disse que todos são colaboradores. Na sua versão, ninguém recebe pelo trabalho,...

Entrando na briga à AMM muito tarde

maurao curtinha 400   Mauro Rosa, o Maurão (foto), que está encerrando o segundo mandato como prefeito de Água Boa, é o único candidato no duelo com Neurilan Fraga, que busca mais um mandato no comando da AMM, entidade que representa as prefeituras mato-grossenses. O problema é que Maurão entrou...