Últimas

Quinta-Feira, 23 de Outubro de 2008, 11h:39 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:21

DIVERGÊNCIA

Maluf "bloqueia" reajuste; Mendes vê prejuízos

   O deputado Guilherme Maluf, líder do PSDB na Assembléia, partido do candidato à reeleição em Cuiabá, Wilson Santos, quebrou o acordo feito entre os parlamentares para que houvesse celeridade na votação da mensagem 73/08, sobre o reajuste salarial de 6% dos profissionais da rede estadual de Educação. Maluf pediu vistas quando a mensagem foi colocada em votação, o que causou a ira dos aliados do candidato republicano à Prefeitura de Cuiabá, Mauro Mendes.

   Cerca de 35 mil servidores iriam se beneficiar do reajuste. A sessão ordinária desta quinta (23) foi cancelada porque os líderes da Casa estão reunidos à portas fechadas para discutir o assunto.

   Os opositores de Santos afirmam que a ação de Maluf foi eleitoreira, já que dessa forma, Mendes fica "desmoralizado" junto aos servidores que teriam prometido apoio a ele, já que o republicano "levantou a bandeira" do reajuste durante a campanha. A mensagem deveria ter sido votada em regime de urgência. Já os aliados do prefeito afirmam que o pedido de vistas ocorreu porque alguns servidores não estariam contentes com o reajuste de 6% e pleiteiam um aumento maior.

   O problema é que a Assembléia só retoma os trabalhos parlamentares na próxima semana, quando Cuiabá já terá conhecido seu novo prefeito. Desse modo, o reajuste pode não ser incluído na folha de pagamento do próximo mês, como esperam os servidores. (Flávia Borges)

(24/10 às 12h12) -  Deputado critica petista e governador

   O deputado Guilherme Maluf (PSDB) rebateu por meio de nota as críticas feitas por Alexandre Cesar (PT), sobre o pedido de vista feito pelo tucano a respeito da votação da mensagem 73/08, que trata do reajuste salarial de 6% dos profissionais da rede estadual de Educação. Para Maluf, o petista utilizou um fato considerado rotineiro, para subir à tribuna e politizar o assunto, de forma "irada". “Fazer ilação política, com ranço eleitoreiro, entre uma medida regimental costumeiramente adotada e a eleição municipal em Cuiabá é minimizar demais um assunto específico e particularizado, e que, naquele momento, só dizia respeito a uma discussão devida e cabível apenas no âmbito do parlamento estadual”, diz trecho da nota.

   Maluf aproveitou a oportunidade para criticar o governador Blairo Maggi (PR). Para o parlamentar, o chefe do executivo estadual demorou para enviar a mensagem à Assembléia e "programou" a entrega apenas para as vésperas do segundo turno das eleições municipais. “A demora do Governo do Estado tem visível propósito eleitoreiro, já que a mensagem da fixação dos subsídios só chegou ao parlamento estadual às vésperas da realização do 2º turno da eleição municipal em Cuiabá, precedida da intenção de aprová-la “a toque de caixa” visando, certamente, alavancar uma candidatura que naufraga a “olhos vistos”, pois o candidato da “turma da botina” e dos petistas não tem tradição e nem trajetória política”, diz Maluf.

Confira a íntegra da nota enviada por Guilherme Maluf

    Apenas um ato rotineiro nos trabalhos cotidianos de plenário na Assembléia Legislativa, o pedido de vista praticado pelo deputado Guilherme Maluf (PSDB/Bloco Independente), na sessão vespertina da última quarta-feira (22.10), com relação à votação da mensagem do governo estadual que fixa os subsídios dos profissionais da educação.
   Foi o bastante para que o deputado petista Alexandre César, que substitui o titular Ságuas Moraes, atualmente respondendo pela Secretaria Estadual de Educação, fosse à tribuna e politizasse de forma “irada” uma medida prevista regimentalmente e que resguarda, em qualquer parlamento democrático, um direito de bancada minoritária.
   “Fazer ilação política, com ranço eleitoreiro, entre uma medida regimental costumeiramente adotada e a eleição municipal em Cuiabá é minimizar demais um assunto específico e particularizado, e que, naquele momento, só dizia respeito a uma discussão devida e cabível apenas no âmbito do parlamento estadual”, desabafou Maluf.
   Os trabalhos para a definição e implantação dos novos níveis salariais para a categoria dos trabalhadores no ensino público estadual vem se desenrolando desde meados deste ano. Em agosto, o Grupo de Trabalho integrado pelo Sintep e a Seduc chegaram a um acordo no qual ficou estabelecido que o piso salarial da categoria seria de R$966,72, valor que corresponde a uma recomposição da ordem de 6%.
   No acordo, ficou também estipulado que o Governo do Estado realizaria avaliações quadrimestrais para estudar o crescimento da receita, designadas, antecipadamente, para 15 de setembro e 15 de janeiro de 2009, e com base nos resultados obtidos iria rever o valor do piso que poderia chegar a R$1.050,00, o que ainda não aconteceu, apesar da demora no envio da mensagem de recomposição salarial.
   “A minha atitude no plenário não causou nenhuma frustração aos esclarecidos professores da rede pública estadual. Se existiu, ou existe tal sentimento é, repito, com relação à demora do Governo do Estado em enviar mais cedo a proposta para o exame e deliberação da Assembléia Legislativa. E isso precisa ficar bem claro para a classe trabalhadora e população em geral”, esclareceu Maluf.
   A mensagem do governo foi recebida na Assembléia Legislativa no dia 21 (terça-feira). E, logo no dia seguinte (22), com pedido de regime de urgência/urgentíssima, recebeu parecer de mérito para ser votado imediatamente, seguido de outro pedido, em plenário, para que a 2ª segunda votação também acontecesse, em sessão extraordinária, na mesma data.
   O processo é regimentalmente previsto, embora possa ser obstado por recurso lícito também disposto no regimento interno, o que foi, sabiamente, utilizado pelo parlamentar tucano, para discutir melhor a questão depois de ouvir parcela do segmento profissional, insatisfeita, e diretamente interessada com o assunto.
   “O governo estadual é que deve explicações à categoria dos professores, especialmente com relação ao estabelecimento da data efetiva para a fixação do piso de R$1.050,00. A Prefeitura de Cuiabá já paga um piso muito próximo desse valor ao professor de ensino fundamental, para 20 horas semanais de trabalho. Para sanar essa inexplicável diferença salarial vou apresentar uma emenda ao projeto elevando e igualando o piso entre Estado e o município”, adiantou Maluf. 
   “Entendo o anseio da categoria, classe trabalhadora que respeito e prezo muito. Só não compreendo a demora, certamente proposital e com intenções outras, do Governo do Estado no envio do assunto para a regular apreciação dos deputados estaduais, sabendo que poderia encontrar óbice isolado na tramitação da matéria, na forma em que ela foi colocada. Faltaram, naquele singular momento, maior visão e experiência dos representantes governistas na Casa”, assinalou Guilherme Maluf.
   “A demora do Governo do Estado tem visível propósito eleitoreiro, já que a mensagem da fixação dos subsídios só chegou ao Parlamento Estadual às vésperas da realização do 2º turno da eleição municipal em Cuiabá, precedida da intenção de aprová-la “a toque de caixa” visando, certamente, alavancar uma candidatura que naufraga a “olhos vistos”, pois o candidato da “turma da botina” e dos petistas não tem tradição e nem trajetória política”, acentuou Maluf.
   “Política e administrativamente nem tudo está perdido. Na próxima semana, a matéria volta ao plenário e pode ser decidida rapidamente. Daí resta ao governo ser diligente e rodar, se assim ainda achar conveniente, a folha de pagamento de modo a contemplar, no mês de setembro, os professores com a recomposição salarial”, finalizou Maluf.

Assessoria de Gabinete

Postar um novo comentário

Comentários (29)

  • Maria de Jesus Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • JOVAINE | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • Maria Antonia Martins dos Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Pura safadeza desse deputado. Evitar que o projeto ~fosse aprovado pra tirar votos do Mauro Mendes é sandice dele, pois vai tirar voto do WS. É uma manobra rasteira,irresponsável típica de quem não tem compromisso com oidadãos, apenas com ele mesmo. So mesmo de alguem do PSDB.

  • Maria de Jesus Santos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    As eleições são para o município de Cuiabá. Quanto aos professores, devem se organizar e lutar pelos seus direitos em qualquer esfera, municipal, estadual, federal. Qualquer um que governe seja no município, no estado ou no plano federal atende a interesses conforme a pressão exercida pelos grupos organizados da sociedade. Não interessa quem esteja no comando: PR, PMDB, PT, PSDB ou qualquer outro partido, o que governa é representante, pelo menos em tese, de toda a sociedade e esse deve ser o seu maior compromisso, o compromisso com a sociedade e suas demandas históricas. Se for para ficar falando de setor vamos olhar para os servidores da saúde do município, que amargam péssimas condições de trabalho e salário há muito tempo...E ainda os demais servidores de outros setores!

  • Maria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Ah claro, bom foi o aumento que o prefeito deu aos servidores por meio do PCCS, né?!
    Teve servidor que, após 14 anos sem reajuste teve MÍSEROS 32 reais de aumento! Isso é o que vcs chamam de respeito para com o servidor público?!
    E não adianta dizer que sua primeira ação será aumentar o salário dos servidores. O senhor prefeito deveria ter vergonha desse PCCS que só esculhamba o servidor público.
    Será que todos sabem que o salário de prefeito de cuiabá é um dos maiores do país? E será que sabem que pretendem aumentar ainda mais? Isso não divulgam!

  • Cidadã | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    AHHHHHHHHHHH,isso POOOOOOOOde!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Pois é um aumento que ja estava acordado com o sindicato da categoria, pondo assim fim a greve e ficando o Sr. Secretário de definir em setembro de acordo com repasses da secretaria tudo em forma de documento e levado a apreciação do sindicato e categoria, e que foi aceita. Agora vem um Deputaduzinho que por coiscidência é do PSDB, FALAR EM PULITICAGEM! dECHA A CATEGORIA TBM TER UM POUCO DE DIGNIDADE TBM........
    É UMA VERGONHA GENTE VE SE AGORA VCs GRAVEM BEM O NOME DESSE ILUUUUUUUUUSTRSSIMO DEPUTADO E DEEMMMMM O QUE ELE MERESSE NA PROXIMA ELEIÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • SILVIA MARIA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    parabens deputado maluf, fiquei mto sua fa, esta correto o reizinho magico quer dar um aumento vergonho as vesperas das eleicoes, pra que dar esmola, os professores merecem ser tradados com mto respeito e a mto tempo precisam de um aumento,mas com diguinidade, e so vc deputado soube fazer essa defesa a nossa classe, parabens e nada de acordo eleitoreiros, to mto orgulhosa de vc, nota mil , dia 26 , vote no 45 esse sim é um partido responsavel com a nossa educacao, 45 45 45 45 45 45 45 45 45 45 45 45 45 myo sucesso ao que amam os professores,

  • Pedro Luiz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Obrigado Dep. pelo trabalho em pedir vista no projeto Lei (reajuste), sou professor da rede estadual e tive acesso no projeto, como esta a proposta não só eu como milhares de professores não vamos ter reajuste conforme combinamos com o nosso sindicato. Temos que discutir melhor essa proposta e não ser aprovado a toque de caixa no momento de eleição.

  • LUIZ ANTONIO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SOU PROFESSOR DA REDE ESTADUAL, VOTEI NO CANDIDATO DO PR AQUI EM V. GDE, AGORA VOTAR UM REAJUSTE A TOQUE DE CAIXA NÃO DÁ PARA ACREDITAR, EU COMO DIVERSOS PROFESSORES NÃO TEREMOS O REAJUSTE ADQUADO, POR ISSO ACREDITO QUE O DEP. MALOUF FEZ O CORRETO, PORQUE VOTAR A PROPOSTA COM URGENCIA?

  • Professora | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vergonha?!

    Vergonha é ver esse Sintep de calças arriada para a turma do PT que está na Seduc. Palhaçada o que eles estão fazendo com nossa categoria, tão combativa e bem representada no passado!

    Só fazem de conta que estão negociando com o Governo! A Seduc não tem qualquer projeto político-pedagógico inovador e sério para a rede estadual de ensino. Nas escolas estaduais, quando têm aulas, as aulas não duram mais que duas horas! Um absurdo!

    E o Sintep sempre conivente! VERGONHA!

Luizão e 10 promessas em cartório

luizao 400   O empresário Luizão (foto), candidato a prefeito de Rondonópolis pelo Republicanos, registrou em cartório 10 comprimissos de gestão, garantindo, em caso de eleito, executá-los logo no primeiro mês de mandato. O primeiro deles é de zerar a fila de consultas, exames e cirurgias. E...

Ex-secretários de França sem mácula

roberto franca 400 curtinha   A assessoria jurídica da coligação de Roberto França (foto), que concorre à Prefeitura de Cuiabá pelo Patriota, classifica de mentirosa e irresponsável a notícia de que ex-secretários de França, da época em que comandou a Capital, de 1997 a...

Líderes de Lucas e apoios ao Senado

otaviano pivetta curtinha 400   As principais lideranças políticas da "República" de Lucas do Rio Verde estão divididas nos apoios sobre candidaturas ao Senado. O vice-governador Otaviano Pivetta (foto), recém-desfiliado do PDT, faz campanha pela coronel Rúbia Fernanda (Patriota), propagada como a candidata...

Reeleição difícil em Barra do Bugres

raimundo nonato 400   Aos 81 anos, o piauiense de Campo Maior, Raimundo Nonato (foto), busca renovar o mandato de prefeito de Barra do Bugres pelo DEM. Embora considerado carismático e populista, pioneiro no município e ajudado pela força da máquina pública, Nonato, que já foi prefeito nos anos 82 e 90,...

4 com as maiores chances ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   Todos os principais candidatos ao Senado, na suplementar de 15 de novembro, para eleger quem ocupará a cadeira da cassada Selma Arruda, estão trabalhando com tracking eleitoral, metodologia que consiste, basicamente, em realizar pesquisas de intenção de voto por telefone de forma...

Polarização entre Gustavo e os Maia

gustavo mello 400 curtinha   Em Alto Araguaia, três disputam a prefeitura, mas a briga eleitoral está mesmo polarizada entre o prefeito Gustavo Melo (foto), do PSB, e Martha Maia (PP), irmã do ex-prefeito por quatro vezes Maia Neto. Júnior da Farmácia (PSL) corre por fora, mas sem chance de êxito nas urnas....