Últimas

Quinta-Feira, 06 de Março de 2008, 16h:47 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

VARIEDADES

Ministério garante que Figueiredo não foi preso

 O secretário-executivo do Ministério das Cidades, Rodrigo Figueiredo, mato-grossense de Santo Antonio de Leverger, está sob investigação da Polícia Federal. Nesta quinta surgiram fortes boatos em Brasília de que ele teria sido preso num operação da PF. O Ministério das Cidades tratou de desmentir a notícia que ganhou repercussão nos bastidores. A assessoria de Figueiredo assegura que ele despachou normalmente no Ministério. Observa que Figueiredo não foi convocado nem para prestar depoimento na polícia.

   Ele é ligado ao deputado federal Pedro Henry (PP). No ano passado, uma gravação interceptada pela PF, que resultou na Operação Navalha e prisão de 40 pessoas acusadas de envolvimento em fraudes em obras públicas, revela um diálogo entre o ex-presidente do PP, deputado cassado Pedro Corrêa (PE), e Flávio Candelot, ex-diretor da secretaria de Política Urbana (hoje Ministério das Cidades). Na conversa, o ministro Márcio Fontes (PP) é citado e menciona os municípios de Sinop e Cuiabá. Figueiredo também surge como personagem da história.

   O ex-deputado repassa a Candelot orientações que Fontes teria lhe dado para facilitar a liberação de verbas públicas. Os recursos custeariam obra de saneamento básico em Sinop. Aliás, o prefeito sinopense Nilson Leitão (PSDB) chegou a ser preso na Operação Navalha, junto com seu ex-secretário Jair Pessini, sob acusação de desvio de licitação para contemplar a empreiteira Gautama e, em moeda de troca, receber R$ 200 mil de propina.

     Num dos trechos do diálogo, o ex-deputado cita Cuiabá: “Márcio falou na minha frente agora com o superintendente de Negócios, lá em Cuiabá". Conforme o relatório da PF, produzido em 19 de outubro, sobre o diálogo comprometedor entre Candelot e Corrêa, o nome de Rodrigo Figueiredo, também é citado, como espécie de apoio.

   Figueiredo é hoje um dos braços do ministro Márcio Fortes e chegou a conduz a pasta por alguns dias. Ele é filho de Milton Figueiredo (já falecido), que foi deputado estadual por três mandatos (66/74) e federal por duas vezes (79/87).

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Paulo Mattos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não conheço esse Figueiredo, aliás, nunca tinha ouvido falar nessa personalidade. Mas me pergunto e pergunto aos internautas que navegam placidamente neste melhor blog da cidade: para que prender um homem como esse Figueiredo, se não há um formulação contundente de culpabilidade de seu eventual envolvimento nessas falcatruas que acontecem diariamente no governo Lula ? Só para aparecer na televisão, nos jornais, nas rádios e em todos os meios de comunicação do país ? Só para se dizer que neste país, os corruptos são presos e algemados em rede nacional ? Pois é, mas me digam aí, quantos corruptos, de todas as operações sensacionlistas desencadeadas pela Polícia Federal, com a conivência e beneplácito do Ministério Público, encontram-se presos, condenados pela Justiça ? Em que prisão deste país, se encontram os Juízes, Ministros, Desembargadores, Deputados e outros que tais que foram presos nas Operações de nomes mirabolantes e que apareceram em rede nacional algemados, humilhados e tratados como verdadeiros bandidos ? O que foi feito dos processos realizados contra essas pessoas ? Seriam eles criminosos verdadeiros ou serviram apenas como bodes expiatórios para se produzir uma falsa sensação de aplicação da Justiça ? Francamente. Agora, vamos prender o Figueiredo. Vamos acionar a força tarefa da Polícia Federal, do Ministério Público, alugar um avião, um helicóptero, várias viaturas e vamos ao encontro do Figueiredo, triste Figueiredo. Vamos apresentá-lo algemado na televisão do Brasil e do mundo para que, no dia seguinte, após ele prestar o seu depoimento sobre os fatos de que é acusado, ser solto, "na moita" e nunca mais ninguém ouvir falar do Figueiredo. Ficará, no entanto, como os demais já citados, marcado com corrupto, bandido, criminoso, sem que ninguém, muito menos a Justiça Pública, sempre paquidérmica e inoperante, lhe propicie uma sentença, seja condenatória, seja absolutória. Só neste Brasil mesmo... Vergonhoso.

  • Ronaldo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Rodrigo está sendo acusado de ter falado no telefone que iria correr atrás dos processos que estão no ministério das Cidades.

    Tá ficando meio claro que estão é de olho no cargo dele!!! aí vem a PF, que quase não gosta de holofotes, que indicia um Secretário Executivo que está trabalhando... correndo atrás do processos... Se ele não fizesse isso...seria incompetente!! Como fez...agora é acusado de corrupção!!

    É o Brasil do PT!!! OU NÃO FAZ... OU ROUBA!!!

  • Carmem Lucia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Conheci a familia integra do Rodrigo, filho do ilustre Milton Figueiredo e esse menino nao coaduna com nenhuma pratica criminosa. Temos que separar o joio do trigo para depois acusar. Estamos vivendo em uma triste epoca em que todo mundo que trabalha no Poder Legislatico ou no Executivo ou no Judiciario virou ladrao.

  • Maria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A Polícia Federal a cada grande operação negocia um grande aumento salarial. Pobre daqueles que servem de bode expiatório. Na revista Isto é diz que Rodrigo Figueiredo, compromete-se a "correr atrás" de um processo de interesse de um município da BA. Nós servidores públicos temos por obrigação servir à sociedade, "correndo atrás" de tudo que nos compete. A irresponsabilidade tomou conta das autoridades policiais, todos são colocados no mesmo balaio. Tenho certeza que estamos diante de mais uma vítima de sensacionalismo barato que assola este Brasil.

  • Jussania Dias Moura | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isso é irresponsabilidade. Uma pessoa leva a uma vida inteira e mais a vida de seus antecedentes para construir um nome, uma arvore genealógica de gente decente de caráter, e em um minuto a ganância o desrespeito a honra a dignidade e aos bons princípios jogam por terra todo o trabalho de uma vida.O trabalho investigação deixou de existir,escolhe-se a vítima, cria-se o indício convoca-se a imprensa e o mocinho prende o bandido. The End.O mundo assiste, e ele terá o seu curriculo manchado para sempre.e Viva a democracia

  • julio augusto de oliveira soares | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quando na minha infância e juventude tive a honra de privar da companhia do saudoso dep.Milton figueredo e sua família que a vários anos perdi contato.mais com o ilustre legislador aprendi a amar mais ainda as terras de Rondon, e o seu legado de honra tenho certeza que seu filho Rodrigo não deixaria conspurcar pelo belo exemplo do seu pai.

Deputado, Mesa da AL e incoerência

claudinei 400   Claudinei Lopes (foto), delegado de polícia que, na onda Bolsonaro, se elegeu deputado pelo PSL, em 2018, se mostra cada vez mais incoerente. É daqueles que gostam de levantar polêmicas e críticas, mas sem consistência. Ele se manifestou, por exemplo, contra a reeleição à Mesa...

Dilmar ensaia disputa para federal

dilmar dal bosco 400   Todos os deputados estaduais querem buscar a reeleição, com exceção de Dilmar Dal Bosco (foto), que está no terceiro mandato. Integrante da nova Mesa Diretora da Assembleia, como primeiro-vice-presidente, e líder do Governo Mauro, Dilmar não esconde o desejo de disputar cadeira...

Com Covid-19 e frequentando a AL

paulo araujo 400   O deputado Paulo Araújo (foto), do PP, está com reinfecção pelo Covid-19 e, mesmo assim, continua frequentando o prédio da Assembleia normalmente, como se não tivesse contaminado. Na primeira vez que foi infectado pelo vírus, também fez igual. Colegas parlamentares e...

2 abstenções e briga pela 4ª Secretaria

silvio favero 400   Dois deputados se abstiveram na eleição da Mesa Diretora da Assembleia desta terça cujo votação foi secreta. Nos bastidores, os comentários são de que as abstenções foram de Sílvio Fávero (foto), que se lançou à disputa e, sequer, teve...

Petista, incoerência e voto contrário

ludio cabral 400   O petista Lúdio Cabral (foto), daqueles parlamentares do morde e assopra, na tentativa de marcar posição, expõe cada vez mais suas incoerências em votação na Assembleia. Na sessão que antecedeu a eleição para a nova Mesa Diretora, provocada pela decisão...

Projeto sobre VI na Saúde está na AL

gilberto figueiredo 400 curtinha   Já está na Assembleia, para votação dos deputados, o projeto do governo que garante retomada do pagamento da verba indenizatória aos profissionais da Saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 nas unidades hospitalares, ambulatoriais e...