Últimas

Sábado, 18 de Abril de 2009, 23h:32 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

Rumo a 2010

"Modelo que substitui vestibular ignora história regional"

   Os professores Pedro Carlos Nogueira Felix e Giseli Dala Nora Felix levantam um debate que deveria mobilizar não apenas a comunidade acadêmica, mas toda a sociedade mato-grossense acerca da adesão ao novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pelas universidades como forma única de seleção para ingresso de novos estudantes. As instituições vão discutir a mudança e têm a prerrogativa de aceitá-la de imediato ou manter o atual modelo de vestibular. No caso da UFMT, o seu Conselho de Ensino e Pesquisa (Consepe), que congrega representantes dos professores, alunos e do quadro de pessoal, vai debater a proposta no próximo dia 22.

   O modelo a ser adotado pela instituição deve ser definido em julho, em reunião dos conselhos superiores da universidade. O vestibular unificado para as universidades federais foi proposto pelo MEC no mês passado. A intenção é reformular Enem para que ele sirva como processo seletivo para todas as instituições. Os testes seriam de linguagens e códigos, matemática, ciências naturais e ciências humanas, cada um com 50 itens, e uma redação. A proposta liderada pelo ministro Fernando Haddad já foi apresentada aos reitores das instituições federais de ensino superior, que agora devem decidir se aderem ou não ao modelo.

    Para Pedro e Giseli Felix, esse novo modelo ainda é uma incógnita. Primeiro, não há sinalização de que os diversos segmentos da sociedade serão chamados para esse debate. Segundo, corre-se o risco de desvalorização da cultura, história e literatura regionais porque a tendência é prevalecer no Enem o conhecimento das regiões Sul e Sudeste do país.

    Em artigo, eles questionam: "O que fazer com toda essa gama de entendimento regional, para que servirá a criação e recriação dos saberes regionalizados, e que entre outras funções, serve para mostrar que embora sejamos todos brasileiros, somos cuiabanos, mato-grossense, e notamos que somos diferentes em aspectos macro e micro-regiões de outras regiões do nosso Brasil?".

   O artigo intitulado "Pela regionalização do Brasil", assinado por Pedro e Giseli Felix, está postado na seção Artigos, logo acima à esquerda. Confira.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Ana Carolina Melo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Concordo com os professores.Essa nova proposta ira prejudicar e muitos os estudantes, nao apenas de MT, como tambem de outras regioes!! A parte regional e fundamental nas provas dos vestibulares, pois alem de valorizar o estado contribui para que os estudantes que residem no estado em questao eliminem a concorrencia que vem de FORA roubar nossas vagas!!

    O MEC pode ate implantar essa proposta, mas antes deve haver um planejamento e uma preparacao tanto dos professores quanto dos alunos, para que assim ninguem saia prejudicado!!

  • Luan Freitas de Oliveira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Esse novo modelo desfavorece todos os habitantes do estado, pois para onde irá todo o nosso conhecimento regional, a história, a geografia dos estados brasileiros. E de que adiantará nós estudarmos a história do nosso estado se ele não servirá nem para nos avaliar em um momento tão precioso e de grande valor que é o vestibular. Além de que estará, prevalecendo outros estudantes de outros estados a estarem tão preparados como nós, e estes entrarem na universidade de nosso estado.

  • Leandro Momente | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Se a a UFMT faz pouca manifestação para produzir material regional porque agora quer levantar uma reflexão sobre uma PROVA UNICA que nos tira do maleficio VESTIBULAR.
    Parece mais uma reflexão metafísica de professores e alunos que vivem o idilico poético de defender o sentimento regional somente nesta prova.
    Então vamos começar a trabalhar desde os pequenos no Ensino Básico até a Faculdade.
    Deixemos de procurar CHIFRE em cabeça de PACÚ.

  • Pedro getulio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Concordo plenamente, pois Mato Grosso é um estado mixigenado de gente de vários estados que nada sabem da historia e geografia do nosso estado tem que ser valorizado sim, o que interessa pros matogrossenses conhecimentos regionais de outros estados!

  • Flávia Nogueira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sugiro que os professores conheçam melhor a proposta, especialmente as quatro diferentes forma de adesão das universidades, que possibilitam total respeito às questões regionais. Sugiro ainda que estudem de forma mais aprofundada os efeitos extremamente maléficos que o atual modelo de vestibular traz ao ensino médio brasileiro, seja particular, seja público.

  • Pedro Felix | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    1- Ficamos felizes com os comentários. É isso que queremos, precisamos discutir com a sociedade cuiabana e mato-grossense sobre essa nova proposta do MEC
    2- Quem tiver o projeto do MEc, por favor reproduza urgentemente para que: o IHGMT, Dep. de Geografia, História, e Letras da UFMT, Professores das áreas, demais segmentos e grupos de interesses possam discutir o assunto.
    3- Não temos a certeza de nada, mas o modelo de vestibular atual ou mesmo essa nova proposta não resolve de forma alguma o maior problema de ingresso nas Universidades públicas: o número de postulantes é infinitamente maior que o número de vagas oferecidas
    4- O nivelamento proposto pelo MEC é verticalizante, não ouvindo os interessados, e já impondo de modo rápido a implantação. O CONSEPE da Ufmt já se reúne dia 22 a 23 de abril para bater o martelo sobre o assunto.
    5- Não estamos aqui com postura de ser contra, mas fazer a reflexão sobre um assunto que vai ter uma grande repercussão sobre nossos jovens e que devido a envergadura nacional, pressupõe um debate nas regionalidades tão diferentes desse nosso pais.

  • Marcos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Os professores estão corretos em suas argumentações. Agora... esse livro que eles lançaram, cá entre nós... é bem fraquinho (isso pra dizer o mínimo). Existem obras melhores no mercado.

  • Pedro Felix | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vejam mais materias sobre o novo enem/vestibular
    aem: http://educacao.uol.com.br/ultnot/2009/04/17/ult105u7908.jhtm
    interessante

2 da AL em chapas distintas à AMM

nininho 400   Dois deputados estaduais estão divididos em chapas de honra da eleição da AMM, que acontece no próximo dia 15. O curioso é que Ondanir Bortolini, o Nininho (foto), filiado ao PSD e hoje presidente de honra da entidade comandada pelo segundo mandato consecutivo por Neurilan Fraga (PL), caiu fora da...

Trentini perde de novo para Pitucha

roland trentini 400 curtinha   Na queda-de-braço nos bastidores, o ex-prefeito por três mandatos de Alto Garças, Roland Trentini (foto), perdeu de novo para o rival político histórico, o também ex-prefeito Júnior Pitucha. Ambos, que já protagonizaram disputas acirradas, tensas e...

2 maiores líderes sob crise partidária

mauro mendes 400 curtinha   Os dois maiores chefes de Executivos em MT hoje enfrentam problemas partidários internamente. O governador Mauro Mendes (foto), mesmo sendo a principal estrela do DEM no Estado, não está confortável dentro do partido por causa de conflitos com os irmãos Júlio e Jayme Campos....

MM e deputados derrotados do MDB

carlos bezerra 400 curtinha   Por coincidência, deputados do MDB que tiveram seus candidatos derrotados nas urnas estão de afagos com o governador Mauro. E até convidaram-no para deixar o DEM e migrar para o MDB, numa articulação do cacicão do partido, o federal Carlos Bezerra (foto), que puxou a corda da...

Os Maia fincam força no Legislativo

silvio maia 400   O ex-prefeito por quatro vezes de Alto Araguaia, Maia Neto, perdeu nas urnas na majoritária, mas ganhou na proporcional. De um lado, a irmã Martha Maia, seu braço-direito durante todos os mandatos, foi derrotada à prefeita por Gustavo Melo, que se reelegeu. Por outro, Maia Neto viu dois dos seus...

Reeleito, Gustavo derruba o clã Maia

gustavo melo 400   O jovem prefeito de Alto Araguaia, Gustavo de Melo (foto), de 36 anos, manteve mesmo o "apertado" favoritismo, conforme mostrou na reta final a pesquisa do instituto Analisando, e derrotou o clã Maia. Venceu por 962 votos de diferença. Filiado ao PSB, Gustavo chegou a 4.805, enquanto Martha Maia (PP) registrou 3.840...