Últimas

Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2006, 09h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Morte e vida: Severino

O colunista Fernando de Barros e Silva revela, em artigo publicado na Folha de S. Paulo desta segunda (19), considera que 'o aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade'.

Leia reprodução abaixo:

FERNANDO DE BARROS E SILVA

Morte e vida: Severino

SÃO PAULO - O aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade, da qual o primeiro supostamente seria a "caixa de ressonância", como reza o clichê. Essa caixa ressoa outra música.
A decisão deixa evidente -como se ainda fosse preciso- que os atuais congressistas há muito passaram do ponto em que prestar satisfações à opinião pública fazia parte de suas preocupações.
          O que Fernando Gabeira (PV-RJ) chamou de "ato de inimizade com o povo brasileiro" suscita outras questões mais amplas: o que esses parlamentares representam? Agem dessa forma em nome de quem? E estão lá, afinal, para quê? A democracia às vezes precisa de respostas.
         Diante dos R$ 24,5 mil, ficamos entre a mente iluminada de um José Múcio (PTB-PE) -segundo quem os 91% vão evitar "fuga de cérebros do Congresso" e o risco de que haja "CPI com bandidos dos dois lados"- e a omissão sem brilho do presidente da Câmara, Aldo Rebelo, cada vez mais parecido com a hiena triste do desenho animado. Ó vida, ó céus, ó azar! -dizemos nós.
É fato que o Congresso sempre foi fisiológico e corporativo. As marcas dessa legislatura são a trivialização da bandalheira e a generalização da impunidade. Entre os sanguessugas -três senadores e 69 deputados- não houve cassações, apenas duas renúncias. E só três de 19 mensaleiros foram cassados.
           A gestão Lula, que prometia mudar hábitos políticos, colaborou para o apodrecimento do Legislativo. A cúpula do PT patrocinou o maior esquema já visto de aluguel de deputados no varejo. Apanhados, governo e partido nada fizeram para punir seus mensaleiros. A mesma cultura desembocou no dossiê.
Vista em perspectiva, a eleição de Severino Cavalcanti, em 2005, foi a expressão sintomática do camelódromo em que a Câmara se transformara. A farra do baixo clero que ele representava teve vida curta. Mas o que representam hoje Aldo e Renan, senão a "severinização" do Congresso como instituição?

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Rosana reassume Sinop na quinta

gilson de oliveira 400 curtinha sinop   Pela segunda vez, o apresentador de TV Gilson de Oliveira (foto), do MDB, comanda temporariamente Sinop, a chamada capital do Nortão. A prefeita e empresária Rosana Martinelli saiu de licença não remunerada por 12 dias para cuidar de assuntos pessoais. Viajou aos Estados Unidos....

Vereador induzindo as pessoas ao erro

diego guimaraes curtinha 400   O vereador oposicionista pela Capital Diego Guimarães (foto), do PP, está induzindo a erro às pessoas. Mesmo o prefeito Emanuel já tenho anunciado que vetará a proposta da Câmara Municipal de aumentar o seu próprio salário, uma forma de criar o efeito cascata e...

Quitados atrasados da gestão Taques

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes comemora o fato de estar fechando os 10 primeiros meses de mandato já tendo conseguido, mesmo sob crise financeira e uma série de medidas austeras para equilibrar as contas públicas, regularizar todos os pagamentos aos municípios de 2018 empurrados para sua...

Tangará, os indecisos e PSL com Caio

caio 400 tangara da serra curtinha   Em Tangará da Serra, até agora ninguém sabe para onde vão alguns partidos, como PTB, PL (ex-PR), Pros e DC. Há uma chance de que estes, que outrora foram importantes na cidade, nem lancem candidatos a vereador, principalmente porque não possuem nomes suficientes para...

Tangará da Serra com 3 na pré-disputa

reck junior 400 curtinha   Faltando um ano para a escolha do próximo prefeito, Tangará da Serra já sabe praticamente quem serão as opções nas urnas: Wesley Torres (MDB), Reck Júnior (foto), do PSD, e Vander Masson (PSDB). Nos bastidores, as discussões concentram-se nas...

Lei veta atuação de ambulante de fora

marcia alto paraguai curtinha 400   Em Alto Paraguai, a Câmara Municipal, sob Márcia Leite de Oliveira (foto), promulgou uma proposição que está provocando polêmica. Proíbe vendedor ambulante "de fora" de comercializar produto ou mercadoria de qualquer natureza na circunscrição do...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O que você acha das denúncias, principalmente sobre pagamento de propina, feitas pelo ex-presidente da AL José Riva, que tenta fechar delação?

São verdadeiras

Nem tudo é verdade

Acho que ele está mentindo

Não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.