Últimas

Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2006, 09h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Morte e vida: Severino

O colunista Fernando de Barros e Silva revela, em artigo publicado na Folha de S. Paulo desta segunda (19), considera que 'o aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade'.

Leia reprodução abaixo:

FERNANDO DE BARROS E SILVA

Morte e vida: Severino

SÃO PAULO - O aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade, da qual o primeiro supostamente seria a "caixa de ressonância", como reza o clichê. Essa caixa ressoa outra música.
A decisão deixa evidente -como se ainda fosse preciso- que os atuais congressistas há muito passaram do ponto em que prestar satisfações à opinião pública fazia parte de suas preocupações.
          O que Fernando Gabeira (PV-RJ) chamou de "ato de inimizade com o povo brasileiro" suscita outras questões mais amplas: o que esses parlamentares representam? Agem dessa forma em nome de quem? E estão lá, afinal, para quê? A democracia às vezes precisa de respostas.
         Diante dos R$ 24,5 mil, ficamos entre a mente iluminada de um José Múcio (PTB-PE) -segundo quem os 91% vão evitar "fuga de cérebros do Congresso" e o risco de que haja "CPI com bandidos dos dois lados"- e a omissão sem brilho do presidente da Câmara, Aldo Rebelo, cada vez mais parecido com a hiena triste do desenho animado. Ó vida, ó céus, ó azar! -dizemos nós.
É fato que o Congresso sempre foi fisiológico e corporativo. As marcas dessa legislatura são a trivialização da bandalheira e a generalização da impunidade. Entre os sanguessugas -três senadores e 69 deputados- não houve cassações, apenas duas renúncias. E só três de 19 mensaleiros foram cassados.
           A gestão Lula, que prometia mudar hábitos políticos, colaborou para o apodrecimento do Legislativo. A cúpula do PT patrocinou o maior esquema já visto de aluguel de deputados no varejo. Apanhados, governo e partido nada fizeram para punir seus mensaleiros. A mesma cultura desembocou no dossiê.
Vista em perspectiva, a eleição de Severino Cavalcanti, em 2005, foi a expressão sintomática do camelódromo em que a Câmara se transformara. A farra do baixo clero que ele representava teve vida curta. Mas o que representam hoje Aldo e Renan, senão a "severinização" do Congresso como instituição?

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Denúncia, psiquiatria e agora atestado

elizabeth 400 curtinha   Lotada como técnico-administrativo do RH do Hospital Metropolitano da Capital, Elizabete Maria de Almeida (foto), recorreu a um psiquiatra uma semana depois de registrar um BO e, sem apresentar provas, acusar o prefeito Emanuel de negociata, inclusive com dinheiro vivo para vereadores, com vistas a...

Título de Cidadã para senadora goiana

janaina riva 400 curtinha   A Assembleia fará sessão solene nestes últimos dias de 2019 para prestar homenagem a várias personalidades de diferentes segmentos e profissões. Uma das que serão condecoradas com o Título de Cidadã Mato-Grossense é a goiana Kátia Regina de Abreu,...

Francis sem os vereadores do partido

cesare 400 curtinha vereador caceres   A administração Francis Maris em Cáceres se tornou tão emblemática que perdeu apoio dos dois únicos vereadores do seu partido, o PSDB, na Câmara Municipal. Os tucanos Valdeniria Dutra e Claudio Henrique integram hoje o bloco de oposição ao prefeito,...

Gilberto prestigia sobrinho na Câmara

marcelo oliveira 400 curtinha   Depois de 11 meses sem pisar os pés na Câmara Municipal de Cuiabá, o vereador licenciado Gilberto Figueiredo, secretário estadual de Saúde e um dos pré-candidatos a prefeito do grupo do governador Mauro, apareceu neste sábado na sede do Legislativo, no ato que marcou a...

Suplente que terá 2 anos de mandato

adilton da levante 400 curtinha   Derrotado à reeleição em 2016, Adilson da Levante (foto) reassumiu cadeira de vereador pela Capital desde janeiro deste ano e deve prosseguir no cargo até o final do mandato, em dezembro de 2020. É que o titular Gilberto Figueiredo, que se elegeu pelo PSB e vai migrar para o DEM,...

PSDB veta Taques e vai priorizar Leitão

paulo borges 400 curtinha   O comando regional do PSDB não vai dar chance para Pedro Taques, caso este ensaie concorrer ao Senado com a provável suplementar, já no início de 2020 com a iminente cassação do mandato de Selma. Embora tenha dito que hoje se dedica à advocacia e à vida de professor...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.