Últimas

Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2006, 09h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Morte e vida: Severino

O colunista Fernando de Barros e Silva revela, em artigo publicado na Folha de S. Paulo desta segunda (19), considera que 'o aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade'.

Leia reprodução abaixo:

FERNANDO DE BARROS E SILVA

Morte e vida: Severino

SÃO PAULO - O aumento autoconcedido pelos parlamentares sacramentou o divórcio entre o Congresso e a sociedade, da qual o primeiro supostamente seria a "caixa de ressonância", como reza o clichê. Essa caixa ressoa outra música.
A decisão deixa evidente -como se ainda fosse preciso- que os atuais congressistas há muito passaram do ponto em que prestar satisfações à opinião pública fazia parte de suas preocupações.
          O que Fernando Gabeira (PV-RJ) chamou de "ato de inimizade com o povo brasileiro" suscita outras questões mais amplas: o que esses parlamentares representam? Agem dessa forma em nome de quem? E estão lá, afinal, para quê? A democracia às vezes precisa de respostas.
         Diante dos R$ 24,5 mil, ficamos entre a mente iluminada de um José Múcio (PTB-PE) -segundo quem os 91% vão evitar "fuga de cérebros do Congresso" e o risco de que haja "CPI com bandidos dos dois lados"- e a omissão sem brilho do presidente da Câmara, Aldo Rebelo, cada vez mais parecido com a hiena triste do desenho animado. Ó vida, ó céus, ó azar! -dizemos nós.
É fato que o Congresso sempre foi fisiológico e corporativo. As marcas dessa legislatura são a trivialização da bandalheira e a generalização da impunidade. Entre os sanguessugas -três senadores e 69 deputados- não houve cassações, apenas duas renúncias. E só três de 19 mensaleiros foram cassados.
           A gestão Lula, que prometia mudar hábitos políticos, colaborou para o apodrecimento do Legislativo. A cúpula do PT patrocinou o maior esquema já visto de aluguel de deputados no varejo. Apanhados, governo e partido nada fizeram para punir seus mensaleiros. A mesma cultura desembocou no dossiê.
Vista em perspectiva, a eleição de Severino Cavalcanti, em 2005, foi a expressão sintomática do camelódromo em que a Câmara se transformara. A farra do baixo clero que ele representava teve vida curta. Mas o que representam hoje Aldo e Renan, senão a "severinização" do Congresso como instituição?

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Jornalistas lançam 1º Anuário Jurídico

antonielle_curtinhas   O site Ponto na Curva e o Animus Centro Empresarial lançam em maio o primeiro Anuário Jurídico de Mato Grosso. A publicação, que é inédita no Estado, é conduzida pelas jornalistas e advogadas Antonielle Costa (foto) e Débora Pinho. A ideia é dar destaque a...

Ao Senado e com apoio de Bolsonaro

jose medeiros 400 curtinha   Com o apoio garantido por Bolsonaro, José Medeiros dá um passo largo rumo ao Senado, já nesta fase de pré-campanha. Entusiasmado, ele marcou a convenção do Podemos para 12 de março. De um lado, o ex-senador e hoje federal entra no rol dos mais cotados por causa do peso do...

EP, macumba e pedido de desculpa

emanuel pinheiro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro (foto) admite ter sido infeliz ao usar o termo macumba quando se referiu à atuação e torcida de vereadores da oposição para seu governo não conseguir empréstimo de US$ 115 milhões para fazer investimentos. E citou que um deles teria feito...

Apoio entre opositores é pura falsidade

diego guimaraes 400 curtinha   O tão propagado apoio político recíproco entre os vereadores de oposição em Cuiabá, principalmente em relação ao futuro cassado Abílio Júnior, não é verdadeiro. Todos são concorrentes entre si. Tentam viabilizar suas...

Joaninha se afasta da Câmara de Sinop

joaninha 400 sinop vereador curtinha   O vereador por Sinop Joaninha (MDB), conforme a coluna Curtinhas adiantou, se licenciou do cargo por 60 dias para se recuperar do acidente que sofreu durante manobra na Competição Duelo de Motos, em Atibaia (SP). Enquanto isso, o suplente Mauro Garcia (MDB), ex-secretário de...

Manifestação de apoio deles para ele

elizeu nascimento 400 curtinha   Mesmo com o apoio dos deputados Elizeu Nascimento (foto), Xuxu Dalmolin e Ulysses Moraes que levaram até assessores, em pleno horário de expediente, a manifestação pró-Abílio na Câmara de Cuiabá foi considerada fraca. Investigado por quebra de decoro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.