Últimas

Sexta-Feira, 18 de Maio de 2007, 16h:30 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

INVESTIGAÇÃO

Movimento denuncia gestão Chica no TCE e MPE

     Às vésperas do Pleno do TCE julgar o balancete de 2005 da Câmara Municipal de Cuiabá, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), sob as lideranças de Antônio Cavalcanti, o Ceará, e Gilmar Brunetto, o Gauchinho, protocolou um pedido de tomadas de contas. O documentp traz questionamentos à gestão da então presidente do legislativo cuiabano, a hoje deputada Chica Nunes (PSDB). De acordo com o MCCE, um levantamento sobre gastos aponta indícios de fraudes de licitações e compras irregulares com notas frias.

   O mesmo pedido entregue nesta sexta (19) no Tribunal de Contas será protocolado no Ministério Público, já que parte das fraudes denunciadas ocorreram no período eleitoral do ano passado. As contas de Chica devem ser apreciadas pelo TCE na próxima terça (22).

     Na última sessão, o procurador junto ao TCE, José Eduardo Farias, pediu vistas da matéria. Antes, o MPE havia dado parecer favorável à aprovação com ressalvas. Um dos empresários que teve o nome de sua empresa envolvida nas fraudes entregou um dossiê à imprensa. Destaca que os documentos servem de prova e para distinguir as notas verdadeiras das falsas.

      A empresa  A J. F. Indústria, Comércio e Serviços de Móveis Ltda, de Antônio Jéferson Chaves de Figueiredo, prestou serviços ao gabinete do vereador Helny de Paula (PR), licenciado da Câmara desde 2005 para presidir a MTGás. À época, foram vendidos materiais de escritórios no valor de R$ 1, 8 mil. Figueiredo conta que ficou surpreso com uma ação popular do MCCE, em que sua empresa aparece cliente da Câmara em R$ 270 mil. A suposta venda teria ocorrido durante o processo eleitoral de 2006.

       Na lista de notas fiscais falsificadas aparecem inúmeros itens de materiais utilizados em consultórios odontológicos como 14 caixas de amálgama (R$ 12,7 mil), 40 caixas de anestésico (R$ 6 mil), 20 caixas de broca (R$ 1,8 mil) e 30 caixas de flúor gel (R$ 1,8 mil). Constam ainda 75 caixas de leite desnatado, cujo valor unitário seria de R$ 22, 92 e 100 caixas de refrigerantes de dois litros, que custaram à Câmara R$ 29,15 cada. Foram consumidos, segundo as notas fiscais apresentadas, 186 caixas de torradas a R$ 60,13 a unidade e 210 caixas de água mineral ao custo de R$ 13,30 a garrafa.

       Ao contrário das notas originais, emitidas pela Gráfica e Editora Coelho, as falsas foram impressas pela Gráfica Matias, cujo CNPJ apresentado, conforme a apuração do MCCE, é falso. “É uma falsificação grosseira, porque a logomarca da minha empresa é pequena, e essa é enorme. Isso já não é nem um clone mais”, afirmou o empresário. As notas falsas foram emitidas com a mesma numeração das originais, das quais constavam serviços prestados para diversos órgãos e empresas, entre eles a Procuradoria-Geral de Justiça de Mato Grosso.

     “Isso foi feito em apenas seis meses, imagina durante toda a gestão. Essa denúncia só vem confirmar tudo que o movimento já falou e denunciou a respeito da Câmara e das irregularidades nos julgamentos do TCE”, avalia Antônio Cavalcante Filho, o Ceará, um dos coordenadores do MCCE.

      Para provar à Justiça que não havia participado das fraudes, o empresário disse ter autorizado a quebra dos sigilos telefônicos e bancários da empresa e pessoal. Além disso, apresentou à imprensa um dossiê com todas as movimentações financeiras e serviços prestados pela empresa, desde 2004, quando foi criada. Nesse período, conforme o documento, as transações foram da ordem de R$ 15 mil. As atividades da empresa estão interrompidas há oito meses. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

DEM agora sem amarras dos Campos

frankes siqueira curtinha 400   Sem o controle absoluto dos Campos, como nas últimas duas décadas, desde quando era PFL, o DEM, que não elege vereador em Cuiabá desde 2004, vive melhores expectativas, agora sob comando da ala ligada ao governador Mauro. É presidido pelo secretário de Estado de Governo,...

O pulo de Elias do PSDB para o DEM

elias santos 400 curtinha   Elias Santos (foto), irmão do deputado Wilson, agiu como estrategista na construção de sua pré-candidatura a vereador por Cuiabá. Concluiu que teria mais dificuldades de obter êxito nas urnas no PSDB porque os dois vereadores tucanos que vão à...

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.