Últimas

Quinta-Feira, 11 de Janeiro de 2007, 06h:40 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

Mulheres perdem espaço em cargos eletivos

      Cai a representação feminina em cargos eletivos em Mato Grosso e também no Poder Executivo. A dificuldade já vem desde a campanha eleitoral, quando os partidos não conseguiram preencher a cota mínima de 30% reservada a um dos sexos. De três cadeiras na Câmara Federal, a ala feminina perde duas, com o fim dos mandatos das deputadas Teté Bezerra (PMDB) e Celcita Pinheiro (PFL). Teté abriu espaço para o marido Carlos Bezerra, eleito federal, enquanto Celcita foi reprovada nas urnas. Reeleita, Thelma de Oliveira (PSDB) passa a ser, a partir da posse de 1º de fevereiro, a única mulher da bancada mato-grossense na Câmara. No Senado, uma das três vagas faz parte da cota feminina, com a petista Serys Marly (PT), primeira senadora eleita da história de MT.

     Na Assembléia, a ala feminina continuará com uma representante. Sai Vera Araújo (PT), que não se reelegeu, e entra Chica Nunes (PSDB). De duas cadeiras na Câmara de Cuiabá, as mulheres serão representadas agora apenas por Lueci Ramos (PFL), já que a vereadora Chica se elegeu deputada. Em Várzea Grande, só há uma mulher entre 13 vereadores: Aziza Baracat (PSB).  Das 12 vagas de vereadores em Rondonópolis, duas contam com representação feminina, com Mariuva Valentim Chaves (PMDB) e Wilma Moreira (PSB).

Executivo

       Na composição do 1º escalão do governo estadual e das prefeituras, as mulheres também têm participação insignificante. Entre as 22 cadeiras de secretários de Estado só há duas. Antes eram três. No primeiro mandato, o governador Blairo Maggi manteve no staff Terezinha Maggi (Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social) e Flávia Nogueira - substituída depois por Ilma Grisoste na Ciência e Tecnologia, além de Yêda Marly (Desenvolvimento do Turismo).  Agora para o segundo mandato, o governo tem participação de apenas duas mulheres: Terezinha e Flávia Nogueira, nomeada para a recém-criada secretaria extraordinária de Apoio a Políticas Educacionais. Na Prefeitura de Cuiabá não há uma mulher entre as 15 secretarias - Adriana Bussiki, do IPDU, não é considerada secretária. Em Várzea Grande, a jornalista Édna Araújo (Comunicação) é a representante feminina no 1º escalão.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Denúncia, psiquiatria e agora atestado

elizabeth 400 curtinha   Lotada como técnico-administrativo do RH do Hospital Metropolitano da Capital, Elizabete Maria de Almeida (foto), recorreu a um psiquiatra uma semana depois de registrar um BO e, sem apresentar provas, acusar o prefeito Emanuel de negociata, inclusive com dinheiro vivo para vereadores, com vistas a...

Título de Cidadã para senadora goiana

janaina riva 400 curtinha   A Assembleia fará sessão solene nestes últimos dias de 2019 para prestar homenagem a várias personalidades de diferentes segmentos e profissões. Uma das que serão condecoradas com o Título de Cidadã Mato-Grossense é a goiana Kátia Regina de Abreu,...

Francis sem os vereadores do partido

cesare 400 curtinha vereador caceres   A administração Francis Maris em Cáceres se tornou tão emblemática que perdeu apoio dos dois únicos vereadores do seu partido, o PSDB, na Câmara Municipal. Os tucanos Valdeniria Dutra e Claudio Henrique integram hoje o bloco de oposição ao prefeito,...

Gilberto prestigia sobrinho na Câmara

marcelo oliveira 400 curtinha   Depois de 11 meses sem pisar os pés na Câmara Municipal de Cuiabá, o vereador licenciado Gilberto Figueiredo, secretário estadual de Saúde e um dos pré-candidatos a prefeito do grupo do governador Mauro, apareceu neste sábado na sede do Legislativo, no ato que marcou a...

Suplente que terá 2 anos de mandato

adilton da levante 400 curtinha   Derrotado à reeleição em 2016, Adilson da Levante (foto) reassumiu cadeira de vereador pela Capital desde janeiro deste ano e deve prosseguir no cargo até o final do mandato, em dezembro de 2020. É que o titular Gilberto Figueiredo, que se elegeu pelo PSB e vai migrar para o DEM,...

PSDB veta Taques e vai priorizar Leitão

paulo borges 400 curtinha   O comando regional do PSDB não vai dar chance para Pedro Taques, caso este ensaie concorrer ao Senado com a provável suplementar, já no início de 2020 com a iminente cassação do mandato de Selma. Embora tenha dito que hoje se dedica à advocacia e à vida de professor...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.