Últimas

Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2009, 11h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

INVESTIGAÇÃO

Muniz propõe CPI da Unemat e já colhe assinaturas na AL

Deputado Percival Muniz  A 11 meses das eleições gerais, a Assembleia deve aprovar mais um pedido de CPI, agora para investigar repasses de recursos à Universidade do Estado (Unemat) e denúncias de supostos demandados na instituição e também responsabilidades quanto ao fiasco do concurso público, que deveria ter sido realizado no domingo passado e foi adiado para o próximo ano. A iniciativa partiu do deputado Percival Muniz (PPS). Foi ele próprio quem apresentou requerimento que resultou na CPI da Saúde, que já investiga aplicação de recursos no setor em Cuiabá e as razões do caos na saúde pública.

  Para apresentar o requerimento, Muniz precisa do apoio de ao menos 8 dos 24 deputados. Nesta quinta, durante sessão ordinária, ele já havia conseguido respaldo dos colegas José Domingos (DEM) e Otaviano Pivetta (PDT). O parlamentar explica que, pelo Regimento Interno, é permitido três CPIs em funcionamento ao mesmo tempo. Argumentou que o pedido por mais uma Comissão surgiu por causa de denúncias de que a gestão do reitor Taisir Karim estaria cometendo uma série de irregularidades na Unemat, com sede em Cáceres.

   Muniz se motivou mais ainda a articular o pedido de investigação depois das falhas logísticas e de indícios de fraudes que comprometeram a realização, no último domingo, do maior concurso público do país, que conta com 271 mil candidatos para 10.086 vagas de servidor do Estado. Segundo Muniz, a melhor resposta da Assembleia à sociedade diante de denúncias de desmando na Unemat seria criar uma CPI capaz de detectar os problemas e apresentar solução. Tudo indica que o deputado e ex-prefeito de Rondonópolis por dois mandatos consiga os dois terços de assinaturas necessários para abrir investigação sobre a Unemat.

   Em discurso da tribuna, Muniz afirmou que a Unemat gasta milhões e se transformou numa instituição que desviou o objetivo. "Se tornou mais um cabide de emprego do que instrumento de ensino e todo mês tem denúncias contra a Unemat". Percival Muniz foi o primeiro a assinar o requerimento. Segundo ele, é preciso apurar não só o que chama de desmandos, mas também o "vexame do concurso público". Em busca de apoio, o socialista disse estar aberto à negociação quanto a escolha da presidência da CPI, principalmente junto as maiores bancadas. "A CPI não é contra ninguém, mas sim a favor da transparência e da verdade", ponderou o deputado para, em seguida, perguntar: "Onde vai tanta verba que o deputado (federal) Pedro Henry põe na Unemat?".

   Percival Muniz afirma que há denúncias de que cursos de pós-graduação estão servindo para se "meter a mão no dinheiro da instituição". Acredita que o goverrnador Blairo Maggi vai apoiar a proposta de CPI porque no início do mandato já questionava a Unemat e, depois, diante de vaias e protesto, preferiu "lavar as mãos". O deputado comenta que ouviu de um professor, em entrevista numa rádio em Cuiabá, que o "reitor (Taisir) conduz uma gestão podre e que está levando a Unemat ao caos". (Romilson Dourado)

--------------------------------------------------------------------------------
Clique no play e ouça a argumentação de Percival Muniz em defesa de uma nova CPI

Postar um novo comentário

Comentários (45)

  • Manoel Miranda | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Tudo pro Percival é CPI , Ele sempre querendo aparecer, mais sempre um toma a Presidencia da CPI dele ai ele fica Chorando pelos canto..Percival ´´APARECIDO´´

  • marilia mendonça | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    parabens ao deputado tem mesmo que fiscalizar a unemat, tem treta nesso galho ai, esses DAS, tem que fiscalizar, pedir colaboração do ministerio publico, policia federal, tem pessoa com cargo de chefia querendo entrar no estado efetivamente pela janela, eu não fiquei surpreso com esas falhas, pois a reitoria ta uam bagunça conforme entrevistas na televisão.

  • Antonio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Agora é assim: CPI pra cá, CPI pra lá.

    Parece que os nobres deputados vivem apenas de CPI.

    Projeto que é bom para o nosso MT não sai.

    Mas CPI, que dá visibilidade na mídia, os caras ficam loucos pra criar.

    Parecem urubús na carniça.

  • VELOZO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Aiaiaiaiai...será que é por isso que o secretário da SAD tá falando que a UNEMAT vai arcar com as despesas???pq fiquei pensando com meus butões...como é que esta instituição de ensino vai arcar com esse prejuizo???de onde virão os recusrsos???então taí a resposta...tomara que não hein!!!mas pra ficar tudo transparente...CPI nela...

  • Marcos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Parabéns Deputado!
    Nós também queremos saber para onde vai tanto dinheiro.
    Sou estudante da Unemat e testemunha que as obras são mal feitas, com qualidade muito abaixo do orçamento e das emendas parlamentares.
    Inclusive o ginásio de esporte caiu antes de ser inaugurado, porém toda a mídia cacerense escondeu a situação,l pois todos os jornais da região são financiados pela Unemat ou pelo Pedro Henry, o que na verdade é a mesma coisa.
    Todos nós queremos saber para onde vai tanto dinheiro, mais de 100 milhões.. embora as suspeitas são visíveis .. padarias, locadoras, imóveis, carrões.. e até lotéricas.. espero que a CPI descubra tudo isso!
    o Povo de Mato Grosso merece ums explicação

  • Almeida | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabéns por essa iniciativa, esta mesmo na hora de tirar, essa capa de ovelha desse governo que só sabe trabalhar visando seus comparsas.

    A teta vai secar e o sol da justiça vai brilhar nos porões go Governo Maggi.

    Fique de olho meu povo.
    A eleições estao chegandooo


  • Mauro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    CONCURSO DA VERGONHA
    Quem vai pagar a conta do fracasso?
    Aos lesados pela incompetência administrativa do governo Blairo Maggi não restará outra alternativa senão recorrer à Justiça para tentar reaver seus prejuízos. Uma solução demorada e trabalhosa, mas uma solução.
    Mas quem pagará a conta do dinheiro público gasto com esse fracasso? Quem pagará os R$ 5 milhões já dispendidos na realização do maior fiasco administrativo da história de Mato Grosso? E quem pagará pela realização do novo concurso?
    Se depender do governo esta conta cairá nas costas do contribuinte. Mas isso é justo? Afinal, quem decidiu realizar o concurso com a inexperiente Unemat? Quem se omitiu ou não planejou corretamente a logística do concurso? Quem não assumiu a responsabilidade pela gestão do concursos quando tinha obrigação de fazê-lo? Quem assumiu o risco de promover um certame dessa magnitude e de custo estratosférico sem o mínimo de cuidado e planejamento?
    A resposta está na ponta da língua, está na palma da mão: Blairo Maggi e seu secretário de Administração, Geraldo De Vitto, são os únicos responsáveis tanto pelo fracasso quanto pelos prejuízos causados ao erário e às milhares de pessoas lesadas pela monumental falta de gestão e logística na aplicação das provas do concurso público.
    Blairo e De Vitto vão pagar do próprio bolso o prejuízo que causaram? Dificilmente, mas seria o justo. E é neste sentido que se espera que o Ministério Público aja: que cobre do governador e do secretário, na medida de suas responsabilidades, a devolução ao erário de todo o prejuízo que direta ou indiretamente causaram aos cofres públicos e aos concursandos.
    Blairo e De Vitto negligenciaram, autorizaram uma instituição sem a menor tradição na execução desse tipo de serviço a realizar um trabalho que exige alta especialidade. E fizeram isso porque tinham pressa em viabilizar a contratação dos concursados antes do prazo permitido pela legislação eleitoral. Agiram, pois, no interesse eleitoral, exclusivamente. E esta é a única razão para que tenham delegado à Unemat uma tarefa que todos sabiam, inclusive o Ministério Público, que a instituição não detinha a menor competência para realizar.
    Mas Blairo e De Vitto, apesar das recomendações do MP, insistiram. Queriam escapar da obrigação de realizar uma concorrência pública nacional para contratar a elaboração e aplicação do certame. Porque tinham pressa eleitoral na condução do concurso. As declarações públicas, em particular do secretário De Vitto, não deixam dúvidas sobre as intenções eleitoreiras a cerca da realização daquele que deveria ter sido o maior o concurso público do País.
    Blairo Maggi e Geraldo De Vitto são - repito - os únicos responsáveis pelo fracasso e pelos prejuízos. E são eles, pela negligência, imperícia e imprudência - com claro interesse eleitoral - quem devem ser responsabilizados por todos os prejuízos causados aos cofres públicos.
    Oxalá seja este o entendimento do MP, porque será o cúmulo da injustiça que a conta dessa desfaçatez recaia sobre o contribuinte.

  • Everaldo gomes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    QUERO VER SE OS CAITITUS VÃO TER CORAGEM DE CRIAR UMA CPI PARA INVESTIGAR UMA INSTITUIÇÃO DO GOVERNO DA BOTINA. ATÉ O MOMENTO A SOCIEDADE MATOGROSSENSE SABE MUITO BEM QUE LÁ NO CURRAL DOS CAITITUS SÓ SE ABRE CPI PARA INVESTIGAR WILSON SANTOS, USADO COMO BODE EXPIATÓRIO NA QUESTÃO DA SAÚDE, QUE NA VERDADE É UM PROBLEMA DO GOVERNO ESTADUAL, E VAI SE PROVAR ISSO.

  • Tom | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    de uma coisa eu tenho a certeza. Se este concurso tivesse sido realizado pela Prefeittura de Cuiabá, já tinha deflagrado uma Guerra Mundial. Teria PF, MP, MPE, TJ, PCC, TCE, TCU, MCCE, CUT, UNE, Fernandinho beira mar, Arcanjo e todas as sigla possíveis. Era uma revolução se tivesse sido feito pela PMC com este fiasco.
    O Governo botinudo, pode causar prejuízo ao erário e pode tudo. Se for o Governo Maggi, pode.
    A Prefeitura de Cuiabá não pode nada. Não pode.

  • Peulo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    isso ai deputado. em sp temos as melhores universidades que sao ESTADUAIS. USP, UNICAMP E UNESP. aqui no MT e essa vergonha. o povo de mt nao merece esse descaso. eh melhor fechar essa instituicao podre que eh a UNEMAT. uma tristeza. nao tem um curso que tenha boas notas no enade, vergonha total. gracas a deus que tem deputado que trabalha nessa AL. Essa eh a legislatura mais movimentada com relacao a trabalho, e isso eh muito gracas ao senhor, parabens

Patriota, vários evangélicos e cantor

oscemario daltro 400 curtinha   O nanico Patriota, hoje sem um assento na Câmara de Cuiabá, lançou chapa completa para vereador, com 38 nomes. E pode eleger até dois. A proporcional acaba se fortalecendo porque o partido tem cabeça de chapa ao Executivo, o ex-prefeito por dois mandatos Roberto França. Entre...

Colíder com 2 candidatos desgastados

jaiminho 400 curtinha   Em Colíder, duas figuras bastante desgastadas politicamente estão na disputa pelo Executivo, sendo o prefeito Noboru Tomiyoshi, que fechou aliança com apenas três partidos (DEM, PSD e SD), e o ex-prefeito Jaime Marques (foto), que concorre pelo PSC numa coligação que agrega DEM e...

PP com 25 a vereador projeta 3 vagas

orivaldo da farmacia 400 curtinha   O PP, da base aliada do prefeito Emanuel, conta com 25 candidatos a vereador pela Capital. Deve conquistar entre duas e três vagas. Os principais concorrentes são os já vereadores Orivaldo da Farmácia (foto), Marcrean Santos e Luis Cláudio, além do ex-vereador...

MPE vê prefeita de Torixoréu inelegível

ines 400 curtinha torixoreu   Para o Ministério Público Eleitoral, a prefeita de Torixoréu, Inês Mesquita Moraes Coelho (foto), que se lançou à reeleição pelo DEM, está inelegível. Numa ação de impugnação de registro de candidatura, o promotor...

Candidato amarga derrota na Justiça

adilson gon�alves 400 curtinha   O candidato a prefeito de Barra do Garças, delegado Adilson Gonçalves (foto), tentou, sem êxito na Justiça, censurar o Rdnews na publicação de matérias sobre o pleito eleitoral no município. Numa ação impetrada junto à...

Com certidão pra disputar 1ª suplência

dito lucas 400 curtinha   Filiado ao Podemos, Dito Lucas (foto), que entrou de última hora como primeiro-suplente da chapa ao Senado encabeçada por José Medeiros, assegura que vai apresentar novamente sua certidão junto à Justiça Eleitoral, de modo a provar que sua candidatura é legítima....