Últimas

Quarta-Feira, 20 de Junho de 2007, 12h:35 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

INFRAESTRUTURA

Não há ilegalidade na dupla função, diz Pagot

Relatório nem foi entregue à presidência da Comissão de Infra-Estrutura e não existe data para sabatina

    "Não há ilegalidade nenhuma. Agora, deve, sim, investigar, mas não atrapalhar a sabatina". Foi o que declarou nesta quarta o executivo Luiz Antonio Pagot a cerca da denúncia de que teria exercido dupla função ilegalmente, como assessor no Senado e diretor da Hermasa Navegação da Amazônia no período de 1995 a 2002. Pagot está em Brasília. Aguarda definição de uma data para ser sabatinado pela comissão de Infra-Estrutura do Senado, composta por 23 membros. Será o último obstáculo para chegar à direção-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), dono de um orçamento de R$ 12 bilhões.

    Segundo Pagot, nunca houve data oficial para sabatina. Em princípio, o senador Marconi Perillo (PSDB-GO), presidente da Comissão de Infra-Estrutura, em conversa no corredor do Congresso, comentou para os democratas Jaime Campos e Jonas Pinheiro, que marcaria a data no mesmo dia que recebesse o relatório do senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). A expectativa, nesse caso, era de que isso pudesse ocorrer nesta quarta.

     O problema é o processo travou. Até agora o relatório que avalia a indicação e deve recomendar o nome de Pagot para o Dnit não chegou à comissão de Infra-Estrutura. "Isso deve ocorrer daqui a uns dias. Vamos aguardar", destacou Luiz Pagot. Há rumores, inclusive, que o relator pode ser substituído.

     Quanto à acusação de que exerceu ilegalmente dois cargos ao mesmo tempo, o que seria ilegal, Pagot contesta. Esclarece que a Lei 18.811 diz respeito a cargos públicos, portanto, entende que não contrariou a legislação porque uma das atividades exercidas foi numa empresa privada, a Hermasa. "Os que me acusam de atos ilegais estão usando artifício de omitir informações. Não há nada de ilegal".

     Pagot, que será investigado pela Corregedoria do Senado, destaca que na sua declaração de Imposto de Renda fez questão de mencionar a dupla função, uma no Senado e outra na direção da empresa privada. Conta que em 97, o senador Jefferson Péres fez uma consulta ao Senado sobre se assessor no Congresso Nacional poderia atuar em qualquer unidade da Federação. A resposta foi sim, ou seja, que não haveria qualquer impedimento nesse sentido.

    Dessa forma, o aliado do governador Blairo Maggi destaca que não feriu a lei quando estava trabalhando na Hermasa, com sede em Itacoatiara (AM) e, ao mesmo tempo, recebendo salário como assessor do senador Jonas Pinheiro.

    Luiz Pagot afirma que deseja ter logo a oportunidade de ser sabatinado para dirimir qualquer dúvida. "Na Comissão de Infra-Estrutura podem me perguntar tudo. Vou demonstrar os meus conhecimentos técnicos na área e provar que estou preparado para o cargo, e contar a experiência como agente público. Não vou fugir de nada".

    Sobre a omissão da dupla função no currículo encaminhado ao Senado, Pagot disse que o condensamento dos dados, que acabou excluindo várias atividades que exerceu, foi feito por uma técnica do próprio Ministério dos Transportes, sob alegação de que não precisaria enviar ao Congresso o currículo integral, pois é muito extenso.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Jeovaldo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Os nossos Politicos tem que agir rapido quem perde com isso e o Estado de Mato Grosso, as rodovias estão pessima, precisamos de alguem daqui lá nos representando e fazendo alguma coisa, não sei porque o PSDB daqui não trabalha, e não deicha os outros trabalharem. Cade os projetos do Sr Antero???? O povo quer saber!!! Ficou 08 anos lá e não fez uma imenda para as nossas rodovias. Deixe o Estado crescer Sr Antero.....Paiiis .... de Barros!!!???

Cotado à cadeira de desembargador

francisco faiad 400 curtinha   É forte o movimento nos bastidores entre os juristas, dentro e fora da OAB/MT, pela indicação do nome de Francisco Faiad (foto) pela classe Quinto Constitucional à cadeira de desembargador. Bem articulado e com bom conceito no meio jurídico, Faiad foi presidente da OAB/MT por dois...

Pivetta promete permanecer no PDT

allan kardec 400 curtinha   O empresário Otaviano Pivetta, que se tornou o mais badalado nesta fase de pré-campanha ao Senado por causa da grande logística em torno do seu nome, se encontra numa saia-justa. Para líderes do Podemos com os quais passou a ter afinidade política, como os senadores Álvaro Dias e...

Ao Senado, 2 partidos e apoio para EP

elizeu nascimento 400 curtinha   Elizeu Nascimento (foto), terceiro-sargento PM licenciado, não é nada bobo. Ex-vereador pela Capital e no mandato de deputado estadual, Elizeu hoje controla o DC-MT e ainda levou aliados de confiança para o PSL-MT, partido que ainda está ligado ao presidente Bolsonaro e que só de...

Digital de Selma no apoio para Pivetta

olga lustosa curtinha 400   Mesmo com laços antigos de amizade com Otaviano Pivetta, Olga Lustosa, que está se desligando do cargo de assessora do gabinete da senadora cassada Selma Arruda em Brasília, causou aquele climão dentro do Podemos quando apareceu no encontro do PDT, neste sábado. O ato marcou o...

Fritado ao Senado, Galvan deixará PDT

antonio galvan 400 curtinha   Como já esperado, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), foi mesmo patrolado dentro do PDT estadual na tentativa de concorrer ao Senado na suplementar de abril. Com a decisão oficial do partido de lançar o vice-governador Otaviano Pivetta à disputa, Galvan agora pensa em sair da...

Contratos suspensos de 7 prefeituras

domingos neto 400 curtinha   O conselheiro do TCE-MT, Domingos Neto, determinou, até julgamento do mérito, a suspensão de pagamento por sete prefeituras à Oscip Tupã. Ele é relator de uma representação feita pelo Ministério Público de Contas contra as prefeituras de Vera,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.