Últimas

Sexta-Feira, 18 de Maio de 2007, 10h:48 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Novo mapa geopolítico do Estado

     No dia 18 de agosto de 1954, circulou no Diário Oficial a Lei nº 370 de 31 de julho de 1954 (autoria da Assembléia Legislativa), que redefinia o quadro territorial de Mato Grosso. À época, o Estado contava com apenas 26 municípios e tinha uma população que não ultrapassava um milhão de habitantes.
     Passados 53 anos, a realidade é outra. Hoje temos uma densidade demográfica quase três vezes maior, ultrapassando os 2,8 milhões de pessoas e o território foi dividido em dois no ano de 1979, com a criação de Mato Grosso do Sul. Além disso, devido ao intenso fluxo migratório, atualmente contamos com 141 municípios, uma ampliação de mais de 400%.
     Acontece que toda essa movimentação ocorreu sem planejamento. Muitas das novas cidades foram criadas não respeitando questões básicas territoriais e sem um estudo pertinente, o que causou inúmeros transtornos na prática cotidiana e no acesso da população a bens e serviços públicos de primeira necessidade, como educação, saúde, segurança publica, energia elétrica, saneamento básico, transporte escolar rural, etc.
     Assim, hoje temos problemas de três ordens nos limites municipais: administrativos, legais e cartográficos, que causam disputas entre as cidades por mais extensão territorial, desprezo a distritos mais longes, problemas relacionados ao pagamento de taxas, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), entre outros.
     Quem mora, por exemplo, na comunidade Taiamã, que pertence a Santo Antônio de Leverger, para chegar na sede do seu município, necessita passar por outras cinco cidades: Rondonópolis, São Pedro da Cipa, Juscimeira, Jaciara e Cuiabá. Há ainda extremos, em que municípios como Chapada dos Guimarães e Cuiabá, têm, por lei, seus limites definidos pelas linhas telegráficas de Rondon, um marco que não existe mais. Poderia citar dezenas de outros casos, mas somente esses já servem para demonstrar o quanto se faz urgente e necessário o trabalho de construção do novo mapa geopolítico-administrativo de Mato Grosso, que estamos realizando na Comissão de Revisão Territorial, das Cidades e dos Municípios da Assembléia Legislativa, em parceria com o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan).
     Estamos construindo um esboço inicial do novo mapa a partir de nove critérios: distância do distrito ou vila em relação à sede do município em que está localizado; a área total do município; a sua topografia; áreas com limitação de trânsito; densidade demográfica; dispersão demográfica; participação no valor adicionado do município para fins de cálculo do Índice de Participação dos Municípios (IPM); participação nas despesas municipais; cobertura de serviços públicos; e existência de litígios territoriais.
     Convém ressaltar que não tomaremos nenhuma decisão sem antes discutirmos amplamente com todos os envolvidos. Além disso, a ação integra todo um planejamento e uma série de ações conjuntas, como a criação dos distritos estaduais, que estamos propondo por meio da proposta de Emenda Complementar 001 de 2007 e a criação de uma comissão temática setorial para discutir situações de municípios que tiveram suas economias exauridas.
     A nossa iniciativa, tenho certeza, será modelo para o país. O intuito é proporcionar uma melhor qualidade de vida da população, que precisa de serviços públicos de excelência e será quem vai dar a decisão final, por meio de um plebiscito.
    

Percival Muniz é deputado estadual e presidente da Comissão de Revisão Territorial das Cidades e dos Municípios.


 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Máquinas para reciclar garrafas pets

maquina 400 curtinha   Sob iniciativa da secretaria de Inovação e Comunicação da Capital, dentro dos projetos que buscam a sustentabilidade, a prefeitura vai colocar máquinas de reciclagem de garrafas pets em 15 pontos da cidade e com possibilidade de ampliar os locais de recolhimento. Em troca, o cidadão...

4 fora da reeleição em Rondonópolis

jailton 400 vereador curtinha   Em Rondonópolis, quatro dos 21 vereadores não devem ir à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (DEM), Rodrigo da Zaeli (PSDB), Hélio Pichioni (PSD) e Jailton do Pesque e Pague (foto), do PSDB. Thiago e Rodrigo têm esperanças de concorrer a...

Prefeito apoia vice à briga em Cáceres

eliene liberato 400 curtinha   Francis Maris vai mesmo declarar apoio oficial à pré-candidatura da empresária Eliene Liberato à sucessão em Cáceres. Em público, o prefeito faz mistério para não contrariar outros pretensos candidatos do grupo e que têm esperanças de receber...

Preparando um dos aliados a federal

mauro carvalho 400 curtinha   Embora não comente publicamente, o governador Mauro Mendes está "costurando" acordos políticos com líderes mais próximos, visando não só o pleito de 2020, mas também às eleições gerais de 2022. Em época de busca de projetos e de...

Salvando 1º ano de mandato no cargo

selma arruda 400 curtinha   Embora "sangrando" e com a imagem arranhada, a juíza aposentada e senadora cassada pelo TRE-MT Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, consegue concluir este primeiro de oito anos de mandato. E vai se licenciar nos próximos dias para ceder espaço aquele que financiou a sua campanha,...

Barbudo é menos empreguista de MT

nelson barbudo 400 curtinha   Dos oito deputados federais de MT, o estreante Nelson Barbudo (foto) é o menos "empreguista". Nestes 10 primeiros meses de mandato, ele nomeou no gabinete em Brasília e no escritório político em Cuiabá apenas 15 assessores. Cada gabinete pode ter até 25 secretários...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.