Últimas

Quinta-Feira, 24 de Maio de 2007, 09h:22 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

O apagão da CPI

         Esta semana certamente ainda será lembrada por muito tempo no Congresso Nacional. É a semana em que, como num passe de mágica, oposicionistas e governistas apareceram simbolicamente abraçados, unidos por algum laço invisível que as divergências do dia-a-dia e a obrigação do antagonismo de cartilha não conseguiram romper. Pelo menos nesta semana, oposição e governo parecem cultivar uma afinidade vinda da infância.
     Evaporou-se como por milagre aquela indignação com que certos políticos costumavam aparecer à frente das câmeras de TV e dos microfones, sempre que era revelado mais um escândalo administrativo ou feita mais uma denúncia de corrupção. De repente, os mensalões e os dossiês começaram a parecer coisa de um passado remoto. Tudo isso deu lugar a uma surpreendente prudência e a doses maciças de bom senso da parte da oposição.
     Por exemplo: foi difícil acreditar quando um líder oposicionista, conhecido pela virulência dos seus ataques ao trabalho da Polícia Federal e ao governo Lula, passou a elogiar, sem mais nem menos, a forma competente como aquela corporação conduziu as investigações que resultaram na chamada Operação Navalha e na conseqüente prisão de 47 pessoas, acusadas de organizar a quadrilha que fraudava licitações de programas governamentais.
     É isso mesmo. A Polícia Federal brasileira, sistematicamente crucificada em tantas outras ocasiões, passou a merecer a inteira confiança de alguns parlamentares da oposição. Também da noite para o dia, deputados e senadores que nos últimos meses andaram se engalfinhando pela criação de mais uma CPI, apareceram como cândidos modelos de comedimento, não há motivo algum para se pensar em CPI; aliás, quem falou em CPI? Para que CPI?
     Durante vários anos, em passado mais ou menos recente, a primeira pedra, perdão, o primeiro pedido de CPI, era sempre atirado pelos políticos do PT. O presidente espirrou duas vezes seguidas, deu motivo para CPI. O ministro fez implante capilar, CPI nele! Claro, havia também os motivos mais sérios para se pedir a instalação de CPI e os petistas não se faziam de rogados: pediam no ato. É verdade que quase nenhuma das comissões deu em nada, mas elas sempre se constituíram em ótimos palanques. Portanto, produziram resultados. Pelo menos eleitorais.
     Mais recentemente, a mania ganhou força de novo, agora pelas mãos de deputados e senadores do PSDB e do PFL (no momento Democratas). Aliás, ganhou tanta força que por pouco uma delas não derrubou o presidente da República em 2005/2006. Passadas as eleições, reeleito o alvo preferido das CPIs recentes, eis que os aeroportos do país entram em colapso, os controladores de vôo fazem greve e os aviões de carreira teimam em permanecer mais tempo em terra do que no ar. Chama a CPI! Idas e vindas, marchas e contramarchas, o plenário da Comissão de Justiça da Câmara vira um quase campo de batalha, recorre-se ao Supremo e finalmente saem não uma, mas duas CPIs, ambas incumbidas de investigar o mesmo assunto, o chamado apagão aéreo.
     Bem, esse era o cenário até a semana passada. De segunda-feira para cá, o que houve foi um apagão da CPI. O assunto é quase proibido e certamente constrangedor nas duas Casas do Congresso Nacional. De repente, quase todo mundo descobriu que tem coisas mais importantes a fazer do que apoiar pedido de CPI. Governo e oposição finalmente falam a mesma língua. Ou até preferem não falar. O próprio governo anda confuso: já não sabe exatamente com quantos aliados pode contar no Senado e na Câmara.   Afinal, a partir de agora a chamada base aliada deve ou não incluir os parlamentares do PSDB e do Democratas?

Carlos Monforte é jornalista em Brasília e escreve em A Gazeta às quintas-feiras

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Joaninha se afasta da Câmara de Sinop

joaninha 400 sinop vereador curtinha   O vereador por Sinop Joaninha (MDB), conforme a coluna Curtinhas adiantou, se licenciou do cargo por 60 dias para se recuperar do acidente que sofreu durante manobra na Competição Duelo de Motos, em Atibaia (SP). Enquanto isso, o suplente Mauro Garcia (MDB), ex-secretário de...

Manifestação de apoio deles para ele

elizeu nascimento 400 curtinha   Mesmo com o apoio dos deputados Elizeu Nascimento (foto), Xuxu Dalmolin e Ulysses Moraes que levaram até assessores, em pleno horário de expediente, a manifestação pró-Abílio na Câmara de Cuiabá foi considerada fraca. Investigado por quebra de decoro...

TCE cria estrutura para atender a AL

maluf 400 curtinha   A Assembleia Legislativa saiu de Guilherme Maluf (foto), mandando-o para o TCE, mas ele não saiu da AL. Alçado à presidência com menos de um ano na cadeira vitalícia, Maluf acaba de criar uma assessoria parlamentar para promover o intercâmbio com as comissões da AL e ainda um...

Cassação de Abílio depois do Carnaval

abilio junior 400 curtinha   Por mais que Abílio Júnior (foto) implore e grite por socorro, na esperança de escapar da cassação, inclusive se colocando como vítima de perseguição política, perderá mesmo mandato. Mas isso só vai ocorrer após o Carnaval. A...

PGR monitora delação de ex-deputado

jose riva 400 curtinha   Membros do alto escalão da Procuradoria-Geral da República, que rejeitou a proposta de delação de José Riva (foto) na esfera federal por causa de omissão de crimes, estão monitorando os bastidores do acordo de colaboração, agora entre o Ministério...

Fritado no PDT e buscando o Aliança

antonio galvan 400 curtinha   Fritado no PDT, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), pretende agora procurar espaço em um partido considerado de direita. E está se movimentando para assumir em MT o comando do Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado pelo presidente Bolsonaro. O sojicultor se mostra,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.